Pessoas - São Paulo São

São Paulo São Pessoas

Pietro Maria Bardi e Lina Bo Bardi na década de 1950. Foto: Acervo do MASP. Pietro Maria Bardi e Lina Bo Bardi na década de 1950. Foto: Acervo do MASP.

Antes mesmo da presença do casal Lina Bo Bardi e Pietro Bardi, a contribuição dos italianos e oriundi foi decisiva. Quem ignora que os melhores restaurantes do mundo são franceses? Menos em São Paulo, onde eles são italianos: hoje o Fasano, ontem o Ca d`Oro e o Massimo. Com o passar do tempo alguns desses imigrantes, ao enriquecer,  trocaram alianças entre pedigree e fortuna, tornando-se bom partido para as filhas dos barões do café arruinados. Matarazzo seria o rei da indústria e Lunardelli o rei do café, invadindo o baluarte da oligarquia nativa.

Patricia Galvão viveu sob regras próprias e deixou como legado a ideia de que as mulheres podem, e devem, ser livres. Foto: Acervo Familiar. Patricia Galvão viveu sob regras próprias e deixou como legado a ideia de que as mulheres podem, e devem, ser livres. Foto: Acervo Familiar.

Pagu (Patrícia Rehder Galvão: São João da Boa Vista, 9 de junho de 1910 - Santos, 12 de dezembro de 1962) já foi quase palavrão, sinônimo de confusão, antônimo de moça direita. Considerada por muitos como louca e devassa, o fato é que ela fez e viveu diferente das outras, desde o começo.

Publicamos a seguir, texto despedida e homenagem do jornalista, crítico musical e escritor Jotabê Medeiros, ao amigo José Nogueira, falecido hoje em São Paulo, aos 90 anos.

"Em 1957, Louis Armstrong veio tocar no Teatro Polytheama, em São Paulo, com um quinteto.

Dorina Nowill, educadora brasileira e defensora dos direitos dos deficientes visuais, é a homenageada pelo Google nesta terça-feira (28). Em celebração por seu centésimo aniversário, o Doodle na página inicial do buscador mostra uma ilustração com o rosto de Dorina à frente da palavra “Google”, que também está representada em Braile. Ao clicar na figura, o usuário é direcionado para uma pesquisa sobre a vida de Dorina. A gravura está sendo exibida no Brasil, tanto no computador como em celulares, e pode ser compartilhada pelas redes sociais ou por e-mail.

Maria de Fátima, moradora de rua fotografada pelo SP Invisível.Maria de Fátima, moradora de rua fotografada pelo SP Invisível.

A discussão e viabilização dos direitos humanos é um dos pilares e objetivos principais do coletivo e centro multicultural Matilha Cultural. Alinhado a esse conceito, no próximo dia 14 (terça-feira), será lançada a parceria com o movimento SP Invisível no evento “Encontros Invisíveis”, que acontecerá mensalmente e promoverá uma roda de bate-papo sobre um tema  que envolve a vida das pessoas em situação de rua.