'Bondi', novo app de mobilidade urbana coletiva, chega em São Paulo - São Paulo São

O estado de São Paulo recebe nas próximas semanas o Bondi, um novo aplicativo de mobilidade urbana que conecta pessoas e empresas a um veículo de transporte coletivo (vans, micro-ônibus e ônibus) para deslocamentos dentro da cidade ou para transporte rodoviário.

Por meio do app, tanto empresas quanto passageiros poderão solicitar viagens imediatas ou com hora marcada, sem intermediários e com preço até 40% menor do fretamento normal.

O aplicativo é inédito no mercado mundial. Em breve, poderá ser baixado na Apple Store e Google Play, tanto por passageiros que desejam se deslocar para uma festa entre amigos, casamento ou passeio com toda a família, quanto por empresas que fazem fretamento para seus funcionários.

O uso do aplicativo será totalmente intuitivo. Bastará ao passageiro cadastrar os dados pessoais ou empresariais, informações de pagamento, inserir local de partida e destino final. O Bondi identificará a van, micro-ônibus ou ônibus mais perto do ponto de partida, cruzará com os demais passageiros e gerará o custo final. O pagamento será feito por meio de cartão de crédito ou débito, sendo dividido automaticamente pelo grupo ou debitado do cartão corporativo, no caso de contratação por pessoa jurídica.

O Bondi identificará a van, micro-ônibus ou ônibus mais perto do ponto de partida, cruzará com os demais passageiros e gerará o custo final. Foto: iStock. O Bondi identificará a van, micro-ônibus ou ônibus mais perto do ponto de partida, cruzará com os demais passageiros e gerará o custo final. Foto: iStock.

As vantagens para pessoas físicas, além do preço, são de que a contratação é rápida, fácil e sem burocracia. Com o Bondi, será possível ter vários pontos de embarque e desembarque para facilitar a ida ou a volta. Como o deslocamento será compartilhado, o pagamento também poderá ser dividido entre os passageiros, conforme a rota da viagem (quem descer primeiro pagará menos). Outro ponto é a segurança. Por isso, os motoristas do Bondi são certificados e os veículos vão passar por revisões a cada seis meses.

Para empresas, a solução de fretamento pode ser mais econômica do que a usualmente contratada. Isso porque, com o Bondi, as empresas podem extrair relatórios e controlar os custos, o uso do transporte e a localização dos funcionários de forma rápida e prática. Quem contrata o Bondi tem total transparência de todo o processo de precificação.

As vantagens para pessoas físicas, além do preço, são de que a contratação é rápida, fácil e sem burocracia. Foto: Getty Images.As vantagens para pessoas físicas, além do preço, são de que a contratação é rápida, fácil e sem burocracia. Foto: Getty Images.

O Bondi, por oferecer soluções seguras e sustentáveis de mobilidade urbana coletiva, também é vantajoso para São Paulo. Pesquisas apontam que trocar o uso de carros por meio coletivo de transporte pode acabar com engarrafamentos, reduzir os custos de transportes em 55% e diminuir o tempo de viagem de quem mora em áreas periféricas.

De acordo com o ITF (Internacional Transport Forum), órgão da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) para o setor de transporte, a quantidade de veículos por quilômetro nas horas pico, quando em geral há engarrafamentos, seria um terço menor e as cidades poderiam deixar 97% da área hoje usada para estacionar carros livre para outros usos.

A Bondi

No dia 8 de outubro de 1892, foi inaugurada a primeira linha de bondes elétricos do Brasil, no Rio de Janeiro. Imagem: Reprodução.No dia 8 de outubro de 1892, foi inaugurada a primeira linha de bondes elétricos do Brasil, no Rio de Janeiro. Imagem: Reprodução.

Fundada em 2018, a startup Bondi é 100% brasileira. A empresa nasceu num contexto de compartilhamento, de questionamento de valores, de prioridades, de decisões de compra e da necessidade de contribuir para transformar positivamente o cenário brasileiro de mobilidade urbana.

O Bondi conta com três sócios fundadores: Matheus Comune, responsável pela área de Relações com o Mercado; Henrique Camillo, à frente do Planejamento Estratégico; e Marcelo Santos, responsável por Tecnologia e Operações. A projeção da startup é transportar mais de 18 mil pessoas por dia, chegando ao final de 2018 com cerca de 5 milhões de pessoas transportadas pelo Bondi.

Por fim, o nome Bondi faz referência ao bonde elétrico, que chegou ao Brasil em 1892 e revolucionou a forma como as pessoas se locomoviam coletivamente. Mais de 120 anos se passaram, as cidades cresceram, os carros tomaram conta das ruas, há mais congestionamento e poluição, mas o Bondi chega para proporcionar uma nova revolução de mobilidade sustentável.

***
Por  Priscyla Costa no Portal Nacional de Seguros.