‘SICLO‘: Lei aprovada obriga o acesso para ciclistas em obras viárias de São Paulo - São Paulo São

A partir desta terça-feira (17), todos os projetos de reforma, ampliação ou construção de vias públicas devem contemplar o acesso e circulação de bicicletas - antes, a medida valia apenas para construções maiores do que quatro mil metros quadrados.

Além disso, para auxiliar na segurança viária, poderá ser adotada a redução dos limites de velocidade na malha viária para proteger os ciclistas, desde que seja amparada por estudos técnicos. A regulamentação foi promulgada no Diário Oficial de hoje e corresponde as atividades do SICLO, o Sistema Cicloviário do Município de São Paulo. 

O SICLO é um projeto criado pelo vereador Chico Macena (PT) na gestão Kassab, em 2007 e foi atualizado pelos vereadores Jair Tatto (PT) e Soninha Francine (PPS) durante a gestão Haddad (PT). A sua promulgação dois anos depois pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) vai contra a política que, desde janeiro de 2017, era adotada pelo seu antecessor, João Doria (PSDB).

Quando assumiu a administração municipal sob o lema "Acelera SP", Doria, que se afastou do cargo para disputar as eleições para governador do Estado, congelou o aumento da malha cicloviária, aumentou o limite de velocidade das marginais e removeu parte das ciclovias então construídas pelos prefeitos que o antecederam.

Cicloativistas afirmam que as ações são as principais causas do aumento do número de mortes de ciclistas nas vias paulistanas - segundo a CET (Companhia de Engenharia e Tráfego), no ano passado, o número de óbitos cresceu 23%. A Prefeitura, no entanto, afirma que esse crescimento se deu pelo fato de existir mais ciclistas nas ruas.

Foto: Willian Cruz.Foto: Willian Cruz.

"Incentivadas pela gestão Haddad, as viagens de bicicleta aumentam a cada ano. Assim, é necessária uma legislação sempre atualizada, que ofereça segurança e respeito ao ciclista. Daí surgiu o projeto para o SICLO. A lei criada recentemente pelo então prefeito João Dória, que altera critérios para implementação de ciclovias, faixas compartilhadas ou ciclofaixas, é um retrocesso. Na prática, essa lei burocratizou o sistema" afirma o vereador Jair Tatto.  

Com o SICLO, Covas demonstra disposição em voltar esforços para fomentar o uso de bicicletas como meio de transporte na cidade. Segundo a prefeitura, o projeto foi publicado porque "viu-se a necessidade de rever a infraestrutura cicloviária existente e integrá-la à expansão urbana do município".

SICLO

O projeto que deve ser regulamentado nos próximos três meses prevê a retomada da construção de uma rede cicloviária, construída de modo a possibilitar a conexão dos centros aos bairros através de estruturas radiais e perimetrais.

O SICLO será incorporado ao Sistema Integrado de Transporte de Passageiros e prevê ainda o estabelecimento de parcerias com os municípios vizinhos para criação e implantação de projetos integrados de ciclovias.

***
Fonte: Destak.



-->