Limitar carros, privilegiar bicicletas: a história de Groningen, a referência holandesa em mobilidade - São Paulo São

A cidade de Groningen, localizada ao norte da Holanda, é uma referência internacional em mobilidade urbana. Com pouco mais de 200 mil habitantes, Groningen é considerada como a Capital de Ciclismo daquele país – cerca de 61% de todas as viagens na cidade são realizadas através do uso de bicicletas.

O Plano permitiu descongestionar as áreas centrais de um grande fluxo de veículos. Foto: Urban Cities.O Plano permitiu descongestionar as áreas centrais de um grande fluxo de veículos. Foto: Urban Cities.

Groningen é considerada a Capital de Ciclismo da Holanda. Foto: Getty Images.Groningen é considerada a Capital de Ciclismo da Holanda. Foto: Getty Images.

Essa mudança de mentalidade remonta à década de 70, quando as cidades holandesas começaram a ser dominadas por carros e as realidades locais foram alteradas. A tendência era realizar reformas em vizinhanças antigas que pudessem dar espaço ao deslocamento de veículos para o centro.

Membros do partido PvDA, com Van Den Berg no centro. Imagem cortesia de Karsijns e Schilt.Membros do partido PvDA, com Van Den Berg no centro. Imagem cortesia de Karsijns e Schilt.

No caso de Groningen, o caminho almejado era diferente. Max Van den Berg, um político local, surgiu com uma proposta revolucionária e que seria definitiva para a configuração atual da cidade: o Plano de Circulação de Tráfego (Traffic Circulation Plan). A princípio, houve muita resistência em relação as suas ideias, principalmente por parte das gerações mais antigas, contudo o Plano foi aprovado e colocado em prática.

Sua principal ideia consistia em dividir a área central da cidade em quatro quadrantes (conforme o mapa abaixo), proibindo os motoristas de cruzar seções. Essa condição implica sair da região central e dar a volta no anel exterior à área para poder chegar a outro quadrante.

 Fonte: Genos. Fonte: Genos.

A medida se mostrou extremamente eficaz para tornar o centro da cidade um ambiente mais agradável e atrativo para os modos ativos de transporte (caminhada e bicicletas). Viagens que de carro demoravam 12 minutos poderiam ser realizadas, através do uso da bicicleta, em somente dois minutos.

Imagem: The Urban Country.Imagem: The Urban Country.

Ou seja, além de diminuir o tempo de viagem, o Plano permitiu descongestionar as áreas centrais de um grande fluxo de veículos, promovendo segurança e conforto para aqueles que optam por formas alternativas de deslocamento na cidade.

O centro da cidade é um ambiente agradável e atrativo para caminhadas e bicicletas. Foto:The GuardianO centro da cidade é um ambiente agradável e atrativo para caminhadas e bicicletas. Foto:The Guardian

Confira o vídeo, que mostra um pouco sobre a dinâmica de mobilidade na cidade de Groningen.

***
Por Lucas Augusto no Arch Daily. Edição: São Paulo São.

 



-->