Um em cada quatro paulistanos não frequenta atividades culturais, diz pesquisa - São Paulo São

Um em cada quatro paulistanos não frequenta atividades culturais, revela um levantamento da Rede Nossa São Paulo divulgado nesta terça-feira e que abrange shows, cinemas, centros culturais, museus, teatros e bibliotecas. Segundo a pesquisa, esse número corresponde a aproximadamente 2,4 milhões de pessoas. A capital paulista tem hoje 12,1 milhões de habitantes, aponta o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Biblioteca Mario de Andrade. Foto: Divulgação.Biblioteca Mario de Andrade. Foto: Divulgação.

Os resultados da pesquisa “Viver em São Paulo: Cultura” foram apresentados nesta terça-feira (10/4), em evento promovido pela Rede Nossa São Paulo e Ibope Inteligência, em parceria com o Sesc São Paulo. 

Realizada no Sesc Vila Mariana, a atividade contou com a participação do coordenador-geral da Rede Nossa São Paulo, Jorge Abrahão. “A questão social aparece muito fortemente em todas as nossas pesquisas”, considerou ele, ao ressaltar que o problema também aparece claramente no acesso à cultura. 

Das pessoas que não frequentam atividades culturais, a maioria é mulher, preta ou parda, com renda de até dois salários mínimos. Do outro lado, as pessoas que mais frequentam aparelhos culturais são mulheres, brancas e com renda de até cinco salários mínimos.

Segundo a pesquisa, a maior frequência nas atividades culturais é determinada, sobretudo, pelos preços (41%) e pela proximidade do local de moradia (20%). Portanto, a renda familiar demonstra ser um fator determinante no número de atividades culturais realizadas.

A zona oeste é a que mais se preocupa com o preço das atividades culturais e com a proximidade do evento. Dos segmentos analisados, o cinema é o mais frequentado: 68% disseram ter costume de assistir filmes na tela grande.

Foto: Pipocas Clube.Foto: Pipocas Clube.Já as bibliotecas são as menos prestigiadas: 65% afirma não frequentar os locais e apenas 5% vai ao local pelo menos uma vez por mês. Além disso, seis em cada dez paulistanos leram ou começaram a ler um livro nos últimos meses.

Desigualdade de acesso à cultura em números 

Os resultados da pesquisa “Viver em São Paulo: Cultura” foram apresentados por Patrícia Pavanelli, diretora de contas do Ibope Inteligência. 

De acordo com o levantamento, apenas 17% dos paulistanos frequentam (pelo menos, uma vez ao ano) todas as seis atividades e espaços mencionados no levantamento: cinemas, centros culturais, shows, museus, teatros e bibliotecas.

Entre os segmentos predominantes entre os que mais frequentam todas as atividades culturais relacionadas estão: os mais escolarizados, com renda familiar acima de cinco salários mínimos e brancos. 

Por outro lado, quase 1/4 da população (24%) não usufruiu de nenhum desses equipamentos. 

Nesse grupo predominam: os menos escolarizados, com renda familiar de até dois salários mínimos, pretos e pardos. 

“Escolaridade, classe social, renda e raça são as variáveis que diferenciam o perfil daqueles que frequentam todas e nenhuma das atividades avaliadas”, concluiu a diretora de contas do Ibope Inteligência. 

Show da Virada Cultural de 2017 no centro de São Paulo. Foto: Divulgação.Show da Virada Cultural de 2017 no centro de São Paulo. Foto: Divulgação.

A grande maioria dos paulistanos já frequentou algum evento público gratuito na cidade. A Rede Nossa São Paulo mostra que 76% estiveram presentes em eventos como a Virada Cultural ou no Carnaval de rua.

Entre os 24% que não frequentaram, a falta de segurança e as multidões são os fatores que mais desmotivam a participação. 

Confira aqui a apresentação da pesquisa.

Confira aqui a pesquisa completa.  

***
Fonte: Rede Nossa São Paulo.



-->