Novas intervenções do 'MAR' - Museu de Arte de Rua ocupam espaços em várias regiões da cidade - São Paulo São

Foto: Marcelo Pereira / SECOM.Foto: Marcelo Pereira / SECOM.

A Prefeitura de São Paulo lançou em dezembro uma nova edição do Museu de Arte de Rua (MAR), uma parceria entre as secretarias municipais de Cultura, Subprefeituras e Educação. A iniciativa visa aprimorar a vocação da cidade para a produção de arte urbana e ampliar seu impacto positivo na cultura e identidade de São Paulo. Com trabalhos concluídos entre os meses de dezembro e janeiro, o projeto viabiliza cerca de 30 obras de arte urbana em diferentes suportes, como grafite e fotografia, sempre em grandes dimensões.

Foto: Marcelo Pereira / SECOM.Foto: Marcelo Pereira / SECOM.

Três eixos sustentam esta edição do MAR: implementação das intervenções; investimento em formação de professores e artistas para 2020; e incentivo ao mercado de arte urbana com parcerias público-privadas. Entre os destaques, está Giganto, da fotógrafa e artista visual Raquel Brust. Trata-se de uma intervenção urbana com fotografias gigantes, como o próprio nome diz, e que utiliza a arquitetura da cidade como suporte, interagindo com a paisagem e reagindo a ela. A obra está localizada sob o Minhocão e foi iniciada no dia 2 de dezembro.

Foto: Marcelo Pereira / SECOM.Foto: Marcelo Pereira / SECOM.

Já o projeto #TarsilaInspira traz artistas mulheres colorindo o centro de São Paulo com obras criadas a partir do trabalho da artista plástica modernista Tarsila do Amaral. Desenvolvida por Luciana Branco, a obra conta com as artistas Simone Siss, Hanna Lucatelli, Mag Magrela, Katia Lombardo, Laura Guimarães e Crica Monteiro. Serão coloridos cinco arranha-céus no centro da cidade, em murais de dimensões gigantescas.

São Paulo em quadro de Tarsila do Amaral em sua fase Pau Brasil. Acervo da Pinacoteca do Estado.São Paulo em quadro de Tarsila do Amaral em sua fase Pau Brasil. Acervo da Pinacoteca do Estado.

O grafiteiro Mundano, que faz intervenções em carroças de catadores de materiais recicláveis, fará uma intervenção na Avenida Pacaembu questionando o desastre de Brumadinho. O ícone musical brasileiro João Gilberto, falecido em julho deste ano, ganha homenagem pelas mãos do artista plástico Speto, um dos principais nomes do grafite no Brasil, que integra a primeira geração de grafiteiros pós-ditadura militar. O estilo do artista é inspirado no cordel nordestino e na xilogravura. A homenagem será realizada na Avenida Mercúrio, próximo ao Mercadão.

Esboço de grafite sobre João Gilberto que artista Speto fará no Irã. Imagem: Arquivo Pessoal.Esboço de grafite sobre João Gilberto que artista Speto fará no Irã. Imagem: Arquivo Pessoal.

Com humor e irreverência, o grupo Os Tupys, que atua em São Paulo desde a década de 1980, irá pintar a lateral de um prédio no centro da cidade. O coletivo é formado por Carlos Delfino, Ciro Cozzolino e Zé Carratu. O Grupo Opni, por sua vez, homenageia Tebas, arquiteto negro que, após ser escravizado até os 58 anos de idade, consolidou-se como um dos maiores nomes da arquitetura brasileira do século 18.

***
Com informações da Secretaria Municipal de Cultura. Edição: São Paulo São. 



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio