'Os Trabalhadores e os 100 anos do Samba' em mega exposição na Avenida Paulista - São Paulo São


A Avenida Paulista deu passagem aos bambas do samba brasileiro: foi inaugurada a exposição fotográfica Os Trabalhadores e os 100 Anos do Samba, na manhã do último domingo, 1º de maio, em frente ao Conjunto Nacional, em São Paulo. A mostra faz parte da comemoração do Dia Internacional dos Trabalhadores promovida pela União Geral dos Trabalhadores (UGT). Estão expostos 30 mega painéis, de 4m x 3m, comfotografias de grandes expoentes do samba e de momentos históricos em que o ritmo contribuiu de forma decisiva para traçar novos caminhos para o trabalhador brasileiro. A bateria da escola de samba Nenê de Vila Matilde animou quem passava para prestigiar a exposição que fica em cartaz até o dia 30 de maio.

Estiveram presentes no descerramento dos painéis o presidente do Sindicato dos Comerciários de São Paulo e da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah; o secretário de Organização e Políticas Sindicas da UGT e presidente do Sindicato dos Padeiros de SP, Francisco Pereira, o Chiquinho; o secretário Municipal de Promoção da Igualdade Racial, Maurício Pestana; entre outras autoridades e lideranças da UGT. Para Ricardo Patah, esse é o momento ideal de homenagear o ritmo genuinamente brasileiro. “Inauguramos a exposição valorizando a cultura de nosso país. Através do samba, são expressos os sentimentos do trabalhador, a sua luta e suas dificuldades. O ritmo foi fundamental para contar a história do povo. Temos certeza de que a UGT fez uma comemoração de 1º de Maio de luta: trazemos para os trabalhadores e trabalhadoras exemplos de que ficaram marcados na história”, declarou.

“Essa é uma forma de valorizar o trabalhador através da música e, principalmente, do samba. Esses são exemplos de luta e que devem servir de exemplo em um momento de crise como o que estamos passando hoje. Muitos sambistas que fazem parte da mostra falavam de liberdade nas suas músicas em uma época que esse era um assunto quase proibido. São exemplos para os trabalhadores”, endossou Chiquinho. De acordo com Maurício Pestana, o samba é símbolo de luta desde a sua existência. “O ritmo é o símbolo do Brasil dentro e fora do país. A economia do entretenimento, principalmente do samba, emprega milhões de trabalhadores e trabalhadoras. Muitas famílias sobrevivem graças a ele, então nada melhor do que homenageá-lo neste 1º de Maio. Estamos muito felizes em fazer parte dessa exposição”, disse.

Foto: Fernando Costa Netto.

A exposição

Quem passar pela Avenida Paulista, da rua Augusta até a Pamplona, por onde transitam 1,5 milhão de pessoas por dia, segundo o Instituto Data Popular, irá se deparar com mega painéis com grandes nomes do samba, como Adoniran Barbosa, Clara Nunes, Nelson Cavaquinho, Zé Keti, Pixinguinha, Dona Ivone Lara, Jorge Aragão, Chico Buarque, Donga, Noel Rosa, Tia Ciata, Jair Rodrigues, Clementina de Jesus, Martinho da Vila, Jackson do Pandeiro, Elza Soares, Aldir Blanc, Nara Leão, Paulo Vanzolini, Cartola, Wilson Batista, Eduardo Gudin, Nelson Sargento, Lupicínio Rodrigues, Ataulfo Alves, Renato Sorriso, o gari sambista do Rio de Janeiro, e também de momentos únicos do ritmo tão brasileiro. A produção da exposição é da Maná Produções e Eventos. Já a pesquisa da mostra ficou a cargo do jornalista Celso de Campos Jr – autor da biografia de Adoniran Barbosa – e a seleção de fotos da DOC Galeria, escritório de fotografia, dos sócios Fernando Costa Netto e Mônica Maia. A exposição tem apoio da Prefeitura de São Paulo e patrocínio do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT) – 40 anos e Caixa Econômica Federal.

Foto: Fernando Costa Netto.

Programação

E aos domingos também serão de samba no pé. Vários grupos de samba irão se apresentar aos domingos, na Avenida Paulista, saudando esses importantes nomes da música brasileira. Já estão confirmados a cantora Adriana Moreira, que desde criança tem contato com o ritmo dos bambas e já fez parte de vários projetos ligados ao ritmo, e Chocolate, no dia 8, a partir das 14h; no dia 15, também às 14h, a animação ficará a cargo de Dayse do Banjo e Amigas do Samba, uma roda de mulheres que busca incentivar e incluir a participação da mulher no samba; e no dia 22 haverá a bateria da escola de samba X9 Paulistana.

A população pode fazer parte da exposição postando fotos nas redes sociais com a hashtag: #UGT100anosdosamba.

Serviço

Exposição 1º de Maio – Os Trabalhadores e os 100 Anos do Samba.
Quando: Até o dia 30 de maio.
Onde: Avenida Paulista – São Paulo.

***
Informações: Fair Play Comunicação – Antonio Junior / Samantha Oliveira.

 



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio