Marginal Tietê completa um ano e meio sem mortes por atropelamento

 

Foram 19 meses sem óbitos neste tipo de acidente, entre abril de 2015 e outubro de 2016. Nos 12 meses de 2014, 15 pessoas morreram atropeladas na Marginal Tietê.

A CET atribui o fato ao conjunto de iniciativas do Programa de Proteção à Vida (PPV), criado pela gestão Fernando Haddad na Prefeitura de São Paulo, especialmente a redução da velocidade máxima permitida. Em julho de 2015, as máximas passaram de 90 km/h para 70 km/h na pista expressa, de 70 km/h para 60km/h na pista central e 50 km/h na pista local.

Pouco antes do estabelecimento das novas máximas, em abril de 2015, não houve registro de atropelamentos com óbito na via. A CET explica que pelas demais medidas do PPV, voltadas para as vias adjacentes às marginais, como fiscalização de velocidade e revitalização da sinalização.

O resultado do programa também se mostrou positivo na Marginal Pinheiros, que desde a redução das máximas, em julho de 2015, teve dois atropelamentos com óbito. Um ano antes , entre julho de 2014 e junho de 2015, foram sete pedestres mortos, uma redução de 70% do número de casos.

Veículos


Os últimos dados da CET também apontam para resultados positivos na Marginal Pinheiros, quando o tipo de acidente analisado envolve exclusivamente veículos, e não pedestres.

Os doze meses que antecederam o programa, entre julho de 2014 e junho de 2015, a Marginal Pinheiros somou 22 acidentes com vítimas fatais. Um ano após o programa, entre agosto de 2015 e julho de 2016, o estudo da CET revela que a via teve 10 óbitos.

O resultado não foi tão bom para a Marginal Tietê, que nos doze meses antes do programa teve 18 acidentes com mortes e após o programa foram 21 acidentes.

Recepção

Pouco mais de um ano depois da medida, em setembro de 2016, 47% dos paulistanos se mostravam a favor da medida, 50% deles ainda se mostravam resistentes e 3% preferiram não responder ou disseram não ter opinião formada a respeito do tema.

Uma das reclamações dos motoristas está relacionada à fiscalização e à aplicação de multas. Para monitorar a regra, os radares se proliferaram – em 2013 havia 19 radares fixos nas marginais, e em 2016, o número de equipamentos foi para 86.

Quem excede a velocidade pode receber multas que variam de R$ 85,13 a R$ 574,62 e que rendem de 4 a 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Doria

A partir do dia 25 de janeiro de 2017, o limite de velocidade subirá nas marginais dos rios Pinheiros e Tietê, conforme anúncio do futuro secretário de Transportes da gestão João Doria (PSDB), Sérgio Avelleda, nesta terça-feira (20).

Na pista expressa das duas marginais o limite volta a ser 90 km/h para veículos leves, na pista central da Marginal Tietê o limite será de 70 km/h e nas pistas locais, 60 km/h. Na faixa da direita da pista local, pela qual transitam os ônibus e que permite a conversão à direita, a velocidade será mantida em 50 km/h.

Especialistas de trânsito reprovam a iniciativa da gestão Doria. O comentarista de mobilidade Sérgio Ezjenberg disse que um acidente pouco antes do horário de pico, além da morte, complica ainda mais o congestionamento.

“Se você tem um acidente às 16h, a fila se forma e até a chegada das equipes de atendimento chegam os motoristas das 17h. O horário do pico pode ser atroz”.

***
Fonte: G1 em São Paulo.

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.