Plano Cicloviário de São Paulo prevê a implantação de 173 km de ciclovias e ajuste em 25 delas - São Paulo São

A Prefeitura anunciou na última sexta-feira, 13, o novo Plano Cicloviário de São Paulo, que prevê a criação de ciclovias nas Avenidas Henrique Schaumann e Rebouças, na zona oeste da caidade, para conectar as já existentes nas Avenidas Sumaré, Paulista e Brigadeiro Faria Lima, chegando até a Engenheiro Luís Carlos Berrini, na zona sul.

O plano também prevê o remanejamento de 25 ciclofaixas, em um total de 12 quilômetros. O prazo de conclusão apresentado é o fim do mandato do prefeito Bruno Covas (PSDB), em dezembro de 2020.

Segundo a Prefeitura, para criar o novo projeto, foram avaliadas a falta de integração com outros modais de transporte público, equipamentos públicos e a própria malha viária existente.

A estrutura existente na Rua Professor Gustavo Pires de Andrade, na zona leste, deixará de existir. Em contrapartida, serão construídas novas conexões nas Avenidas Professor Luís Inácio de Anhaia Mello e Doutor Francisco Mesquita, chegando até o Terminal Sacomã, na zona sul.

A previsão de entrega das novas ciclovias é até o fim de 2020. Foto: Rafael Neddermeyer / Fotos Públicas.A previsão de entrega das novas ciclovias é até o fim de 2020. Foto: Rafael Neddermeyer / Fotos Públicas.

"Tudo que está no plano foi discutido com a sociedade civil. Sobre remanejamentos, na Avenida Duque de Caxias (centro), estamos tirando a ciclofaixa das bordas e trazendo ao canteiro central, para devolver a via ao comerciante", disse o secretário municipal de Mobilidade e Transportes, Edson Caram.

O secretário municipal de Governo, Mauro Ricardo, afirmou que a Prefeitura reavaliou as ciclovias que foram implantadas "sem qualquer conectividade com outro equipamento público" ou outras ciclofaixas.

"Todo quilômetro retirado, no entanto, será compensado", afirmou Ricardo.

A gestão Covas pretende passar dos 503 quilômetros de ciclovias e ciclofaixas existentes para 676 até o fim de 2020, com 173 novas conexões - 73% serão interligadas ao transporte público.

"Vamos fazer a conectividade das ciclovias que foram, segundo o prefeito Bruno Covas, 'espalhadas tipo orégano em pizza'. Estamos dando funcionalidade ao que foi feito anteriormente, conectando-as com terminais de ônibus, estações de metrô e espaços públicos", disse Ricardo.

A ciclovia da Radial Leste será conectada ao centro. Foto: Johann Almeida.A ciclovia da Radial Leste será conectada ao centro. Foto: Johann Almeida.

A ciclovia da Radial Leste, que liga as estações do Metrô Corinthians-Itaquera e Tatuapé, ganhará 5,7 quilômetros e chegará até o centro da cidade, no Parque Dom Pedro II.

Do 310 quilômetros previstos para serem reformados, 60 já foram entregues. No mês passado, o Estado revelou que somente nove quilômetros haviam sido entregues em dois meses e meio, desde o começo dos trabalhos em agosto.

A reportagem também mostrou que ciclistas que usaram os trechos revitalizados elogiaram a nova estrutura, mas se queixaram da falta de sinalização em vias apagadas e de divulgação de um cronograma detalhado.

O plano cicloviário prevê investimento de R$ 325 milhões, acompanhado do projeto de recapeamento que conta com recursos de R$ 250 milhões.

Segundo a Prefeitura, para ser criado, foram realizadas dez audiências públicas e dez oficinas participativas organizadas pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e pela Câmara Temática de Bicicleta (CTB).

A pintura vermelha vai aparecer apenas na aproximação das travessias. Foto: Euvilásio Sales.A pintura vermelha vai aparecer apenas na aproximação das travessias. Foto: Euvilásio Sales.

A lista das obras concluídas, previstas e em andamento está disponível no site da CET.

Os serviços incluem a renovação do pavimento asfáltico e a aplicação do novo padrão de sinalização com pintura vermelha apenas na aproximação das travessias. Também são instalados tachões a cada metro.

Em novembro, a CET afirmou que a linha de bordo está sendo feita, de modo emergencial, para alertar motoristas sobre a continuidade da existência da ciclofaixa.

Diferentemente da antiga pintura no asfalto, que era por toda a extensão em vermelho e com tachões e pinos de segurança, o novo padrão apresenta pintura vermelha só nos 10 metros de aproximação com os cruzamentos.

No restante da faixa, são desenhados símbolos de bicicletas no asfalto e linhas de bordo (vermelha e branca) dividindo o espaço entre bicicletas e carros. Tachões amarelos são instalados a cada metro da via, em cima da faixa branca, podendo variar de acordo com o projeto.

O decreto sobre a instalação de paraciclos em equipamentos públicos deve ser publicado ainda nesta semana.

Prefeitura vai remanejar 25 ciclovias na cidade

Ciclovia da avenida Bento Guelfi, na região de São Mateus (zona leste da capital paulista), que será extinta pela Prefeitura. Foto: Rivaldo Gomes / Folhapress.Ciclovia da avenida Bento Guelfi, na região de São Mateus (zona leste da capital paulista), que será extinta pela Prefeitura. Foto: Rivaldo Gomes / Folhapress.

A Prefeitura de São Paulo vai extinguir ou mudar o trajeto de ao menos 25 ciclovias da cidade. Segundo a pasta, ao menos 12 quilômetros de vias para bicicletas serão remanejados para melhorar a conexão com outros meios de transporte ou porque foi constatada baixa utilização.

O anúncio foi feito durante apresentação do novo plano cicloviário da capital paulista, na manhã desta sexta-feira (13). A gestão Bruno Covas (PSDB) prevê a construção de 173 quilômetros de novas ciclovias e a reforma de outros 310 quilômetros de vias já existentes.

Entre as ciclovias que serão extintas estão a da avenida Bento Guelfi, na região de São Mateus, e a da rua Professor Gustavo Pires de Andrade, na Vila Prudente, ambas na zona leste da capital Paulistana. Segundo a prefeitura, serão feitas outras conexões com a rede de vias para bicicletas que existem nas proximidades.

Já a ciclovia da avenida Duque de Caxias, na região central, será remanejada para o canteiro central da via. A prefeitura ainda estuda a implantação de Zona Azul para estacionamento na via.

***
Fonte: Estadão Conteúdo. Edição: São Paulo São.



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio