Facebook anuncia sua primeira escola de inovação e empreendedorismo mundial em São Paulo

De acordo com o Facebook , o objetivo é colaborar para o desenvolvimento do ecossistema econômico e tecnológico no Brasil. Para isso, a empresa ajudará a capacitar jovens de baixa renda com cursos de programação e fornecer recursos para pequenos e médios empresários crescerem. O espaço é planejado para incorporar elementos do DNA da “cultura hacker“ da empresa, com a premissa de que tudo pode ser aperfeiçoado de forma colaborativa. A ideia é que exista uma interação entre jovens que estiverem no espaço para aprender e as startups abrigadas por lá, gerando oportunidades de emprego.

“A tecnologia é importante principalmente para jovens que estão entrando no mercado de trabalho”, afirmou o vice-presidente do Facebook Diego Dzodan no anúncio do novo espaço. “Teremos milhares de bolsas com foco em tecnologia e empreendedorismo.“ “A Estação Hack é um investimento no futuro do Brasil. Queremos oferecer aos brasileiros que querem inovar as ferramentas para fazer isso“, completou. 

O espaço

Na avenida Paulista, número 1.374, o local fica na saída da estação Trianon-Masp do metrô. O espaço de mil metros quadrados terá três salas de aula, lounge e espaço de convivência, sala de reunião e 52 estações de trabalho para as selecionadas pelo programa de aceleração.

Serão oferecidas bolsas a mais de 7.400 jovens. As aulas serão ministradas por parceiros do Facebook. Algumas das vagas são reservadas a estudantes da rede pública de ensino.

Em parceria com a Artemisia, organização sem fins lucrativos pioneira no fomento de negócios, o Facebook deverá implementar um programa de aceleração de startups com potencial de alto impacto sobre a sociedade. A Estação Hack ainda abrigará sessões de programas de empreendedorismo e marketing digital da empresa, como o Impulsione Seu Negócio e o #ElaFazHistória, que desde 2015, já capacitaram mais de 200 mil pequenos e médios empreendedores brasileiros.

Formação

Empresa oferecerá mais de 7400 bolsas por ano neste projeto. Foto: Marco Torelli / Divulgação.

Um dos focos do espaço será de formar talentos na área da tecnologia. “Teremos um déficit de 160 mil pessoas com formação em tecnologia até 2019 no Brasil”, afirma Dzodan. Os números são do estudo Networking Skills in Latin America.

A vertente de educação do projeto pretende lutar contra esse dado. Serão 2.200 bolsas para cursos em tecnologia e outras 1.400 bolsas para workshops—além de 3.200 vagas para cursos de empreendedorismo.

Todo o trabalho será desenvolvido com parceiros. A MadCode, rede de ensino de programação, dará 1.000 bolsas de introdução à programação, por exemplo. Os parceiros do Espaço Hack são: Mastertech, MadCode, Reprograma, JuniorAchievement, Astemisia e o Centro de Empreendedorismo e Negócios da FGV.

Para mais informações sobre o Estação Hack, acesse a página oficial do espaço no Facebook.

***
Da Redação.

 

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.