São Paulo sob as lentes do fotógrafo Guilherme Gaensly (1843 – 1928) - São Paulo São

O suíço Guilherme Gaensly (1843 – 1928) nasceu em Wellhausen, cantão de Thurgau, e foi para Salvador, na Bahia, aos 5 anos de idade. Em 1871, após um período de aprendizado no ateliê de Alberto Henschel (1827 – 1882) na capital baiana, estabeleceu-se como fotógrafo.

Destacou-se como retratista e como fotógrafo de paisagens urbanas e rurais. Em 1882, Rodolpho Lindemann (c. 1852 – 19?) tornou-se seu sócio e, em 1894, a próspera empresa Gaensly & Lindemann abriu uma filial em São Paulo, onde Gaensly foi morar.

Foi o autor de importantes registros de São Paulo, vendidos como fotografias em papel albuminado e colotipias impressas na Suíça e comercializadas em álbuns. Ao lado de seu contemporâneo Marc Ferrez (1843 – 1923), foi provavelmente o fotógrafo mais publicado em postais no Brasil. Em 1899, a empresa The São Paulo Railway, Light and Power Company, o contratou como fotógrafo oficial, função que exerceu até 1925, três anos antes de sua morte. Na ocasião, a presença da Light representava a modernização da área urbana e dos serviços da cidade.

Avenida São João, cerca de 1902. São Paulo, SP. Guilherme Gaensly. / Acervo IMS.Avenida São João, cerca de 1902. São Paulo, SP. Guilherme Gaensly. / Acervo IMS.

“Essa documentação, assinada por um fotógrafo plenamente maduro e no auge da carreira, possui particular importância já que Gaensly valia-se ainda da tecnologia e do olhar estético característico da fotografia do final do século XIX, o que lhe permitiu conferir peculiar qualidade a seus registros, fazendo-os mesmo transcender os aspectos estritamente técnicos das imagens que sabia capturar com extremo rigor formal e poder de síntese”(Catálogo da Exposição comemorativa da doação do Acervo Brascan ao IMS – Guilherme Gaenly e Augusto Malta: dois mestres da fotografia brasileira no Acervo Brascan, p.10).

Avenida Paulista, cerca 1902. São Paulo, SP. Guilherme Gaensly / Acervo FBN.Avenida Paulista, cerca 1902. São Paulo, SP. Guilherme Gaensly / Acervo FBN.

Apesar de nunca ter sido o fotógrafo oficial de São Paulo, como foi Augusto Malta (1864 – 1957) no Rio de Janeiro, Gaensly foi o autor de uma abrangente obra sobre a capital paulista nas primeiras décadas do século XX, o que o coloca nessa posição. Ele e Militão Augusto de Azevedo (1837 – 1905) são considerados os fotógrafos que mais cultuaram São Paulo. Gaensly fotografou a cidade em plena transição para a modernidade, tendo registrado todos os aspectos urbanos da nova metrópole que surgia. Registrou a inauguração dos bondes elétricos que substituíram as carroças, o Jardim da Luz, a agitação do comércio na região do entorno da Praça da Sé, o crescimento da avenida Paulista, além de palacetes, chácaras, edifícios públicos, igrejas, escolas, teatros e hospitais. Essas vistas de São Paulo foram comercializadas em álbuns impressos na Suíça a partir de fotografias em papel albuminado e de colotipias. Fotografou também a chegada de imigrantes italianos em Santos e em São Paulo. Dentre os prêmios que recebeu, está uma medalha de prata conquistada na Exposição Universal de Saint Louis, em 1904.

Várzea do Mercado e o Mercado Caipira. Foto: Guilherme Gaensly (década de 1890).Várzea do Mercado e o Mercado Caipira. Foto: Guilherme Gaensly (década de 1890).

Teatro Municipal, cerca de 1908. Foto: Guilherme Gaensly.Teatro Municipal, cerca de 1908. Foto: Guilherme Gaensly.

Palácio do Governo de São Paulo e seu jardim, cerca de 1902. Foto: Guilherme Gaensly.Palácio do Governo de São Paulo e seu jardim, cerca de 1902. Foto: Guilherme Gaensly.

Largo do Rosario, cerca de 1902. Foto: Guilherme Gaensly, Largo do Rosario, cerca de 1902. Foto: Guilherme Gaensly,

“Guilherme Gaensly foi sem dúvida o fotógrafo que mais aproximou o seu trabalho das necessidades e exigências do ideário republicano de progresso social e material. Dedicado e ativo nas primeiras décadas do século passado, produziu uma visão da metrópole emergente com requinte e elegância, buscando interpretá-la como um espaço urbano harmonioso; uma memória que não ultrapassa o estritamente fotográfico, mas que hoje se evidencia como um dos principais fios condutores da história da cidade” (Rubens Fernandes Junior, in Guilherme Gaensly, 2011).
 
Anúncio da Photographia de Guilherme Gaensly, antiga Gaensly & Lindemann.
A propaganda seria publicada diversas vezes durante 1904 e 1905
(Correio Paulistano, 1º de novembro de 1904, na sétima coluna).
 

Acesse o link para mais fotos de Guilherme Gaensly!

***
Fonte: Brasiliana Fotográfica.