Negócios - São Paulo São

São Paulo São Negócios

Você está procurando um novo lugar para morar? Talvez seja a hora de ampliar a sua busca e dar uma olhadinha também nas garagens dos edifícios que está visitando. É muito provável que estas antigas estruturas para veículos se transformem na próxima menina dos olhos dos construtores e empreendedores.

Somente nos Estados Unidos, considera-se que existam mais de meio bilhão de vagas de estacionamento em um país onde a população é de apenas 326 milhões de habitantes, isso é equivalente a uma área de 6.500 quilômetros quadrados de superfície. Ainda que a tendência mais razoável seja investir em um futuro "livre de carros", estas estruturas continuam pipocando ao redor do mundo. Considerando que as nossas estruturas urbanas estão sendo desenvolvidas para abrigar um número cada vez maior de veículos automotores, como poderíamos reverter estas estruturas no momento em que a demanda começar a diminuir?

São Paulo deve ter, em breve, outro tipo de veículo circulando pelas vias da cidade e disputando a preferência dos consumidores.

O jornal O Estado de S.Paulo falou com três startups que estão em fase de testes para oferecer o aluguel de patinetes elétricos na cidade, em moldes parecidos aos serviços de bicicletas já disponíveis nas metrópoles brasileiras.

Na manhã da última quinta-feira (2/8), 500 bicicletas amarelas foram disponibilizadas para uso em ruas das regiões da Faria Lima e Vila Olímpia, em São Paulo. A ação marca o início das operações da startup Yellow, fundada por Eduardo Musa, ex-CEO da Caloi, Ariel Lambrecht e Renato Freitas - ambos fundadores do aplicativo de serviço de táxi 99.

A cidade de São Paulo é famosa por sediar os mais importantes eventos de arte urbana do país, com um público sempre engajado pelas iniciativas que trazem um novo olhar artístico para a cidade.

A partir da segunda quinzena de agosto, a exposição chega à cidade. Imagem: Reprodução.A partir da segunda quinzena de agosto, a exposição chega à cidade. Imagem: Reprodução.

E para garantir essa conexão tão subjetiva com a realidade moderna da nossa grande metrópole, surge a Happy Art Parade, uma exposição inédita que tem como ícone escolhido o Emoji.