Exposições mostram o luxo e o underground para costurar uma crônica de época através de imagens - São Paulo São

"Cena" do fotógrafo Paulo D’Alessandro."Cena" do fotógrafo Paulo D’Alessandro.

A Casa da Imagem, instituição vinculada ao Museu da Cidade de São Paulo e à Secretaria Municipal de Cultura recebe exposições individuais que traçam o perfil e desnudam as idiossincrasias de dois núcleos bem distintos do corpo social.

Enquanto “Não Oficial”, do fotógrafo Paulo D’Alessandro, com curadoria de Henrique Siqueira e Monica Caldiron, retrata cenas extraídas das festas, eventos e viagens da alta sociedade, seus salões privativos, trajes  e toda a pompa envolvida , “Cara, Corpo, Voz!” de Cláudia Guimarães, com curadoria de Eder Chiodetto e Erika Palomino, vem, muito antes dos “selfies” e “stories”,  representar com grande intimidade a cultura underground da cidade de São Paulo, que estava em seu entorno, com suas drags, travestis, clubbers e outros personagens influenciadores da moda e música, através do PROAC/2018. 

"E la nave va" em foto de Expo Paulo D'Alessandro."E la nave va" em foto de Expo Paulo D'Alessandro.

Desde a década de 1990, após período em que morou na Espanha, como fotógrafo documentarista, Paulo D’Alessandro teve acesso ao universo celebrativo da sociedade paulistana. Grande parte das 42 obras expostas é resultado da situação privilegiada de interação com os organizadores e convidados, registrando também, com fino humor e sagacidade, os bastidores não oficiais que contribuem para relatar o ambiente de requinte da cidade.

O estilista Alexandre Herchcovitch em foto de Claudia Guimarães.O estilista Alexandre Herchcovitch em foto de Claudia Guimarães.

Em contraste a este universo está Claudia Guimarães, através de 40 fotos extraídas dos seus 25 anos de carreira, nominando sua mostra com uma gíria resgatada dos anos 90, “Cara, Corpo, Voz!”, expressão usada quando uma drag queen chegava na boate, que ganha um sentido político neste momento. Revistos com o distanciamento de alguns anos, os registros podem ser considerados uma crônica visual do cotidiano da autora e das gerações na cidade de São Paulo entre os anos de 1996, 2000, até os dias atuais. Suas fotos falam de gênero, liberdade sexual, nudez como direito e o corpo como política de resistência.

Andrea de Maio na Exposição de Claudia Guimarães.Andrea de Maio na Exposição de Claudia Guimarães.

As exposições reforçam a linha de programação de 2019 da Casa da Imagem, estruturada no binômio comportamento/costume e, através de dois olhares bastante diferentes conseguem apresentar recortes repletos de possibilidades de diálogos e semelhanças entre si.

Serviço

“Não Oficial”, de Paulo D’Alessandro. 
“Cara, Corpo, Voz! de Claudia Guimarães. 

Local: Casa da Imagem
Quando:  de 13 de julho a 13 de outubro de 2019.
Terças a domingos, das 9h às 17h Entrada franca, serviço educativo disponível.
Endereço: Rua Roberto Simonsen, 136-B  Sé – São Paulo-SP.
www.museudacidade.prefeitura.sp.gov.br

***
Com informações da Vicente Negrão Assessoria.



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio