#MinhaMensagem: 11ª Virada Sustentável acontece em formato híbrido e traz mensagens para o mundo pós-pandemia - São Paulo São

 

A exposição “Sem Saída”, de Andy Singer, ocupa a Estação Tatuapé. Foto: Matheus Sandes.A exposição “Sem Saída”, de Andy Singer, ocupa a Estação Tatuapé. Foto: Matheus Sandes.

Entre os dias 2 e 22 de setembro ocorre a 11ª Virada Sustentável na capital paulista. Neste ano,  #MinhaMensagem é o tema norteador do maior festival de sustentabilidade do país, que traz mensagens importantes sobre este momento de construção coletiva para o futuro pós-pandemia. O tema permeia toda a programação do evento, que é gratuita e repete o modelo híbrido experienciado na edição de 2020.

As 100 frases da campanha foram elaboradas por 100 organizações de diversos setores da sociedade civil. As mensagens se conectam com os shows, apresentações artísticas e intervenções urbanas, e também estarão estampadas em mobiliário urbano, escadas de estações do Metrô, empenas de prédios e escolas distribuídos por várias regiões de São Paulo. “Nessa Virada, a cidade é nosso mural. Nosso objetivo é alcançar toda a população com mensagens positivas e de reflexão para que possamos sair da pandemia com um pensamento voltado à sustentabilidade”, conta André Palhano, um dos fundadores da Virada Sustentável. 

O economista Jeffrey Sachs traz mensagens para o futuro pós-pandemia no Fórum Virada Sustentável. Foto: Getty Images.O economista Jeffrey Sachs traz mensagens para o futuro pós-pandemia no Fórum Virada Sustentável. Foto: Getty Images.

Durante todo o festival, mais de 400 pontos da cidade estarão com as frases da campanha #MinhaMensagem, reforçando os conceitos de sustentabilidade em sua amplitude. Os cidadãos paulistanos serão impactados com esta ação, que estará presente nos pontos de ônibus, em grandes aplicações nas escadas de 18 estações do Metrô, além de projeções mapeadas em grandes empenas de prédios localizados em pontos centrais da cidade. Para Mariana Amaral, a campanha #MinhaMensagem é de utilidade pública: “estamos dando voz para várias organizações da sociedade civil, que nos trazem recados extremamente importantes sobre como podemos pensar o futuro pós-pandemia”.

Além das intervenções nas escadas, de 2 a 22 de setembro, dez estações do Metrô (Vila Prudente, Jabaquara, Sé, Tucuruvi, Paraíso, Barra Funda, República, Tatuapé, Clínicas e São Mateus) serão pontos de coleta de eletroeletrônicos e pilhas. A população poderá descartar  produtos de pequeno e médio porte, como: computadores, celulares, cabos, carregadores, pilhas alcalinas, secadores de cabelo, console de videogame, que ganharão destino adequado no ciclo da reciclagem.

Gal Costa e Lenine estão na programação do Festival. Foto: Julia Rodrigues.Gal Costa e Lenine estão na programação do Festival. Foto: Julia Rodrigues.

Ainda no Metrô, a Virada Sustentável leva a exposição “Sem Saída”, do cartunista estadunidense Andy Singer, para a estação Tatuapé, uma das estações de maior fluxo da cidade de São Paulo. Em seus cartoons, Singer traz uma reflexão sobre a mobilidade urbana. A exposição poderá ser vista durante todo o período da Virada Sustentável. Nas estações Paraíso, Luz, Sacomã e Brás, a exposição Embalagem Parade mostra como caixinhas tipo “longa vida” usadas podem ganhar utilidade depois de passarem por coleta seletiva.

O festival traz shows de Gal Costa e Lenine integrando sua programação musical, que acontecerá em formato de live e com público presencial limitado no Teatro Sérgio Cardoso. Para o público infantil, estão programadas lives dos shows Zozó Zureta, apresentado por  Zeca Baleiro e Banda; e Grupo Triii, que convida Palhaça Rubra. Os shows também apresentam intervenções da campanha #MinhaMensagem.

A Virada Sustentável ocupa o Centro Cultural São Paulo (CCSP) com uma intensa programação. Com mais de 50 atividades, o festival leva mostras de teatro infantil, circo, dança, performances, música instrumental, contações de história, exposições e iniciativas de promoção de bem-estar aos vários espaços do CCSP.  A capacidade de público está condicionada às normas sanitárias vigentes no dia.

“Um Canto Para Carolina”, espetáculo inspirado em “Quarto de Despejo”, de Carolina Maria de Jesus, acontece no CCSP no dia 05, às 20h.  Foto:: André Hoff. “Um Canto Para Carolina”, espetáculo inspirado em “Quarto de Despejo”, de Carolina Maria de Jesus, acontece no CCSP no dia 05, às 20h. Foto:: André Hoff.

Dentre os destaques estão o premiado espetáculo Água Doce, interpretado pela Cia da Tribo; “Um Canto Para Carolina”, espetáculo da  Cia. dos Inventivos, inspirado em “Quarto de Despejo”, livro escrito por Carolina Maria de Jesus. O escritor Daniel Munduruku participa da Mostra de Contação de Histórias apresentando o mundo indígena por meio de música, danças e histórias. Já a Mostra de Música Instrumental promove o Pic Nic Jazz ao Pôr do Sol no Jardim Suspenso do centro cultural. O grupo Zumb.boys traz o hip hop para a Mostra de Dança no espetáculo Dança por Correio.  Já a temática da diversidade está presente nos espetáculos Performance Poética TRANScrevendo Arte e Vozes da TRANSformação, que integram a Mostra de Performances.

Os Centros Educacionais Unificados (CEUs) participam da Virada Sustentável em ação realizada em parceria com Instagrafite, em que 7 grandes empenas serão grafitadas por 7 duplas de artistas, formadas por um artista do território da unidade e um artista convidado. Totalizando 4.882 m² de área grafitada, estas obras são interligadas aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável elencados pela ONU. Alguns artistas e coletivos que estão envolvidos nesta intervenção são Linoca Souza, que será Artista Host no CEU Campo Limpo, tratando sobre diversidade, e convida AVAF, da capital paulista, para pintar a empena. Outro destaque é a intervenção feita pela Karina Kot no CEU Vila Rubi, abordando as mudanças climáticas, em parceria com o seu artista convidado, Denilson Baniwa  

A  Andarilha, espetáculo do Coletivo Rainhas do Radiador tem ingredientes de teatro, circo e humor. Foto: Ricardo Avellar.A Andarilha, espetáculo do Coletivo Rainhas do Radiador tem ingredientes de teatro, circo e humor. Foto: Ricardo Avellar.

A Virada Sustentável também fará uma doação da escultura “Broto”, do artista Jaime Prades, ao Parque do Povo. Com 7 metros de altura, a escultura de aço simboliza o ciclo da vida, como uma semente que eclode organicamente, contrastando com a paisagem urbana de São Paulo.

Para fechar a última semana do festival, pontos icônicos da cidade serão palcos de ações da campanha #MinhaMensagem, dentre eles está o Minhocão. No dia 18/09, a Ponte Estaiada recebe o balé aéreo da CIA BASE, e no dia 21/09, declarado o Dia Internacional da Paz pela ONU, ocorre o Amanhã da Paz, meditação global simultânea com a presença de mais de 300 lideranças da cultura de paz. 

Durante toda a Virada Sustentável, o Metrô, Espaço aFlora, Rotary SP, Bibliotecas públicas de São Paulo e Sesc São Paulo aderem ao festival com programação especial, destacada abaixo e disponível em: www.viradasustentavel.org.br 

Serviço

A programação completa pode ser acompanhada nos seguintes canais: 

Site: www.viradasustentavel.org.br
Instagram: @viradasustentavel
Facebook: facebook.com/viradasustentavel
Youtube: https://www.youtube.com/ViradaSustentavel

***
Com informações da Agência Lema.



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio