'Echo': IMS de São Paulo ganha escultura gigante do contemporâneo Richard Serra - São Paulo São

A sede do Instituto Moreira Salles na Avenida Paulista abrigará permanentemente a escultura Echo. F.oto: Maria Clara VillasA sede do Instituto Moreira Salles na Avenida Paulista abrigará permanentemente a escultura Echo. F.oto: Maria Clara Villas

Um dos artistas de maior influência na arte contemporânea, o escultor norte-americano Richard Serra terá sua primeira obra aberta à visitação pública da América Latina instalada em São Paulo. A sede do Instituto Moreira Salles na Avenida Paulista abrigará permanentemente a escultura Echo, feita especialmente para o centro cultural, e que poderá ser visitada gratuitamente pelo público a partir do próximo sábado no jardim externo do instituto.

Echo, de Richard Serra, no IMS Paulista. Foto: Maria Clara Villas.Echo, de Richard Serra, no IMS Paulista. Foto: Maria Clara Villas.

Composta por duas placas de aço, cada uma pesando 70,5 toneladas, e com 18,6 metros de altura, a obra foi produzida em 2016 em uma aciaria em Châteauneuf, França. Em março do ano seguinte, viajou de caminhão para a Alemanha, onde recebeu ajustes técnicos que permitiriam sua instalação. De Mannheim, partiu para o porto de Antuérpia, na Bélgica. Dali, saiu rumo ao porto de Santos, onde chegou em junho de 2017. Em seguida, subiu a serra na direção da capital paulista. Assista o filme sobre a trajetória aqui!

"Echo", de Richard Serra a caminho. Imagem: reprodução Youtube / IMS."Echo", de Richard Serra a caminho. Imagem: reprodução Youtube / IMS.

Trabalhando com aço desde a década de 1970, Serra inicialmente resistiu à ideia de usá-lo, como comenta no livro As vidas dos artistas, de Calvin Tomkins (Beῖ Editora). “O aço era um material tão tradicional que eu nem pensava em chegar perto dele. Picasso, González, Calder, todos eles tinham feito coisas grandiosas com aço. Então eu pensei: ‘Bom, posso usar o aço como a indústria usa – pelo peso, a capacidade de suportar peso, a alta resistência, o atrito, o contrapeso’. Eu conhecia um pouco o aço, então por que não?”

Richard Serra, 2014. Foto de Cristiano Mascaro.Richard Serra, 2014. Foto de Cristiano Mascaro.

Considerado um dos grandes nomes da arte do pós-guerra, sua primeira exposição individual em um museu foi realizada no Pasadena Art Museum, na Califórnia, em 1970. Suas esculturas foram apresentadas em duas retrospectivas no Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA), com 20 anos de diferença: Richard Serra/Escultura (1986) e Richard Serra escultura: quarenta anos (2007). Ele teve exposições individuais no Museu Stedelijk, Amsterdã (1977-1978); Centre Pompidou, Paris (1983-1984); Museu Nacional de Arte Reina Sofía, Madri (1992); Dia Center for the Arts, Nova York (1997); Centro de Arte Hélio Oiticica, Rio de Janeiro (1997-1998); entre outras.

Promenade, 2008. Grand Palais, Paris. Obra de Richard Serra. Foto: Lorenz Kienzle.Promenade, 2008. Grand Palais, Paris. Obra de Richard Serra. Foto: Lorenz Kienzle.

Em 2005, The Matter of Time (1994-2005), uma série de oito obras de grande porte, foi instalada permanentemente no Museu Guggenheim de Bilbao, na Espanha. Em 2011, uma escultura ganhou espaço permanente em frente ao Museu de Arte Islâmica em Doha, no Qatar. Uma importante retrospectiva itinerante dedicada aos desenhos de Serra aconteceu no Metropolitan Museum of Art, em Nova York, no Museu de Arte Moderna de São Francisco e na Menil Collection, Houston, de 2011 a 2012. Em 2014, Leste-oeste/Oeste-leste (2014) foi permanentemente instalada na Reserva Natural de Brouq, Zekreet, Qatar.

Por ocasião da inauguração, acontece às 11h, no Cineteatro, um debate entre os críticos Cauê Alves, Lorenzo Mammì e Sônia Salzstein e a artista Iole de Freitas sobre a obra de Serra. O evento "Abertura de Echo, de Richard Serra" é gratuito, com distribuição de senhas uma hora antes.

***
Com informações do Instituto Moreira Salles.