Inscrições para a Competição Latino-Americana da 6ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental são prorrogadas

São aceitas obras latino-americanas e caribenhas finalizadas a partir de 2015, sem restrições quanto a gênero ou duração. Os filmes devem tratar de temáticas socioambientais como: energia, água, mudanças climáticas, consumo, cidades, povos e lugares, ativismo ambiental, resíduos sólidos, contaminação ou poluição, políticas públicas, mobilidade, alimentação, economia verde, globalização, vida selvagem, desenvolvimento sustentável, entre outras.

Os filmes selecionados concorrerão nas categorias:

Melhor Longa-Metragem Pelo Júri (filmes a partir de 60 minutos), com prêmio de R$ 15.000,00.
Melhor Curta-Metragem Pelo Júri (filmes de até 59 minutos), com prêmio de R$ 5.000,00.
Melhor Filme Pelo Público .

A critério do júri, poderão ser concedidas menções honrosas. 

A Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental é um evento anual que contribui para a difusão de importantes e premiadas obras cinematográficas raras ao público brasileiro. Através de filmes e debates, a Mostra amplia e enriquece discussões ambientais que envolvem a totalidade de nossa sociedade.

Todos os filmes inscritos serão analisados pela comissão de seleção da mostra. Os critérios de seleção terão como base as qualidades artísticas, técnicas e a relevância temática da obra. A escolha da comissão de seleção é soberana, não cabendo recurso.

A Seleção Oficial da Competição Latino-Americana será divulgada no site do festival em abril de 2017, quando todos os responsáveis pelas inscrições serão notificados via e-mail. 

Desde sua primeira edição, a Competição Latino-Americana já premiou obras da Argentina, Brasil, México, Uruguai e Venezuela, e selecionadas obras de Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai e Peru.

Em sua última edição, em junho de 2016, a Competição Latino-Americana da Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental teve como vencedores, segundo o júri oficial, “Jaci: Sete Pecados de uma Obra Amazônica” (Brasil), de Caio Cavechini e Carlos Juliano Barros, na categoria longa-metragem, e “Feito Torto pra Ficar Direito” (Brasil), de Bhig Villas Bôas, na categoria de curta-metragem. O júri concedeu também menções honrosas às produções “Dauna: O que o Rio Leva” (Venezuela), de Mario Crespo; “Ameaçados” (Brasil), de Julia Mariano; e “Sucata” (Uruguai), de Walter Tournier. Pelo voto do público foram premiados o longa “Sunú” (México), de Teresa Camou, e o curta “O Homem do Saco” (Brasil), de Carol Wachockier, Felipe Kfouri e Rafael Halpern.

Em todas as noites do evento, a Mostra promove debates que partem dos filmes exibidos e contam com a participação de especialistas, pesquisadores, críticos e convidados especiais – diretores e produtores nacionais e internacionais, que também acompanham as sessões de seus filmes para conversas com o público.

Inscrições

O regulamento, formulário de inscrição e outras informações estão disponíveis no site da Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental.

O festival é organizado pela Ecofalante, uma organização sem fins lucrativos que tem como objetivo a educação para o desenvolvimento sustentável.

Acompanhe nas redes

www.facebook.com/mostraecofalante
www.mostraecofalante.wordpress.com
www.twitter.com/mostraeco

***
Com informações de Marina Vieira / Assessoria de Comunicação.

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.