Pesquisa mostra que 1/3 da população paulistana não frequentou equipamento cultural no ano passado - São Paulo São

Biblioteca Pública Roberto Santos, que fica no bairro do Ipiranga, na Zona Sul de São Paulo. Foto: Sylvia Masini/Secretaria Municipal de Cultura de São PauloBiblioteca Pública Roberto Santos, que fica no bairro do Ipiranga, na Zona Sul de São Paulo. Foto: Sylvia Masini/Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo

Mais de um quarto dos paulistanos acima de 16 anos não frequentou nenhuma atividade cultural nos últimos 12 meses, segundo pesquisa realizada pela Rede Nossa São Paulo e Ibope Inteligência e divulgada nesta última terça-feira (9).

De acordo com o levantamento, 28% dos paulistanos - o que representa 2,7 milhões de pessoas - não tiveram acesso no período a nenhuma das 11 atividades listadas: cinema, festas populares, shows, feiras de artesanato, centros culturais, bibliotecas, museus, teatros, espetáculos de dança, concertos e saraus/slams.

Dentre os que frequentaram alguma atividade cultural, a única indicada por mais da metade dos entrevistados foi o cinema, com 55%. Em seguida estão festas populares e shows, com 34% e 30%, respectivamente.

Pelo segundo ano consecutivo na pesquisa, o motivo que mais levaria o entrevistado a frequentar atividades culturais seriam os preços mais acessíveis, fator citado por 42% das pessoas. A proximidade de casa é o elemento que mais cresceu quando comparados os resultados entre os anos, subindo de 20% para 25%.

A pesquisa revela que existe uma grande demanda na cidade por atividades culturais. No entanto, quase um terço de munícipes não frequenta nenhuma atividade, sendo este grupo composto por pessoas mais velhas, mais pobres, menos escolarizadas e autodeclaradas pretas e pardas”, afirma o gestor da Nossa São Paulo, Américo Sampaio, em análise da pesquisa.

Eventos públicos gratuitos

Também foi perguntado aos entrevistados se eles costumam frequentar eventos públicos gratuitos promovidos pela Prefeitura, como carnaval, virada cultural e festa da virada no réveillon. Foi constatada alta adesão, com 78% de respostas afirmativas.

O principal motivo apontado pelos que não frequentam esses eventos foi a falta de segurança. O número passou de 46% no ano passado para 57% neste ano.

“Como alternativas para estimular a população a frequentar essas atividades, a pesquisa mostra que reduzir os preços e descentralizar são o melhor caminho, ou pelo menos os que teriam maior impacto para a população passar a ir mais a atividades culturais”, diz Sampaio.

Hábitos de leitura

Chama atenção no levantamento o fato de que quatro em cada dez paulistanos declararam que não leram nenhum livro nos últimos três meses. Os 42% dos entrevistados correspondem a 4,1 milhões de pessoas.

Aproximadamente dois terços dos entrevistados que declaram que não leram nenhum livro afirmaram que o motivo é porque não gostam de ler ou não têm o hábito da leitura (34%). A falta de tempo também foi bastante citada, com 32%.

Perfil do entrevistado

Na pesquisa “Viver em São Paulo: Cultura” foram entrevistadas 800 pessoas acima de 16 anos entre os dias 4 e 21 de dezembro de 2018. Entre os consultados, 53% são mulheres e 47% homens.

A renda vai até dois salários mínimos para 36% dos entrevistados, de dois a cinco salários para 30% e mais de cinco para 24%. Do total, 51% se declararam brancos, 46% pardos ou pretos e 3% outros.

A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

***
Fontes: G1 / SP e Rede Nossa São Paulo.