São Paulo recebe 'NaLata' Festival Internacional de Arte Urbana, maior museu brasileiro de grafite a céu aberto - São Paulo São

Reconhecida como a capital mundial do grafite, São Paulo recebe o NaLata Festival Internacional de Arte Urbana, com a participação de quinze artistas consagrados nacional e internacionalmente, dos mais diferentes estilos e correntes culturais. Os grafiteiros realizarão doze obras de arte urbana únicas pintadas em empenas da região do Largo da Batata. Os trabalhos irão compor o maior museu  brasileiro de grafite a céu aberto. São 3689m² de arte que serão entregues à população da capital no dia 20 de agosto.

O NaLata promove um movimento democrático de arte urbana em São Paulo, com acesso irrestrito às obras, que podem ser vistas gratuitamente por pedestres, por quem está dentro dos ônibus ou dos carros. Trata-se de um evento icônico que entrega um inestimável legado artístico cultural para a cidade, criando um novo eixo de turismo, lazer e cultura permanentes na capital paulista. 

Com realização da Agência InHaus e curadoria do Luan Cardoso, o NaLata conta com a presença dos artistas brasileiros: Alex Senna, Enivo, Evol, Marcelo Eco, Mari Mats, Mateus Bailon, Pri Barbosa e Rafael Sliks. E ainda, Gleo, muralista colombiana que usa tinta látex, pincéis e rolos de pintura para criar personagens imaginativos e vibrantes; e da muralista mexicana Paola Delfín, uma das artistas mais reconhecidas em ascensão mundial, que traz em suas obras a proposta de criar consciência social.

Grafites no Largo da Batata: à esquerda obra de Gleo e à direita Pri Barbosa. Foto: @nalata.festival / Divulgação.Grafites no Largo da Batata: à esquerda obra de Gleo e à direita Pri Barbosa. Foto: @nalata.festival / Divulgação.

Em respeito ao isolamento social, o festival no formato físico foi adiado para 2021, e se adaptou neste ano para difundir arte pelas ruas apesar da pandemia, trazendo mais vida à cidade. As criações dos artistas convidados darão ao público a chance de apreciar, nas paredes dos prédios, a diversidade de abordagens artísticas presentes na arte de rua.

Além dos artistas renomados que participam desta edição, o NaLata realizou o concurso “Novos Talentos Murais SP” com o intuito de apresentar novos nomes à cena. Cinco nomes selecionados, dentre os 234 inscritos, foram convidados para fazer pinturas em murais e fachadas que integram o festival. São eles: Selon, Thiago Nevs, Pixote Mushi, Fe Ikehara e Serifa.

“A arte tem o poder de transformar a vida das pessoas e o nosso objetivo é trazer um pouco de esperança e cores com essas pinturas, depois de tantos momentos difíceis que passamos coletivamente. E poder contar com a participação de grandes artistas nesse momento é essencial.”, comenta Luan Cardoso, sócio e curador do NaLata Festival.

“As paredes têm sua própria identidade, contam suas histórias. O corredor cultural promovido pelo NaLata, com suas empenas e murais, é a oportunidade de estar conectado com a forte presença da arte urbana, desenvolver novos negócios, fortalecer o turismo e admirar a cidade por este outro ângulo”, afirma Juliano Libman, sócio da agência InHaus.

 

Obras de Paola e Mateus Bailon no Largo da Batata. Foto: @nalata.festival / Divulgação.Obras de Paola e Mateus Bailon no Largo da Batata. Foto: @nalata.festival / Divulgação.

Ao falar do festival, Luiz Restiffe, também sócio da Agência InHaus, diz: “Por conta de sua relação íntima com a arte urbana, São Paulo é considerada a capital mundial do grafite. Durante a quarentena, grande parte da população teve suas opções de entretenimento reduzidas . A visibilidade do grafite é popular e livre. O NaLata é um presente para a cidade! Um sinal verde para que as pessoas, após a pandemia, apreciem as cores da cidade, nesse corredor de arte a céu aberto."

Sobre NaLata

Idealizado e curado por Luan Cardoso, com produção de Juliano Libman e Luiz Restiffe, sócios da InHaus, o Na Lata Festival Internacional de Arte Urbana traz para a população paulistana a oportunidade da vivência da arte urbana, por meio de obras de muralistas importantes da cena do grafite mundial. Esta edição tem o apoio da Suvinil, Microsoft, Iguatemi, TNT e Kanui. Os interessados podem acompanhar a cobertura do festival pela internet, através do site nalatafestival.com.br ou pelas redes sociais @nalata.festival.

Serviço

Obra de Alex Senna no entorno do Largo da Batata. Foto: @nalata.festival / Divulgação.Obra de Alex Senna no entorno do Largo da Batata. Foto: @nalata.festival / Divulgação.

As obras podem ser conferidas nos seguintes endereços: 

- Rua dos Pinheiros, 1474. Artistas: Mateus Bailon, Paola Delfin, Gleo e Pri Barbosa - Av Faria Lima, 1134. Artistas: Selon e Marcelo Eco. 
- Rua Artur de Azevedo, 985. Artistas: Alex Senna e Selon.
- Rua Capitão Prudente, 151. Artista: Mari Mats.
- Rua Campo Alegre, 60. Artista: Enivo.
- Rua Dos Pinheiros 2767. Artista: Thiago Nevs.
- Largo da Batata (metrô). Artistas: Sliks e Evol. 

***
Com informações da Agência Lema.



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio