Prefeitura fará consulta pública para reabrir terraço do Edifício Martinelli ao público - São Paulo São

O Edifício Martinelli completa 90 anos em 2019 e, em comemoração, a Prefeitura pretende reabrir seu terraço para o público. A ideia é que as visitas passem a acontecer a partir de abril. O processo de concessão foi promovido pela Prefeitura de São Paulo, através da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano (SMDU) e da SP Urbanismo. 

A Prefeitura é dona de 38% do edifício, incluindo o palacete e o terraço, e pretende transformar o local em um observatório da cidade, concedendo 2 mil m² de seus 8 mil m² para o setor privado. Serão concedidos os andares 25, 26 e 27 do prédio, bem como a loja 11 (térreo), localizada na Avenida São João. A ideia é que o terraço receba exposições, restaurantes, lojas e cafés; em troca, a empresa concessionária precisará restaurar e manter a estrutura bem cuidada.  A previsão de investimento na restauração do edifício é de cerca de R$ 3 milhões.

Os visitantes também desfrutarão de um núcleo de recepção, com venda de ingressos e centro de informações turísticas. Na acessibilidade, ao menos um novo elevador, exclusivo para visitas, será colocado à disposição da população. E, por fim, a visitação se tornará mais completa, afinal será possível conhecer os espaços cobertos existentes, incluindo o palacete do Comendador Martinelli.

A fachada do Edifício Martinelli é tombada e, em 2010, o local foi reformado e aberto para o público. Até 2017, quando foi fechado novamente por problemas estruturais, recebeu mais de 260 mil visitas. O prédio sedia secretarias municipais, lojas dos Sindicatos dos Bancários e da Caixa Econômica Federal.

O mirante do Edifício Martinelli. Foto Tiago Queiroz/EstadãoO mirante do Edifício Martinelli. Foto Tiago Queiroz/Estadão

Por conta do abandono, o local perdeu algumas das suas principais características, como a pintura das paredes e a coloração dos azulejos. Para o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano, Fernando Chucre, a revitalização do local é uma forma de proporcionar vida noturna ao Centro.

O edital para consulta pública do Martinelli será lançado na próxima semana. Foto: Trip Advisor.O edital para consulta pública do Martinelli será lançado na próxima semana. Foto: Trip Advisor.

“A concessão é mais uma das várias medidas que estão sendo adotadas pela Prefeitura para requalificar a região central. Durante o dia são centenas de milhares de pessoas que circulam, e à noite, por falta de moradia, especialmente pela existência de poucas moradias na região, temos um número reduzido de pessoas circulando com problemas advindos desse fator.”

O prédio foi o primeiro arranha-céu da cidade de São Paulo, e foi considerado o maior do Brasil até o ano de 1947, com 105 metros de altura e 30 andares.

História

Na foto de Hildegard Rosenthal, na década de 1940, o Martinelli desponta imponente no centro.Na foto de Hildegard Rosenthal, na década de 1940, o Martinelli desponta imponente no centro.O Edifício Martinelli está localizado no centro de São Paulo entre as ruas São Bento, Av. São João e a Rua Libero Badaró.

O Edifício foi projetado pelo seu idealizador, o italiano Giuseppe Martinelli, em 1924 e simbolizou progresso da cidade. Mais de 600 operários trabalharam nas obras. A construção foi iniciada em 1924 e a inauguração aconteceu em 1929, com 20 andares. 

Com o passar dos anos, novos pisos complementaram a construção. O objetivo de Martinelli, contudo, era chegar aos 30 andares. A obra gerou muita polêmica, pois até então não havia nenhum prédio em São Paulo com grande altura. Na época, edifícios com mais de 10 andares eram considerados muito altos. 

Atualmente, o prédio é um dos principais símbolos arquitetônicos do Brasil, já foi ponto de encontro da alta sociedade paulistana. Por lá já passaram o Cine Rosário, barbearias, lojas, uma igreja e o luxuoso Hotel São Bento. 

Curiosidades sobre a histórica construção

A planta original do prédio previa doze andares, mas, até 1934, foram erguidos trinta pavimentos.
Os últimos cinco andares abrigavam a residência  do comendador italiano Giuseppe Martinelli, idealizador da obra.
O edifício entrou em decadência nos anos 60 e chegou a ser palco de alguns crimes rumorosos.
Sob a administração do prefeito Olavo Setúbal, o local foi reformado e reinaugurado em 1979.

***
Com informações da Secretaria Especial de Comunicação. Edição: São Paulo São.