Vivo Digital Labs: novo espaço de transformação digital é aberto em São Paulo - São Paulo São

Espaço de café com uma horta automatizada, sala de meditação, local para a prática de yoga, minigolfe e arena para eventos com 40 pessoas. Esses são alguns dos ambientes do Vivo Digital Labs, um espaço digital de 1500m2 para colaboradores da empresa, inaugurado na última segunda-feira em São Paulo. O Vivo Digital Labs é mais um passo na transformação digital da empresa e reforça o posicionamento da marca, que convida as pessoas a viver menos do mesmo e a experimentar novas possibilidades.

A área de café tem múltiplas utilidades. Foto: Maurício Grego.A área de café tem múltiplas utilidades. Foto: Maurício Grego.

“O Vivo Digital Labs é a síntese do ‘espírito de start up’ que queremos fomentar na Vivo, como parte da nossa transformação digital. Criamos um ambiente disruptivo para os nossos colaboradores que privilegia o uso de técnicas e metodologias inovadoras, estimulando agilidade, criatividade e inovação, sempre com foco em oferecer a melhor experiência para nossos clientes”, afirma Christian Gebara, Chief Operating Officer (COO) da Vivo.

O novo espaço de 1500m2 fica no prédio da Vivo na avenida Doutor Chucri Zaidan, Zona Sul de São Paulo, e é ocupado por 230 colaboradores das equipes de transformação digital da Vivo, que trabalham seguindo metodologias como agile e o lean, aplicando a abordagem design thinking. Estes colaboradores trabalham em Squads, times multidisciplinares que atuam sempre por projeto baseado nas jornadas dos clientes, com foco na solução de objetivos específicos para acelerar a transformação digital da Vivo.

As 12 salas onde ficarão os squads não têm portas. Foto: Maurício Grego.As 12 salas onde ficarão os squads não têm portas. Foto: Maurício Grego.

Assinado pelo arquiteto André Detanico, do escritório gaúcho AT, o conceito do Vivo Digital Labs traz inovação, mobilidade, contemporaneidade, tecnologia e integração com o ambiente urbano, trazendo para dentro da empresa a possibilidade de contato com a natureza e de lazer, em sintonia com a rotina de trabalho.

Já na entrada, os visitantes serão recebidos pela Vivi, a atendente virtual da Vivo, que tem tecnologias de realidade aumentada e de reconhecimento de fala. Por meio de um tablet, o visitante conversará com a Vivi e ela enviará uma mensagem para o colaborador, informando que a visita chegou.

Cada sala onde fica um squad tem uma grande monitor que exibe métricas do projeto que está sendo desenvolvido. Foto: Mauricio Grego.Cada sala onde fica um squad tem uma grande monitor que exibe métricas do projeto que está sendo desenvolvido. Foto: Mauricio Grego.

Além de 12 espaços para Squads, o ambiente tem um laboratório de user experience, para a realização de testes de serviços e funcionalidades com clientes, um command center, sala com 16 telas de monitoramento dos indicadores dos projetos em andamento pelos Squads, salas individuais e de reunião, com recursos de áudio e vídeo e telepresença; e arena de eventos, com capacidade para 40 pessoas e quatro terraços.

O laboratório tem uma série de espaços não convencionais que podem ser usados para trabalhar. Foto: Maurício Grego.O laboratório tem uma série de espaços não convencionais que podem ser usados para trabalhar. Foto: Maurício Grego.

A área de descompressão inclui mesa de bilhar, console de videogames com óculos de realidade virtual, minigolfe, sala para meditação e prática de yoga, além de espaço de café, e uma horta totalmente automatizada para que colaboradores e visitantes possam colher e fazer seus próprios chás.

A área de meditação ao ar livre tem colchonetes à disposição para quem quiser meditar ou praticar ioga. Foto: Mauricio Grego.A área de meditação ao ar livre tem colchonetes à disposição para quem quiser meditar ou praticar ioga. Foto: Mauricio Grego.

Além do Vivo Digital Labs, a Vivo mantém outros espaços que reforçam o conceito da transformação digital da empresa e o posicionamento “Viver menos do mesmo”. Entre eles, estão a Gaming House, que conta com 12 posições e recebe, em média, 850 colaboradores por mês; e a sala de meditação, que recebe, em média, 60 colaboradores por dia, além de duas turmas de meditação com 60 pessoas cada. Ambos estão localizados no edifício-sede da Vivo, Eco Berrini, em São Paulo.

**
Da Redação com informações da Vivo.



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio