'Amamentação – é a base da vida' é o tema da Semana Mundial da Amamentação 2018 - São Paulo São

Criada pela World Alliance for Breastfeeding Action (WABA), a  Semana Mundial da Amamentação - iniciativa que vai do dia 1º ao 7 de agosto - visa dar visibilidade à amamentação, incentivando grupos de todo o mundo a trabalhar o tema na prática, por meio do cumprimento de quatro passos:
- informar sobre o modo como a amamentação está ligada à boa nutrição, segurança alimentar e redução da pobreza;
- vincular a amamentação dentro da agenda de nutrição, segurança alimentar e diminuição da pobreza;
- envolver-se com indivíduos/organizações que trabalham nessas questões;
- e motivar as ações para promover a amamentação como parte das estratégias de nutrição, segurança alimentar e redução das desigualdades.

A SMAM promove o aleitamento em 120 países e, desde 1992, é realizada pelo HMEC. Já no Brasil, o Ministério da Saúde coordena a SMAM desde 1999, com o apoio de organismos internacionais, das secretarias de saúde estaduais e municipais, da Rede Paulista de Bancos de Leite Humano, de Hospitais Amigos da Criança, de sociedades de classe e Organizações Não Governamentais (ONG).

A cada edição, a WABA escolhe um tema que norteia as diferentes atividades a serem desenvolvidas no período da campanha. Segundo a WABA, “em um mundo repleto de desigualdades, crises e pobreza, a amamentação é o alicerce da boa saúde ao longo da vida para crianças e mães”.

Alimento completo

O aleitamento é importante não apenas no começo da vida, mas tem benefícios que perduram até a fase adulta. Foto: Getty Images.O aleitamento é importante não apenas no começo da vida, mas tem benefícios que perduram até a fase adulta. Foto: Getty Images.

O tema da semana em 2018 é “Amamentação é a base da vida”, que, segundo a coordenadora de ações de aleitamento materno do Ministério da Saúde, Fernanda Ramos Monteiro, expressa a ideia de que o aleitamento é importante não apenas no começo da vida, mas tem benefícios que perduram até a fase adulta.

“A intenção da campanha é mobilizar a sociedade, sobretudo as mães, sobre esse benefício e pedir o apoio de todos para disseminar e aumentar as taxas de aleitamento no Brasil. O leite materno é comida de verdade, tudo o que o bebê precisa: não há necessidade de água, leite, suco. O leite sozinho previne diarreia, doenças respiratórias, sobrepeso, hipertensão e diabetes na vida futura”, afirma Fernanda.

Serviço - Bancos de Leite Humano (BLH) da rede municipal

Em São Paulo, a Maternidade Cachoeirinha detém o selo de qualidade conferido pelo Ministério da Saúde Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC) por cumprir os 10 passos para o sucesso do aleitamento materno do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Hospital Maternidade Vila Nova Cachoeirinha é referência para gestação de alto risco. Foto: SP Zona Norte.Hospital Maternidade Vila Nova Cachoeirinha é referência para gestação de alto risco. Foto: SP Zona Norte.

Todo o processo para contribuir com o programa é simples: o contato para ser doadora é feito por telefone e, após o cadastro, é realizado exames e entrevista para orientação sobre ordenha e armazenamento do leite. A doadora deve ser saudável e estar amamentando seu bebê.

A doação do leite materno é tão fundamental para os recém-nascidos e prematuros quanto para as mães lactantes. O leite é o alimento mais adequado para suprir a fome e a sede dos bebês e necessário para seu fortalecimento e desenvolvimento saudável. De benefício para a doadora, evita o ‘empedramento’ das mamas, fazendo com que o organismo mantenha a produção de leite.

Todo leite doado é manipulado corretamente pelo BLH, que possui tecnologia para realizar o processo de pasteurização, possibilitando assim ser distribuído aos recém-nascidos e prematuros internados nas UTIs neonatais.

Mãe amamenta sua filha em seu quarto no Hospital e Maternidade Cachoeirinha. Foto: Secom / PMSP.Mãe amamenta sua filha em seu quarto no Hospital e Maternidade Cachoeirinha. Foto: Secom / PMSP.O programa conta também com uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-SP), com o slogan “Doar Leite Materno Salva Vidas”, que atua na retirada do leite doado na residência das doadoras. Junto na ambulância vai sempre uma funcionária da enfermagem do BLH e todo equipamento adequado para o armazenamento do leite.

Atualmente, a rede municipal de saúde conta com três bancos de leite:

  • Hospital Maternidade Prof. Dr. Alípio Correa Netto - Fone:  11 3394-8046.
  • Hospital Municipal Campo Limpo - Fone: 11 3394-7693.
  • Hospital e Maternidade Cachoeirinha - Fone: 11 3986-1011.

***
Da Redação, como informações da Prefeitura de São Paulo, Ministério da Saúde e da OPAS.



-->