'A cidade grande deve recuperar práticas da cidade pequena, como a bicicleta e a caminhada', diz urbanista da Copenhagenize - São Paulo São

Praça Botero no centro de Medellín. Foto: Mark52 / Shutterstock.Praça Botero no centro de Medellín. Foto: Mark52 / Shutterstock.

Em entrevista ao jornal El Colombiano, o urbanista e especialista em mobilidade Mikael Colville-Andersen explicou a situação atual da mobilidade em Medellín, uma das maiores e mais influentes cidades colombianas. "Caminhar ou andar de bicicleta em Medellín é um videogame", explicou o especialista dinamarquês.

Nas principais cidades colombianas foram geradas diversas reflexões que circundam a relação entre mobilidade, cultura, política e sociedade. Neste caso, a capital da Antioquia, não é exceção para esse especialista em ciclismo e planejamento urbano que esteve pela segunda vez na cidade depois de uma visita em 2016.

Sobre o tema, Colville-Andersen analisou as mudanças que ocorreram nos últimos anos:

A transformação da cidade, com seu metrô, seus Metrocables, EnCicla e a transvia de Ayacucho, é fascinante e está sendo discutida no mundo inteiro. No entanto, essa história já acabou e o trânsito de veículos hoje é caótico. É curioso como, apesar de ter tomado frente há 20 anos, Medellín freou. 

Tranvía de Ayacucho, também conhecida como Linha T-A. Foto: John Alexander Chica Yar. Tranvía de Ayacucho, também conhecida como Linha T-A. Foto: John Alexander Chica Yar.

Mesmo assim, manifesta que em cidades como Medellín é vital redistribuir os espaços destinados aos veículos em oposição aos existentes nas ruas destinadas para pedestres e ciclistas. "Devemos ser mais democráticos na utilização das vias. Não se trata de tirar espaço dos carros, mas sim de redistribui-lo para que seja mais equitativo", comenta o especialista para o jornal colombiano.

Bicicleta Humana: agentes de trânsito desenvolvem ação pedagógica em praça de Medellín. Foto: Secretaría de Movilidad de Medellín. Bicicleta Humana: agentes de trânsito desenvolvem ação pedagógica em praça de Medellín. Foto: Secretaría de Movilidad de Medellín.

"Medellín implementou políticas para que houvesse mais equidade na sociedade e no espaço público, mas não fez a mesma coisa em relação à mobilidade", adiciona. "A cidade grande deve recuperar práticas da cidade pequena, como a bicicleta e a caminhada", aconselha Colville-Andersen.

Em sua passagem pela cidade colombiana, o especialista propõe um ponto de partida para o momento de planejar uma cidade moderna e sustentável. "No primeiro escalão da mobilidade está o veículo, logo está o transporte público e, por último, os pedestres e ciclistas. É necessário inverter a pirâmide para que o pedestre seja o rei das vias", comenta.

Urbanismo tático para humanizar a cidade. Foto: Urbano Medellín.Urbanismo tático para humanizar a cidade. Foto: Urbano Medellín.

Ps. Mikael Colville-Andersen é um urbanista canadense-dinamarquês e especialista em mobilidade urbana. Ele é o CEO da Copenhagenize Design Company, que ele fundou em 2009 em Copenhague, e trabalha com cidades e governos em todo o mundo para ajudá-los a se tornarem mais amigos das bicicletas

Veja a entrevista completa em El Colombiano (espanhol).



-->