IMS Paulista recebe retrospectiva de desenhos do genial Millôr Fernandes - São Paulo São

Millôr: obra gráfica reúne 500 originais de um artista de difícil classificação. 'Corrosão', 1975. Acervo Millôr Fernandes / Instituto Moreira Sallles.Millôr: obra gráfica reúne 500 originais de um artista de difícil classificação. 'Corrosão', 1975. Acervo Millôr Fernandes / Instituto Moreira Sallles.

Millôr: obra gráfica, exposição que inaugura no dia 18 de setembro, no Instituto Moreira Salles de São Paulo, é a primeira retrospectiva dedicada aos desenhos do humorista, dramaturgo e tradutor. Em 500 originais, os curadores Cássio Loredano, Julia Kovensky e Paulo Roberto Pires mapeiam os principais temas que estiveram presentes ao longo de 70 anos de produção do artista.

Desenho, 1973. Nanquim, hidrocor e ecoline sobre cartão, 8,9 x 22,1 cm. Acervo Millôr Fernandes / Instituto Moreira SalllesDesenho, 1973. Nanquim, hidrocor e ecoline sobre cartão, 8,9 x 22,1 cm. Acervo Millôr Fernandes / Instituto Moreira Sallles

No dia da abertura (18), a atriz Maria Manoella e o escritor Antonio Prata lerão uma antologia dos temas mais caros ao humorista: vida, morte, escrita, sexo e a paixão ambígua pelo Brasil e suas misérias. A leitura acontece às 18h, na Praça do centro cultural. Por ocasião da exposição, o IMS Paulista também oferece um curso sobre a produção gráfica de Millôr. Ministradas pelo ilustrador Daniel Bueno, as aulas acontecem nos dias 4, 11, 18 e 25 de outubro (mais informações no serviço).

Desenho,1974. Nanquim, crayon, aquarela e ecoline sobre cartão, 26,5 x 39 cm. Acervo Millôr Fernandes / Instituto Moreira Sallles.Desenho,1974. Nanquim, crayon, aquarela e ecoline sobre cartão, 26,5 x 39 cm. Acervo Millôr Fernandes / Instituto Moreira Sallles.

Ao ganhar as galerias, os desenhos de Millôr, feitos principalmente para serem publicados na imprensa, revelam a força e a complexidade de uma obra fundamental para a arte brasileira. Acompanha a mostra um livro que, além de reproduzir os originais, traz ensaios críticos e uma cronologia de vida e obra do artista.

A mostra divide em cinco grandes conjuntos a obra gráfica de Millôr, dos autorretratos à crítica implacável da vida brasileira, passando pelas relações humanas, o prazer de desenhar e a imensa e importante produção do “Pif-Paf”, seção que manteve na revista O Cruzeiro entre 1945 e 1963. O acervo de Millôr, que reúne mais de seis mil desenhos e seu arquivo pessoal, está sob a guarda do IMS desde 2013.

Os grandes conjuntos

Desenho, 1992. Colagem, hidrocor e corretor sobre papel, 32,9 x 21,6 cm. Acervo Millôr Fernandes / Instituto Moreira Salles.Desenho, 1992. Colagem, hidrocor e corretor sobre papel, 32,9 x 21,6 cm. Acervo Millôr Fernandes / Instituto Moreira Salles.

“Millôr por Millôr” traz os desenhos em que o artista encontra-se consigo mesmo. Personagem inventado pelo cidadão Milton Viola Fernandes, Millôr é um desses casos em que criador e criatura tornam-se uma coisa só, com a liberdade de referir-se a si mesmo na terceira pessoa: “Millôr isto”, “Millôr aquilo”, “Millôr avisa”, “Millôr tem razão” etc. Essa parte da exposição apresenta uma coleção de autorretratos e variações do seu próprio nome.

'Parada', 1962.Acervo Millôr Fernandes / Instituto Moreira Sallles.'Parada', 1962.Acervo Millôr Fernandes / Instituto Moreira Sallles.“Pif-Paf, o laboratório” mostra seu primeiro grande trabalho como colunista da revista O Cruzeiro, onde trabalhou de 1945 a 1963. No início da coluna “Pif-Paf”, embrião de tudo o que faria ao longo da sua longeva carreira, Millôr apenas escrevia o texto, ilustrado pelo cartunista Péricles. Pouco tempo depois, assumiria o trabalho todo, texto e desenho. Neste núcleo, estarão expostos os leiautes preparados para a coluna junto com as páginas impressas, para permitir que o visitante conheça o processo jornalístico.

Desenho, 1967. Nanquim, ecoline e grafite sobre cartão, 22,4 x 24,3 cm. Acervo Millôr Fernandes / Instituto Moreira Salles.Desenho, 1967. Nanquim, ecoline e grafite sobre cartão, 22,4 x 24,3 cm. Acervo Millôr Fernandes / Instituto Moreira Salles.

Em “Brasil” e em “Condição humana”, Millôr percorre a vida do país e dos brasileiros tratando com seu humor característico, ácido, desde as grandes questões da política e da economia até os embates cotidianos do homem com a morte, o casamento e a vida familiar. As obras serão apresentadas em seus suportes originais, com anotações e imperfeições que o flagram no ato de criação e, ao mesmo tempo, não o sacralizam. Millôr é apresentado de forma plena, e seu trabalho, da maneira como melhor o entendia: impresso, sobretudo em jornais e revistas.

O último núcleo, “À mão livre”, traz seus exercícios essencialmente visuais, que revelam a primazia e o prazer do olhar. Céus, sóis, cães e gatos, ratos como cobaias, peixes, galinhas, uma dezena delas...

Millôr: obra gráfica, exposição e livro, propõe uma visão de conjunto sobre uma obra que, de forma fragmentada, fez e faz parte da vida dos brasileiros.

Desenho, s.d. Nanquim, aguada de nanquim, ecoline e grafite sobre cartão, 22,8 x 28,1 cm. Acervo Millôr Fernandes / Instituto Moreira Salles.Desenho, s.d. Nanquim, aguada de nanquim, ecoline e grafite sobre cartão, 22,8 x 28,1 cm. Acervo Millôr Fernandes / Instituto Moreira Salles.Serviço

Millôr: obra gráfica.
Curadoria: Cássio Loredano, Julia Kovensky e Paulo Roberto Pires.
Abertura: 18 de setembro, 18h.
Visitação: de 19 de setembro a 27 de janeiro.

IMS Paulista
Avenida Paulista, 2424 - São Paulo.
Horário de funcionamento: de terça a domingo e feriados (exceto segunda), das 10h às 20h. Nas quintas, até as 22h.
Tel.: 11 2842-9120
[email protected]

Galeria 1

No dia da abertura, às 18h, a atriz Maria Manoella e o escritor Antonio Prata lerão uma antologia dos temas mais caros a Millôr: vida, morte, escrita, sexo e a paixão ambígua pelo Brasil e suas misérias. O evento acontece na Praça do IMS Paulista e é sujeito a lotação.
No dia de abertura, o horário de visitação das galerias do IMS Paulista será estendido até as 22h.

Curso – Millôr desenhista: trajetória e contexto, com Daniel Bueno

4, 11, 18 e 25 de outubro.
Quintas, das 19h às 21h.
Valor: R$ 200 (inteira) e R$ 100 (meia).
Inscrições até 4/10 no site Eventbrite: https://goo.gl/qmZ4Vy

***
Com informações do Instituto Moreira Salles.



-->