Os planos para tornar Madrid mais agradável para as pessoas que realmente vivem lá - São Paulo São

 

O conselho municipal apresentou um conjunto de prioridades de planejamento urbano para que os madrilenos possam avançar. Foto: Sergio Perez / Reuters.O conselho municipal apresentou um conjunto de prioridades de planejamento urbano para que os madrilenos possam avançar. Foto: Sergio Perez / Reuters.

Em 30 de junho, legisladores em Madrid anunciaram suas intenções de aprovar atualizações nas regras de planejamento da cidade que irão “adaptar a cidade ao século 21”, segundo o governo. O vice-prefeito Begoña Villacís chamou os planos de "a atualização mais ambiciosa dos últimos 24 anos".

A capital da Espanha tem desfrutado de relativa estabilidade econômica nos últimos anos, embora ainda enfrente muitos dos mesmos desafios de áreas densamente povoadas: aumento dos aluguéis, ruas congestionadas, acesso insuficiente a áreas verdes. E, claro, Madrid não escapou ilesa da pandemia. Depois de enfrentar alguns dos piores surtos de Covid-19 do país e várias rodadas de confinamento, as autoridades locais estão agora focadas em reabrir a economia com segurança. A taxa de desemprego da cidade aumentou em 2020, mas tem caído constantemente este ano. O conselho municipal apresentou um conjunto de prioridades de planejamento urbano para que os madrilenos possam seguir adiante. 

Tornando a habitação mais confortável

Foto: Getty Images.Foto: Getty Images.

Em seu discurso, Villacís reconhece como a pandemia aumentou a importância de ter casas confortáveis ​​e habitáveis, e se comprometeu com novas regulamentações que redefiniriam os padrões de conforto para residências e colocariam ênfase em espaços ao ar livre, como varandas e pátios. Um estudo recente descobriu que Madrid tem o maior número de apartamentos internos disponíveis em seu mercado imobiliário em comparação com o resto da Espanha, o que significa que muitos apartamentos não têm acesso fácil a espaços ao ar livre. Madrid ainda não definiu as atualizações em seus códigos de habitação, mas podem surgir medidas recentes aprovadas pelo governo basco exigindo que as novas casas construídas na região incluam uma varanda.


O prefeito José Luis Martínez-Almeida também anunciou durante a reunião que a cidade investirá € 180 milhões ($ 214 milhões) em um projeto para construir cerca de 1.200 unidades de habitação pública nos próximos meses para residentes de baixa renda e outros grupos mais vulneráveis ​​como famílias monoparentais e idosos. Isto se soma a vários outros projetos de revitalização e novas construções que já estão em andamento. “Somos a maior construtora de moradias públicas da Espanha”, disse o prefeito sobre a prefeitura.

Incentivar uso de mais residências compartilhadas

Villacís reconhece como a pandemia aumentou a importância de ter casas confortáveis ​​e habitáveis. Foto: Getty Images.Villacís reconhece como a pandemia aumentou a importância de ter casas confortáveis ​​e habitáveis. Foto: Getty Images.

Os espaços de co-living em estilo dormitório, onde unidades individuais compartilham cozinhas e áreas comuns, ganharam popularidade nos últimos anos. Villacís diz que regulamentará esses tipos de moradias de uma forma que os incentive a proliferar. Em junho, a prefeitura de Madrid aprovou um novo projeto de co-living no bairro de Barajas, próximo ao aeroporto. O edifício incluirá mais de 70 unidades a preços acessíveis, bem como 25 apartamentos destinados a serem “espaços intergeracionais” que incentivam a convivência para pessoas em todas as fases da vida.
 
Limitar os aluguéis de temporada como Airbnb, VRBO, HomeAway e Wimdu
 
Villacís também propôs um novo regulamento para aluguel turístico, que tem sido uma fonte de disputa por seu impacto no mercado geral de aluguel na cidade. Madrid tem o maior número de apartamentos para aluguel por temporada de curta duração na Espanha, superando Barcelona, ​​que também teve seus problemas com o mercado do Airbnb. Embora o mercado tenha diminuído um pouco por causa da pandemia, há quase 1,5 milhão de quartos para turistas disponíveis em toda a cidade. Em 2019, o governo municipal emitiu uma norma dizendo que apartamentos sem entrada privativa não podiam ser oferecidos para locação por temporada, tornando mais difícil para um único proprietário de um prédio alugar uma unidade. A mudança foi parte dos esforços contínuos da cidade para conter o mercado de aluguel de curto prazo. Qualquer nova atualização no código da cidade provavelmente tornará mais rigorosas essas regras sobre quais apartamentos podem ser alugados.
 
Tornar as ruas mais habitáveis ​​para as pessoas, não para os carros

Madrid tem priorizado cada vez mais os pedestres em vez dos veículos em suas ruas nos últimos anos. Foto: Pierrot Heritier.Madrid tem priorizado cada vez mais os pedestres em vez dos veículos em suas ruas nos últimos anos. Foto: Pierrot Heritier.

As grandes ruas de Madrid também podem ser revitalizadas com as novas propostas. Villacís disse que quer iniciar projetos que vão “trazer vida” de volta às ruas, incluindo novos espaços para lojas e assim promover o comércio local e atividades de lazer. Bairros de Madri como Las Tablas, Sanchinarro e El Cañaveral estão todos centralizados em torno de largas avenidas que acomodam pedestres com áreas verdes e também carros nas ruas. Como Barcelona e outras cidades da Europa, Madrid tem priorizado cada vez mais os pedestres em vez dos veículos em suas ruas nos últimos anos. Em 2018, o governo bloqueou o acesso de todos os veículos não residentes no centro da cidade.


***
Por Camille Squires na Quartz (Inglês).



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio