Prefeitura de Nova York lança programa para abrigar população de sem teto em moradias permanentes - São Paulo São

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, apresentou nesta última terça-feira (17) um novo plano para fornecer, até 2024, abrigo para todos os que vivem na rua, com camas temporárias e moradias permanentes.

O The Journey Home, é um novo esforço multi-agência para toda a cidade que quer ajudar os nova-iorquinos sem-teto nos bairros. O objetivo da iniciativa é ajudar os nova-iorquinos desprotegidos a fazer a transição dos metrôs e ruas para ambientes permanentes.

A cidade calcula que quase 4.000 nova-iorquinos vivem nas ruas. Cerca de 60.000 pessoas, incluindo 21.640 crianças, ficam diariamente em um dos abrigos da maior cidade dos Estados Unidos, 10.000 a mais do que em 2013. O Departamento de Habitação dos EUA (HUD) estimou o número de pessoas sem-teto em Nova York em 78.676, em um relatório publicado em 2018.

O plano anunciado faz parte do programa Municipal Home-Stat, lançado em 2016 para melhorar o atendimento aos sem-teto em Nova York. O democrata De Blasio disse que as autoridades religiosas da cidade podem ainda colocar cinco locais adicionais a serviço do programa, oferecendo mais 1.000 camas.

O objetivo da iniciativa é ajudar os nova-iorquinos desprotegidos a fazer a transição dos metrôs e ruas para ambientes permanentes. Foto: Getty Images. O objetivo da iniciativa é ajudar os nova-iorquinos desprotegidos a fazer a transição dos metrôs e ruas para ambientes permanentes. Foto: Getty Images.

Esses são abrigos temporários, que devem ser instalados durante o próximo ano e serão adicionados aos 1.800 leitos já disponíveis no programa. O plano também prevê o fornecimento de 1.000 casas permanentes. A prefeitura também reforçou as equipes responsáveis para contatar as pessoas em situação de rua.
 
Desde os aprimoramentos iniciais anunciados em agosto de 2019, a cidade treinou 18.000 funcionários voluntários. Os funcionários são de cinco agências diferentes, incluindo: Departamento de Saneamento (DSNY), Departamento de Saúde e Higiene Mental (DOHMH), Corpo de Bombeiros (FDNY), Departamento de Edifícios (DOB) e Departamento de Parques. A cidade de Nova York também planeja contratar 180 funcionários adicionais, elevando o total para 550.

O programa também conecta indivíduos desprotegidos com sérios problemas de saúde mental a equipes de atendimento ou tratamento móvel. Foto: Michael Appleton / Mayoral Photography Office.O programa também conecta indivíduos desprotegidos com sérios problemas de saúde mental a equipes de atendimento ou tratamento móvel. Foto: Michael Appleton / Mayoral Photography Office.

Eles serão treinados sobre como usar o aplicativo 311 e todos os seus recursos para ajudar a comunidade sem-teto, como enviar solicitações de serviço a pessoas sem-teto, que serão enviadas a um Comando Central, gerenciado pelo Departamento de Serviços para Desabrigados e pela Polícia de Nova York (NYPD).

É um "plano para acabar com a vida nas ruas em Nova York de uma vez por todas", disse De Blasio em uma coletiva de imprensa. Espera-se que o plano custe aproximadamente 100 milhões de dólares por ano, segundo o prefeito. De acordo com a prefeitura, 2.450 pessoas foram tiradas das ruas, desde o início do programa Home-Stat.

***
Fonte: Metro (Inglês).

 



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio