Mostra inédita ‘Musicais no Cinema’ faz um panorama sobre o universo e a magia do gênero

Além dos looks de Rocketman, inclui fotografias, pôsteres, documentos de produção e uma série de depoimentos inéditos sobre os grandes clássicos do gênero, incluindo Cantando na Chuva (1952), Amor Sublime Amor (1961), La La Land (2016) e Dançando no Escuro (2000), dirigido por Lars von Trier e estrelado pela cantora Björk. Em outro espaço, uma sala de projeção imersiva exibe uma grande montagem com cenas de musicais clássicos.

As produções nacionais não ficam de fora, com uma parte da mostra dedicada especialmente a elas. Carmen Miranda é homenageada em uma área exclusiva, com direito a um turbante assinado pela chapeleira francesa Lilly Daché e usado no filme Uma Noite no Rio, de 1941, cedido pelo Museu Carmen Miranda. Vale lembrar que a icônica cantora brasileira recebeu recentemente uma homenagem no Metropolitan Musem (MET), em Nova York, na exposição dedicada ao Camp, e é até hoje um dos maiores símbolos da identidade nacional.

Carmem Miranda na comédia musical Uma Noite no Rio ('That Night in Rio', 1941) dirigida por Irving Cummings. Foto: Divulgação.

Esse setor se dedica, ainda, aos filmes feitos para o público jovem, produzidos a partir da década de 1960. A Jovem Guarda aparece representada em trechos da trilogia de filmes estrelados por Roberto Carlos e dirigidos por Roberto Farias. Quem prefere a estética new wave dos anos 1980 conferem títulos como Bete Balanço (1984), que lançou no cinema Debora Bloch; Areias Escaldantes (1985), com os Titãs e Regina Casé; e Rock Estrela (1986), com Leo Jaime, Diogo Vilela e Malu Mader.

Os visitantes mais animados podem ensaiar alguns passos de dança durante a exposição, já que o espaço redondo do MIS se transforma em uma imensa pista de dança, onde o visitante pode imitar Gene Kelly, Ginger Rogers ou John Travolta. Para ajudar nessa missão, a atriz Claudia Raia, uma das maiores estrelas dos musicais brasileiros no teatro, dá uma aula de sapateado para iniciantes, em um vídeo gravado especialmente para a exposição – além de ser a voz do audioguia que acompanha a mostra.

Bete Balanço é um filme musical de 1984 escrito e dirigido por Lael Rodrigues e estrelado por Débora Bloch. Foto: Divulgação.

A mostra ocupa os dois pavimentos expositivos do MIS e conta com uma extensa programação paralela que envolve mostras de cinema, cursos, workshops, palestras e atividades infantis.

A exposição foi concebida pelo Musée de la Musique – Philharmonie de Paris. Acesse o site da Philharmonie de Paris: https://philharmoniedeparis.fr/en
 
Serviço

Musicais no Cinema

De 13 de novembro a 16 de fevereiro, 2020
 
Horários
Terças a sábados – 10h às 20h.
Domingos e feriados – 10h às 19h.

M.I.S – Museu da Imagem e do Som
Av. Europa, 158 – Jardim Europa, São Paulo
 
A permanência no espaço expositivo é de até duas horas após o último horário.

***
Com informações do Museu da Imagem e do Som (MIS). Edição: São Paulo São.

 

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.