Campanha para recuperar histórico teatro Taib é lançada em São Paulo - São Paulo São

Augusto Boal, Plínio Marcos e Antônio Abujamra estão entre os grandes nomes das artes cênicas cuja história passa por um palco no subsolo de um prédio do Bom Retiro, no centro de São Paulo. Foi ali, no Teatro de Arte Israelita Brasileiro (Taib), que algumas das peças mais críticas e importante do período da ditadura militar foram encenadas.

Há quase 15 anos, contudo, essa memória fica detrás de portas fechadas. O palco, as poltronas e a estrutura do antigo Taib hoje não são mais consideradas seguras e foram danificadas após um alagamento.

Para reverter essa situação, o Instituto Cultural Israelita Brasileiro (ICIB) prepara uma ações de arrecadação de fundos. O primeiro passo é a campanha "Taib, 60 anos", de apadrinhamento das 300 poltronas do antigo teatro, lançada na última quinta-feira, 22, na feira Made (Mercado-Arte-Design). A ideia é que o espaço reabra no ano que vem, quando completa seis décadas de história.

Espaço fica no subsolo da Casa do Povo, no Bom Retiro, e está fechado desde o começo dos anos 2000; projeto quer atrair patronos para poltronas da plateia. Foto: Acervo Casa do Povo.Espaço fica no subsolo da Casa do Povo, no Bom Retiro, e está fechado desde o começo dos anos 2000; projeto quer atrair patronos para poltronas da plateia. Foto: Acervo Casa do Povo.

A proposta tem o apoio da AMDMB (Associação Mobiliário e Design Moderno Brasileiro), que vai doar a restauração de uma poltrona a cada R$ 5 mil doados para a reforma do teatro. O instituto também estuda outras iniciativas, como leilões de obras doadas por artistas, eventos e leis de incentivo.

A proposta lembra a própria história da Casa do Povo, centro cultural em que Taib está localizado e cuja construção foi erguida através de uma campanha de doação de tijolos. A inauguração ocorreu em 1953, seguida pela abertura do teatro em 1960, com endereço no Bom Retiro, bairro ligado à imigração israelita.

O diretor-executivo da Casa do Povo, Benjamin Seroussi, calcula que R$ 1,5 milhão é necessário para o teatro reabrir com segurança e acessibilidade e sem os atuais problemas de umidade. O projeto de restauro completo custa, contudo, R$ 4 milhões. "Com ele seguro, a gente já poderia fazer muita coisa. Em épocas de vacas magras, não adianta esperar os R$ 4 milhões."

O projeto de reforma e restauro é de Silvio Oksman, André Vainer e Ilan Szklo, enquanto o original é de Jorge Wilheim (conhecido pelo Anhembi). Para recuperar todo o edifício, o custo estimado é de mais R$ 4 milhões. "A Casa está segura, tem AVCB, mas também precisa melhorar", diz Seroussi.

Criado em 1953 no Bom Retiro, em São Paulo, centro cultural revê sua história e imagina novo projeto. Foto: Divulgação.Criado em 1953 no Bom Retiro, em São Paulo, centro cultural revê sua história e imagina novo projeto. Foto: Divulgação.

O Taib começou a entrar em decadência a partir dos anos 80, período em que a região central também enfrentou fenômeno semelhante. Depois de fechar as portas, chegou a ser incluído como um dos pontos de parada da peça itinerante "Bom Retiro 958 metros", do Teatro de Vertigem, que trazia personagens marginalizados, como usuários de crack. Neste ano, o espaço também está com uma instalação da artista Daniel Lie, com abertura para o público em apenas duas datas.

***
Por Priscila Mengue no Estado de S.Paulo.



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio