Jovialidade x Longevidade: como as diferentes fases da vida são retratadas pela mídia?

Três feras em comunicação vão se juntar para discutir como a mídia retrata a “terceira idade”: Max Petrucci, publicitário e idealizador do movimento Nova Cara da 3a Idade, Leila Reis, jornalista e colunista de TV do O Estado de S. Paulo por 16 anos, e o cineasta Olivier Perroy.
 
Um bate-papo sobre a imagem dos 60+ na publicidade, jornalismo, novelas, filmes, redes sociais e outros símbolos em contraposição à representação da juventude. 
O movimento Nova Cara da Terceira Idade, iniciado por Max Petrucci em 2012, nasceu para provocar a sociedade a repensar a imagem do idoso a partir da mudança do símbolo de acessibilidade. Nesses três anos, a comunidade cresceu (são 117 mil fãs no Facebook) e o movimento ganhou corpo. No Lab60+ 2015, propomos uma conversa aprofundada entre especialistas, e participação do público, sobre a representação do idoso em todas as mídias.
 
 
O movimento
 

A agência Garage IM foi feliz na idealização da campanha ao convocar a sociedade para repensar a imagem dos maiores de 60 anos. A ideia foi, primeiro, propor a mudança de símbolo de acessibilidade dos idosos (um velho curvado, apoiado em uma bengala e utilizado em locais públicos). Esta imagem é a que fica na cabeça da população. Mas esta imagem retrata a realidade dessas pessoas?

Não é bem assim. Em sua página do Facebook, o movimento, com 80% dos seguidores com mais de 55 anos, constata-se uma população conectada, ativa e com o firme propósito de mudar a imagem que o mundo cultivou sobre pessoas com mais de 60 anos.

Segundo o relatório da “UN Population Fund”, esta fatia da população chegará a 2 bilhões de pessoas em todo o mundo. De acordo com a PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio), foi constatado que as pessoas com mais de 60 anos arcam com, pelo menos, metade da despesa familiar em 53% dos domicílios brasileiros. E esses percentuais vão se elevando na medida em que os idosos sejam de classes mais modestas, tornando-se primordiais no sustento da família. Ainda, segundo a pesquisa, 81% se declararam independentes para as tarefas cotidianas e 64%, que costumam viajar. Ou seja, todos são consumidores ativos.

O debate vai acontecer no evento Lab 60+ na Cinemateca Brasileira e é gratuito! Inscreva-se, venha participar! 
 
Importante!
Chegue 30 minutos antes do horário de início e leve um documento de identificação com nome e foto.
Aproveite para passar o dia no Lab, teremos eventos ao longo do dia inteiro e uma praça de alimentação com food trucks!
 
 

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.