Prefeitura de Paris vai transformar o Arco do Triunfo e o Champs-Élysées num 'jardim extraordinário' - São Paulo São

A obra deve custar cerca de 250 milhões de euros e só começa depois dos Jogos Olímpicos de 2024. Foto: Mark Lawson.A obra deve custar cerca de 250 milhões de euros e só começa depois dos Jogos Olímpicos de 2024. Foto: Mark Lawson.

É uma das avenidas mais icônicas do mundo e agora vai ganhar cara nova, porque a imagem estava, para os franceses muito desgastada. E para isso nada melhor do que dar-lhe “um jardim extraordinário”, nas palavras de Anne Hidalgo Prefeita de Paris que anunciou orçamento de 250 milhões de euros para renovar a zona do Arco do Triunfo e Champs-Élysées.

Porém Hidalgo disse que o projeto, revelado em 2019 por líderes comunitários e empresas locais que vai tornar a famosa avenida de 1,9 km do centro de Paris numa zona verde, não vai avançar antes de a capital francesa receber os Jogos Olímpicos de 2024.

A zona circundante do Arco do Triunfo também vai sofrer alterações. Imagem: PCA-Stream.A zona circundante do Arco do Triunfo também vai sofrer alterações. Imagem: PCA-Stream.

Segundo o The Guardian, o Comité dos Champs-Élysées quer reformular a avenida e os seus arredores de modo a reduzir o tráfego de automóvel e aumentar os espaços verdes num projeto que começou a ser planejado em 2018.

A lendária avenida perdeu seu esplendor nos últimos 30 anos. Foi progressivamente abandonada pelos parisienses e atingida por várias crises”, afirmou o Comitê. O presidente do Comitê, Jean-Noël Reinhardt, revelou que pode ser considerada uma das “avenidas mais bonitas do mundo”, mas quem lá trabalha “tem uma opinião contrária”.

O projeto foi elaborado a partir de consulta pública e apresentado em 2018. Foto: PCA-Stream.O projeto foi elaborado a partir de consulta pública e apresentado em 2018. Foto: PCA-Stream.

Espaços verdes e de convívio ao "ar livre" são prioridades da Câmara de Paris. Imagem: PCA-StreamEspaços verdes e de convívio ao "ar livre" são prioridades da Câmara de Paris. Imagem: PCA-Stream

Jean-Noël Reinhardt considerou que apesar do crescente número de turistas nos Champs-Élysées e Arco do Triunfo, os franceses consideram uma avenida “desgastada”. Numa pesquisa público sobre quais as mudanças preferenciais, os parisienses se referiram à redução de carros, menos poluição ambiental e mais espaços verdes.

O nome Champs-Élysées é francês para o mítico paraíso grego, os Campos Elísios. Originalmente, era uma mistura de pântanos e hortas familiares. André Le Nôtre, jardineiro de Luís XIV, o Rei do Sol, projetou primeiro o amplo calçadão forrado com uma fileira dupla de olmo de cada lado, chamado Grand Cours. Foi rebatizado Champs-Élysées em 1709 e ampliado, e no final do século havia se tornado um lugar popular para caminhadas e piqueniques.

Imagem: Un Jour de Plus à Paris / Reprodução.Imagem: Un Jour de Plus à Paris / Reprodução.

Paris comemorou a libertação da ocupação nazista de 1944 nos Champs-Élysées e as vitórias na Copa do Mundo ainda trazem à tona as multidões, mas seu famoso encanto se desvaneceu e é em sua maioria evitado pelos parisienses. Hoje é famosa por seus cafés caros, lojas de luxo, salas de venda de carros de luxo, aluguéis comerciais entre os mais altos do mundo e o desfile militar anual do Dia da Bastilha.

Antes da crise do Covid-19, o arquiteto Philippe Chiambaretta, cujo escritório PCA-Stream elaborou os planos de reforma, disse que dos cerca de 100.000 pedestres na avenida todos os dias, 72% eram turistas e 22% trabalhavam lá.

A prefeita Anne Hidalgo quer reduzir o tráfego automóvel na avenida. Imagem: PCA-Stream.A prefeita Anne Hidalgo quer reduzir o tráfego automóvel na avenida. Imagem: PCA-Stream.A avenida de oito faixas é utilizada por uma média de 3.000 veículos por hora, a maioria de passagem, e é mais poluída do que a movimentada estrada circular "périphérique" (periférica) ao redor da capital francesa, acrescentou ele.

Chiambaretta disse que os Champs-Élysées se tornaram um lugar que resumia os problemas enfrentados pelas cidades ao redor do mundo, "poluição, o lugar do carro, do turismo e do consumismo", e precisavam ser redesenvolvidos para serem "ecológicos, desejáveis e inclusivos".

Espera-se que as obras de remodelação custem cerca de 250 milhões de euros. Imagem: PCA-Stream.Espera-se que as obras de remodelação custem cerca de 250 milhões de euros. Imagem: PCA-Stream.Os planos também incluem o redesenho da famosa Place de la Concorde - o maior lugar de Paris - no extremo sudeste da avenida, descrita pela prefeitura como uma "prioridade municipal". Espera-se que isto seja concluído antes dos Jogos Olímpicos e o objetivo é transformar os Champs-Élysées até 2030.

Hidalgo disse ao Le Journal du Dimanche que o projeto era um dos vários destinados a transformar a cidade "antes e depois de 2024", incluindo a transformação da área ao redor da Torre Eiffel em um "parque extraordinário no coração de Paris".

***
Fonte: The Guardian.



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio