'Dedo Verde na Escola': livro narra alfabetização ecológica em escolas de São Paulo - São Paulo São

Amoreira, pitangueira, laranjeira, limoeiro, goiabeira, jaboticabeira, pés de mexerica e acerola dividem com uma horta de ervas e um jardim de flores 4,5 mil metros quadrados de área verde no bairro da Lapa, em São Paulo. O local testemunha uma iniciativa bem-sucedida de educação ecológica.

Lá funciona a Emei (Escola Municipal de Educação Infantil) Dona Leopoldina, uma referência na área, que fez parte do projeto "Dedo Verde na Escola ­ Cultivando a Alfabetização Eco­lógica na Educação Infantil", entre 2009 e 2012.

O projeto terminou, mas a escola incorporou a educação ecológica e as práticas com os alunos que permitem a manutenção das iniciativas de plantio, cultivo, estudos e de atividades ao ar livre. Além disso, a escola organiza a coleta seletiva de recicláveis, tem composteira, minhocário, um sistema de captação de água da chuva e nas salas de aula os alunos aprendem ciências com terrários, aquários e um borboletário. As crianças aprendem a cuidar na natureza como algo simples e cotidiano.

A experiência da implantação do projeto virou livro, escrito por Monica Pilz Borba, pedagoga e educadora ambiental, fundadora do Instituto 5 Elementos e criadora do programa. Monica coordena atualmente o projeto EcoAtivos, do Programa Criança e Consumo do Instituto Alana, que apoia a formação em educação para a sustentabilidade de 2.500 professores de 500 escolas nas cinco regiões brasileiras.

Antes do projeto, conta Monica, as escolas não aproveitavam grandes áreas livres de que dispunham para nenhuma atividade. Foto: Divulgação.Antes do projeto, conta Monica, as escolas não aproveitavam grandes áreas livres de que dispunham para nenhuma atividade. Foto: Divulgação.

"Dedo Verde na Escola - Cultivando a Alfabetização Ecológica na Educação Infantil", lançado no dia 8 de agosto, quinta, em São Paulo, relata o processo de transformação desta escola e também de outra escola municipal da Lapa, a Ricardo Gonçalves.

Antes do projeto, conta Monica, as escolas não aproveitavam grandes áreas livres de que dispunham para nenhuma atividade. "Quando cheguei na Dona Leopoldina, fiquei em estado de choque ao ver uma escola com uma área enorme, mas abandonada. Nenhum incentivo ao brincar com a natureza. Para evitar formigas e outros insetos, a escola era frequentemente dedetizada." "Em uma área cimentada e sombreada, forrada de tapete verde imitando grama, os alunos passavam o recreio", escreve.

O projeto trouxe as atividades ecológicas para o dia a dia das crianças, acompanhado de discussões e leituras sobre água e qualidade de vida, segurança alimentar e nutrição, preservação de recursos naturais, uso de energias renováveis e limpas e gestão de resíduos, entre outros temas.

Indicado para educadores e interessados em desenvolver programas em unidades de ensino, o livro apresenta a metodologia e as dinâmicas do projeto ­mutirões, oficinas ­ utilizadas nas duas escolas para engajar professores, funcionários, crianças, pais e mães de alunos. "Desejo que esta leitura possa inspirar a desenvolver projetos similares nas escolas", escreve Mônica na apresentação do livro.

Para quem quiser complementar a leitura com um manual prático com dicas sobre tipos de ferramentas, épocas de plantio e colheita, tipos de plantas e consórcios a própria Mônica indica o livro "Horta Escolar", com textos de Amanda Frug, Bruno Helvécio, Lucas Ciola e Peter Webb. Também fruto de uma experiência em escolas que mantêm hortas e práticas de ensino ao ar livre, o livro está disponível online.

Serviço

Dedo Verde na Escola - Cultivando a Alfabetização Ecológica na Educação Infantil.
Autora Mônica Pilz Borba.
Editora Appris Ltda.
Preço 38,00.

***
Mara Gama é jornalista com especialização em design, roteirista e consultora de qualidade de texto. *Artigo publicado originalmente em seu blog na Folha de S.Paulo.