Mobilidade acima de tudo: as mais novas estruturas de transporte público da Europa - São Paulo São

Foto: Pierre L'Excellent.Foto: Pierre L'Excellent.

Se tem algo que pode definir o espírito das cidades contemporâneas européias, este algo é a inter-conectividade. Dos sistemas de mobilidade urbana e transporte público à passarelas, calçadões e ciclovias, a conectividade do espaço urbano desempenha um papel fundamental na qualidade de vida de uma cidade. Ao longo das últimas décadas, arquitetos e urbanistas do velho continente têm se dedicado à construir cidades mais acessíveis, respeitando os tecidos históricos pré-existentes e abrindo espaço para novas tecnologias e soluções integradas de transporte urbano.

Foto: Mecanoo.Foto: Mecanoo.

Se pararmos para analisar com mais atenção os muitos projetos de mobilidade urbana inaugurados na Europa ao longo dos últimos anos, fica evidente que há uma clara tendência em construir cidades mais integradas e acessíveis. Estes novos “centros de mobilidade” englobam diferentes modais e sistemas de transporte urbano, acomodando diferentes programas arquitetônicos e restabelecendo uma série de espaços públicos que haviam sido perdidos ao longo do tempo. Os projetos que apresentaremos a seguir propõe uma análise destas estruturas, oferecendo um panorama completo das principais obras inauguradas ao longo dos últimos dez anos no continente europeu.

Praça Széll Kálmán / Építész Stúdió + Lépték-Terv

Foto: Gergely Kénez.Foto: Gergely Kénez.

O projeto da nova Praça Széll Kálmán é um projeto de reforma de uma das estações de metrô mais movimentados do centro de Budapeste e uma das praças públicas mais visitadas da capital húngara. Devido à funcionalidade do sistema de transporte público da cidade, o principal objetivo do projeto da nova Praça Széll Kálmán foi restaurar e reorganizar as estruturas existentes da antiga estação, criando um novo espaço público aberto e acessível à pedestres e ciclistas, incluindo áreas verdes e espaços de estar e convivência.

Estação Central de Roterdã / West 8 + Benthem Crouwel Architects + MVSA Architects

Foto: Jannes Linders.Foto: Jannes Linders.

A Estação Central de Roterdã é um dos principais modais de transporte público do país. Recebendo cerca de 110.000 passageiros por dia, o terminal intermodal de transporte público de Roterdã recebe tantos viajantes quanto o maior aeroporto dos países baixos, o Aeroporto Schiphol de Amsterdã. Além de conectar-se à rede européia de alta velocidade (HST), a Estação Central também está conectada ao sistema de veículos leves sobre trilhos da região metropolitana de Roterdã que inclui as cidades de Den Haag, Delft e Zoetermeer.

Cuyperspassage / Benthem Crouwel Architects

Foto: Jannes Linders.Foto: Jannes Linders.

Cuyperspassage é como é chamado o mais novo túnel da enorme Estação Central de Amsterdã, uma passagem concebida para reconectar o centro da cidade e as  margens do rio IJ. Desde a sua inauguração em 2015, o Cuyperspassage tem sido utilizado por um incontável número de pedestres e ciclistas. Em uma de suas laterais, o túnel foi revestido com mais de 80.000 azulejos Delft Blue: um verdadeiro espetáculo de arquitetura para quem visita Amsterdã.

Prefeitura e Estação de Trens de Delft / Mecanoo

Foto: Mecanoo.Foto: Mecanoo.

Quando receberam a comissão para desenvolver o projeto da Prefeitura e Estação de Trens da cidade de Delft, na Holanda, os arquitetos do Mecanoo tinham muito claro que tipo de projeto eles queriam construir. A ideia central era criar uma nova porta de entrada, um novo cartão postal para uma das mais importantes cidades dos países baixos. O edifício da estação, incorporado na estrutura da nova prefeitura, encontra-se localizado sobre o túnel do metrô construído no lugar de um antigo viaduto de concreto que dividia a cidade em duas desde 1965. Ao chegar à estação, subindo as escadas rolantes que levam à praça pública central, um enorme mapa histórico de Delft no forro da estação dá as boas vindas aos visitantes.

Estação de Metrô Løren / Arne Henriksen Arkitekter + MDH Arkitekter

Foto: Ivan Brodey.Foto: Ivan Brodey.

Løren, uma antiga zona industrial e acampamento militar, nos últimos anos surgiu como um novo e atraente bairro residencial. Para aprimorar o desenvolvimento da área foi planejada uma nova estação de metrô. A estação está a 27 metros abaixo do solo e é acessada por escadas, escadas rolantes ou elevadores nas duas entradas.

Estação Zürich / Dürig AG

Foto: Ruedi Walti.Foto: Ruedi Walti.

A nova estação subterrânea Löwenstrasse é a peça chave desta conexão férrea que atravessa a cidade. Com suas quatro linhas de trem e duas plataformas está situada abaixo das vias 4 à 9 da estação central. O limite leste da plataforma está alinhado sob o hall transversal da histórica estação central, por onde começa um túnel abaixo do Rio Limmat em direção à Oerlikon.

Porte Marguerite de Navarre / 169 architecture

Foto: Pierre L'Excellent.Foto: Pierre L'Excellent.

O projeto da Porta Marguerite de Navarre é uma instalação temporária sobre um dos acessos da estação de metrô Gare Châtelet da cidade de Paris. Através de sua estrutura leve em madeira, a instalação concebida pelos arquitetos do 169 architecture visa promover o uso e a reutilização de materiais de origem biológica.

***
Por Eric Baldwin | Traduzido por Vinicius Libardoni, no Arch Daily Brasil.



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio