Caminhos - São Paulo São

São Paulo São Caminhos

Nas 31 cidades pesquisadas, cerca de 36,7 milhões de habitantes das cidades mudarão a maneira de viajar nos próximos 10 anos. Imagem: Fuorisalone.Nas 31 cidades pesquisadas, cerca de 36,7 milhões de habitantes das cidades mudarão a maneira de viajar nos próximos 10 anos. Imagem: Fuorisalone.

O ano de 2030 será o ponto de mudança global da mobilidade sustentável nas maiores cidades do mundo. O estudo Mobility Futures, da Kantar, prevê que as viagens de carro particular diminuirão em 10% nas maiores cidades do mundo, na próxima década. A ascensão da economia compartilhada, a multimodalidade e veículos autônomos, juntamente com o envelhecimento da população global, reduzirão a necessidade de posse de carro.

Parada de 'tramway' em Alicante, Espanha. Foto: Subarquitectura.Parada de 'tramway' em Alicante, Espanha. Foto: Subarquitectura.

Espalhadas pelos quatro cantos do planeta, grandes cidades são consideradas um dos principais fortins da desigualdade e da insustentabilidade. As duas maiores cidades dos Estados Unidos, Nova York e Los Angeles, são também as duas cidades mais desiguais do país enquanto que um terço das pessoas mais pobres do Reino Unido vive em Londres. Somando-se a isso, segundo dados publicados pela C40 Cities, dois terços da energia consumida no mundo e 70% das emissões globais de carbono são atribuídos às cidades. Como arquitetos e urbanistas, estes dados nos fazem refletir sobre como políticas públicas e estratégias de planejamento urbano poderiam ser utilizadas para melhor combater esses dois graves problemas. Como resposta, dezenas de cidades ao redor do mundo têm investido em sistemas de mobilidade urbana mais eficientes, abrangentes e sustentáveis. Neste contexto, levantamos a seguinte questão: e se o transporte público fosse gratuito?

Os programas de bicicleta compartilhada evoluíram e hoje são meio de transporte e até instrumento de trabalho. Foto: Joana Oliveira/WRI Brasil.Os programas de bicicleta compartilhada evoluíram e hoje são meio de transporte e até instrumento de trabalho. Foto: Joana Oliveira/WRI Brasil.

A Nova Mobilidade tem mudado a maneira como nos deslocamos pelas cidades. Estamos falando de serviços de transporte sob demanda (como Uber, 99 e Cabify), veículos elétricos e aplicativos de planejamento de rotas, mas, também, das bicicletas. Novas empresas apostam na bicicleta como meio para atender às necessidades de transporte nas áreas urbanas e os programas de compartilhamento, públicos ou privados, mudam a maneira como enxergamos as bikes: de opção de lazer a meio de transporte e até mesmo instrumento de trabalho.

A Prefeitura anunciou na última sexta-feira, 13, o novo Plano Cicloviário de São Paulo, que prevê a criação de ciclovias nas Avenidas Henrique Schaumann e Rebouças, na zona oeste da caidade, para conectar as já existentes nas Avenidas Sumaré, Paulista e Brigadeiro Faria Lima, chegando até a Engenheiro Luís Carlos Berrini, na zona sul.

Um levantamento feito pela Rede Nossa São Paulo, em parceria com o Ibope, revelou que os paulistanos dão a igrejas (42%) e estações de metrô (39%) as melhores avaliações em termos de mobilidade, classificando esses locais como ótimos ou bons para o deslocamento de pessoas com deficiência.

A pior avaliação vai para ruas e calçadas (10%), revela a pesquisa Viver em São Paulo: Pessoa com Deficiência, que trata da percepção da população paulistana sobre a qualidade de vida das pessoas com deficiência na cidade.

Cinco brasileiros morrem em acidentes de trânsito a cada hora. Estatísticas de extrema relevância como essa podem despertar muitas reações positivas, mas nem sempre são o suficiente para mudar a realidade. Porém, saber que na cidade de São Paulo os cruzamentos concentram mais acidentes por quilômetro e que esses aumentaram 5% de 2017 para 2018, já é uma informação capaz de dar insumos aos tomadores de decisão sobre medidas que possam reduzir tais números. Agir nos cruzamentos mais perigosos salvará vidas.

APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio