Mostra inédita do modernista Paul Klee chega a São Paulo com mais de 100 obras - São Paulo São

Obra da exposição 'Paul Klee – Equilíbrio Instável'. Imagem: Fondation Beyeler, Riehen/Base.Obra da exposição 'Paul Klee – Equilíbrio Instável'. Imagem: Fondation Beyeler, Riehen/Base.

Pela primeira vez na América Latina, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) reúne, em uma mesma exposição, mais de 100 obras do artista suíço Paulo Klee (1879-1940), que, apesar de ter experimentado com diversos movimentos de vanguarda europeia, nunca se enquadrou em um estilo em particular.

A mostra 'Paul Klee – Equilíbrio Instável', que passará por São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte ao longo de 2019, contará com pinturas, papéis, gravuras, fantoches e objetos pessoais de Klee. Em São Paulo, acontece entre os dias 13 de fevereiro e 29 de abril. 

Tela 'Harmonie der noerdlichen Flora' (1927) Foto: DivulgaçãoTela 'Harmonie der noerdlichen Flora' (1927) Foto: Divulgação

Suíço, filho de pai alemão, Klee transitou com notável desenvoltura por diversos estilos. Experimentou o Cubismo, o Expressionismo, o Construtivismo e o Surrealismo. Seu trabalho único e o talento como desenhista permitiram a Klee alcançar uma expressão pictórica própria, reforçando seu papel central na história moderna da arte.

Em todas as suas fases o tema se submete à forma, sem que o artista se limite, contudo, unicamente a ela: coloca em questão o tempo e o espaço, encontrando-os um no outro e transcrevendo-os na orquestração rítmica das linhas e dos mosaicos que elas geram.

Tela 'Tempelgärten' (1920). Foto: The Berggruen Klee Collection / Metropolitan Museum of Art.Tela 'Tempelgärten' (1920). Foto: The Berggruen Klee Collection / Metropolitan Museum of Art.

Além disso, conviveu com grandes artistas como Pablo Picasso e deu aulas na Bauhaus, na Alemanha, a primeira escola de design do mundo. O legado do artista, composto por mais de quatro mil obras, está hoje no Zentrum Paul Klee, museu construído em 2005 pelo Arquiteto Renzo Piano, em Berna, na Suíça.

Em Paul Klee a arte está ligada mais à essência do que à aparência das coisas. Portanto, a arte não representa o mundo, mas o apresenta, sendo o artista o elo entre o ser interior e o mundo que o envolve. 

A exposição 'Paul Klee – Equilíbrio Instável'

'Insula dulcamara', de Paul Klee, exposto em Berna, na Suíça Foto: Ruben Sprich RS/CR/AA / Reuters.'Insula dulcamara', de Paul Klee, exposto em Berna, na Suíça Foto: Ruben Sprich RS/CR/AA / Reuters.

Preparada especialmente para o público brasileiro, a exposição conta com 16 pinturas, 39 papéis, 5 gravuras, 5 fantoches e 58 desenhos, além de objetos pessoais do artista. Klee transitou por diversos estilos, mas não cabe atribuir ao seu legado artístico nenhum em particular, tendo alcançado uma notável expressão pictórica própria, que reforçou seu papel central na história moderna da arte. A curadoria é de Fabienne Eggelhöfer, do Zentrum Paul Klee, de Berna, na Suíça.  

Serviço

Paul Klee em foto de 1921. Foto: Expedò / Reprodução.Paul Klee em foto de 1921. Foto: Expedò / Reprodução.'Paul Klee – Equilíbrio Instável'
De 13/02 a 29/04
De quarta a segunda, das 9h às 21h
CCBB SP: Rua Álvares Penteado, 112, Centro, SP.
Telefone (11) 3113-3651.
Entrada franca.

Visitação com hora agendada

Opção de visitação com hora agendada pelo aplicativo “Eventim” (Apple Store e Google Play) e em culturabancodobrasil.com.br ou na bilheteria do CCBB, mediante disponibilidade.

***
Da Redação com informações CCBB / SP.