Encontros - São Paulo São

São Paulo São Encontros


No final de semana em que se comemora o Dia da Consciência Negra, o “Mundo Mix Afro” apresenta uma extensa programação inspirada no comportamento e estilo da raça negra. Nos dias 21 e 22 a Praça das Artes recebe oficinas, música, dança, fotografia, criações da moda, espaço gastronômico e debates sobre temas relevantes para a sociedade. 

A programação musical está no DNA evento que, desta vez, preparou uma programação para lá de especial. No sábado, como já é tradição, o som fica sob a responsabilidade da Rádio MMM, comandada pelo DJ residente Will Robson e seus convidados. Já no domingo a diversão é garantida com a Festa Hot Pente, que inclui apresentações da MC Soffia, quatro DJ’s no comando de suas picapes, as dançarinas Irmany e o show do rapper Rico Dalasam, grande sucesso da cena musical brasileira.

Outro destaque do evento são as oficinas de turbantes, junto a uma intervenção de maquiagem criativa; block printing, na qual você ainda recebe um lenço estampado de presente de Natal; além da de penteados, que é também a oportunidade de dar dicas e tirar dúvidas que valorizem a beleza dos fios crespos e cacheados.

O espaço recebe ainda um espaço exclusivo para alimentação e expositores de marcas com referências étnicas (seja em seus produtos, criadores ou público a quem se destina).

Histórico

Os dois compromissos principais do Mercado Mundo Mix desde a sua criação, em 1994, são fortalecer a economia criativa e celebrar a diversidade cultural do país, literalmente traduzidos neste último MMM da cidade de São Paulo em 2015. Assim, no final de semana em que se comemora o Dia da Consciência Negra, o evento apresenta uma extensa programação inspirada no comportamento e estilo da raça negra: são oficinas de penteados, maquiagem e turbantes, música, dança, fotografia, e criações nas áreas de moda, além de debates sobre temas relevantes para a sociedade.
 
É a primeira vez que o Mercado Mundo Mix traz rodadas de debates em sua programação. Serão cinco temas – três no sábado e dois no domingo – envolvendo questões como a representação dos negros da mídia, racismo e gordofobia, afroempreendedorismo e vivência LGBT e negra na periferia (a programação está no final do texto). Todos acontecem no Hall de Eventos do 1º andar.
 

Acesse a página do evento e confira programação completa!

Serviço
Mercado Mix Afro
Entrada gratuita.
Data: 21 e 22 de novembro.
Horário: das 10h às 21h.
Local: Praça das Artes.
Endereço: Av. São João, 281 – Centro.

 

***
Com informações: Catraca Livre e R7.


Os foliões que quiserem curtir o Carnaval de rua em São Paulo em 2016 terão menos tempo para desfilar em um bloco. A prefeitura resolveu encurtar o calendário oficial da festa de cinco semanas para três.
 
Pinheiros, na zona oeste, vai ter menos desfiles e acomodar só agremiações tradicionais do bairro. Apesar de haver menos dias de folia (de 29 de janeiro a 14 de fevereiro), a Secretaria Municipal da Cultura, que organiza o evento, prevê que mais blocos estarão nas ruas – dos cerca de 300 em 2015 para 400 no ano que vem. 
Para tentar evitar a repetição dos transtornos do ano passado, a moradores da Vila Madalena e de Pinheiros, foram adotadas novas regras para os desfiles. 
 
"Somente blocos tradicionais da região vão poder desfilar ali, os outros terão de escolher novos percursos. Queremos um Carnaval mais disperso, indo para o centro, para a zona leste e para a periferia. Ruas com grande fluxo de transporte coletivo não vão poder receber blocos", afirma o secretário Nabil Bonduki (Cultura).

A avenida Sumaré (zona oeste), que acomodou blocos com até 50 mil integrantes em fevereiro, deve ficar fora do circuito dos blocos. Grupos sem patrocínio e gratuitos podem pedir apoio logístico como banheiros químicos, ambulâncias e isenção da taxa para fechamento de vias.

As inscrições para o cadastramento de blocos estão abertas no site http://www.carnavalderua.prefeitura.sp.gov.br/

***
Com informações da Folha de S.Paulo.
 
 


A cidade de São Paulo foi empossada na manhã do último sábado (14) como presidente da Rede Mercocidades, que reúne quase 300 municípios de nove países sul-americanos, com o papel de integrá-los culturalmente, politicamente e comercialmente. A capital paulista substitui a argentina Rosário e ficará no posto até o fim de 2016, quando outra cidade argentina, Santa Fé, se tornará coordenadora-geral.

A transmissão de liderança da rede entre a prefeita Mónica Fein e o prefeito Fernando Haddad aconteceu no hall monumental do Edifício Matarazzo, no centro, onde foi realizada a Assembleia Geral de Mercocidades. O evento encerra a programação do XX Cúpula de Mercocidades, iniciada na última quinta-feira (12) e que celebrou os 20 anos da rede.

“As cidades vem ganhando cada vez mais peso no cenário internacional, em funções de vários assuntos como a questão democrática, acesso a direitos sociais ou mudanças climáticas. Tudo isso impacta fortemente as cidades e, num contexto de estados nacionais, a única forma de sermos ouvidos é pela união”, afirmou Haddad.

“Tenho certeza que São Paulo promoverá o papel que a Rede Mercocidades tem e essa condução estará em ótimas mãos”, disse a prefeita de Rosário.

Além da coordenação-geral, durante a assembleia, São Paulo também assumiu as coordenações da comissão de Direitos Humanos, Juventude e do grupo temático de Pessoas com Deficiência e Inclusão. A cidade ainda ficou com a sub-coordenação de Planejamento Estratégico e Áreas Metropolitanas.  

A assembleia geral foi marcada pela mudança do regimento interno de Mercocidades, aprovada pelos membros, que entre outros pontos, mudou a estrutura organizacional da cúpula, por exemplo, com a troca da figura da secretaria-executiva para presidência.

“Essa mudança do estatuto pretende instituir uma nova liderança e com essa nova liderança, pretendemos dar centralidade na condução da rede aos prefeitos”, afirmou o secretário de Relações Internacionais e Federativas, Vicente Trevas.

Durante assembleia, também foi apresentada da Carta de São Paulo, com diretrizes para a agenda do desenvolvimento sustentável. O prefeito de Montevidéu, Daniel Martinez, também leu um manifesto de repúdio aos atos terroristas cometidos em Paris, na capital da França, na noite desta sexta-feira (13).  

“Sem dúvida, a Rede Mercocidades está representando um espaço de integração regional com a mesma força que outros estruturas internacionais podem alcançar”, disse Martinez. 

“O que está acontecendo na cidade de São Paulo é algo de muita ousadia, determinação e exemplo para os gestores de todo o mundo. As mudanças e transformações que São Paulo tem promovido com sua agenda estratégica são exemplo e inspiração”, afirmou o chefe de assuntos federais da Presidência da República, Olavo Noleto.

Fundada em 11 de novembro de 1995, a Rede Mercocidades conta com cidades da Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai, Venezuela, Chile, Bolívia, Colômbia e Peru.

“As pessoas, hoje, na sua grande maioria ou quase a totalidade em determinadas situações, estão nas cidades. Portanto, ter uma articulação como essa, com trabalho integrado entre os prefeitos, é tão importante neste momento”, disse a representante da Organização dos Estados Americanos (OEA), Ideli Salvatti.

“Temos neste momento, uma tarefa histórica, que é nos unirmos como cidades latino-americanas e sul-americanas no sentido de termos posições mais comuns possíveis na COP-21 e na Habitat III”, afirmou o prefeito de Belo Horizonte e representante da Frente Nacional dos Prefeitos, Márcio Lacerda.

Além do prefeito, estavam presentes a vice-prefeita, Nádia Campeão, a primeira-dama, Ana Estela Haddad, além dos secretários municipais Vicente Trevas (Relações Internacionais), Eduardo Suplicy (Direitos Humanos e Cidadania), Marianne Pinotti (Pessoa com deficiência e mobilidade reduzida), Fernando de Mello Franco (Desenvolvimento Urbano), Nabil Bounduki (Cultura) e Nunzio Briguglio (Comunicação).

***
Fonte: Secretaria Executiva de Comunicação.


Com uma boa dose de humor, ironia e sarcasmo, os MC’s (mestres de cerimônias) duelam entre si com rimas improvisadas no ritmo da base (batida) tocada pelo DJ. A dinâmica da batalha é organizada desta forma: um MC enfrenta o outro podendo pegar o microfone por duas vezes durante 30 segundos cada um. Além do próprio conteúdo das rimas, é a capacidade de envolver e empolgar a plateia com a rapidez do raciocínio que faz o próprio público escolher naturalmente o vencedor da Rinha dos MC’s.

São inúmeras histórias de artistas e protagonistas que circularam pela Rinha consolidando sua carreira, desenvolvendo potencialidades e apresentando trabalhos artísticos. Figuras importantes na atualidade como Emicida, Projota, Rashid e Flora Matos são somente uma amostra da importância da Rinha no cenário musical brasileiro. “Para 2016, com os 10 anos de projeto, queremos expandir nossas atividades, desenvolvendo tecnologias sociais que possam dar sustentação ao projeto. Inclusive já temos previsto o lançamento de uma websérie que vai fortalecer todos os movimentos de batalhas que temos hoje na cidade. Está tudo sendo pensado em função da expansão como um todo. ” afirma Amanda.

Programação

16h – Discotecagem DJ Marco e DJ Dipper
17h – Danças Urbanas com DarealBeatCompany
17h40 – Batalha de MC’s com premiação
19h – Show Criolo e DanDan (formato DJ + MC)

Grupo OPNI

Formado em 1997, inicialmente, o Grupo OPNI era composto por cerca de vinte jovens moradores do bairro de São Mateus, na periferia de São Paulo que se reuniram com um ideal em comum: expressar por meio de arte, a realidade do dia a dia que os tornava invisíveis, para oportunidades e alvo para compor estereótipos. Tendo como inspiração a comunidade onde cresceram e a forte influência da cultura afro brasileira, os traços desenvolvidos pelo Grupo OPNI revelam um olhar periférico e ativista, que passeia por temas variados construindo uma poética visual igualmente bela e impactante. Durante a trajetória de 17 anos, o Grupo realizou trabalhos expressivos com participações em eventos internacionais (Manifesto Canadá, em 2008; Gran Maestro Graffiti e Chile Sudaka Dance, em 2004) e já desenvolveu projetos para diversos artistas da cena atual de música independente, como Racionais MC’s, Criolo, MV Bill, Dexter, Emicida, Charlie Brow Junior, O Rappa, Banda Black Rio, Ponto de Equilíbrio, entre outros. Atualmente, o Grupo OPNI também é responsável por diversos projetos realizados na Vila Flávia, e que dialogam com comunidades periféricas de todo o mundo. Algumas dessas ações são protagonizadas pela ONG São Matheus em Movimento, que fundada pelo coletivo em 2008, conquistou o status de maior articuladora cultural da região, e hoje atua em parceria com diversos grupos, oferecendo, além de apoio para os artistas, cursos e oficinas gratuitos de diferentes linguagens, para crianças e adolescentes.

DaRealBeatCompany

DaRealBeat Company of Performance, companhia de dança criada na cidade de Ribeirão Pires-SP.O projeto DRBeatCrw iniciou em 2010, com a ideia de Rafael Rodney deformar um grupo especializado em danças urbanas. O grupo estreou no mês de outubro de 2010, com suas repercussões grandes para seu trabalho com uma linha diferente de outros grupos na região. Hoje DRBeatCrw representa a escola DAREAL-STUDIO DANCE COMPLEX e trabalho com um foco maior em shows e espetáculos.

Serviço

Quando: dia 22 de novembro.
Onde: Centro Cultural da Juventude – CCJ.
Endereço: Avenida Deputado Emílio Carlos, 3641 – Vila Nova Cachoeirinha
Entrada gratuita.

*
**
Mandrake na redação do RAP Nacional.

 


No próximo domingo, 15/11, a partir das 10h, acontece na Comunidade Água Branca o evento de encerramento das atividade do Revivarte deste ano. A ação contará com oficinas diversas, graf​ites e shows com grupos de rap, reggae e a escola de samba Rosas de Ouro. Durante a confraternização, será lançado o Livreto Revivarte, publicação que conta com a história das 3 edições do projeto, que acaba de completar 34 pinturas em laterais de prédios de conjuntos habitacionais em São Paulo.

Nesse ano, com o apoio do “Tudo de cor para você” da Tintas Coral, o projeto pintou oito empenas no conjunto habitacional Água Branca, Zona Oeste de São Paulo com os artistas Bruno Paes, Bruno Perê, Ítalo e Suzue – selecionados pelos moradores por meio do 2º Edital Revivarte de Arte Mural – além dos artistas residentes, Subtu, Mundano, Fel e RMI.

Além das pinturas dos prédios, foram realizadas oficinas de arte, cines-debate e um mutirão de pintura da quadra poliesportiva com o envolvimento dos moradores.

Programação 15/11

10h - Abertura do evento de graf​ite​ – traga suas tintas!!
10h  - Oficina de Customização de Camisetas – Com Green Tee​.​
11h - Oficina de papel mache – Com Ateliê damargem​.​
12h - Oficina de Miçanga – Com Ana Rita Colorida​.​
13h - Visita guiada​.​
13​h​30 - Lançamento do Livreto Projeto Revivarte​.​
14h - Rap com Latam Esquad​.​
16h - Bateria Rosas de Ouro​.​
17​h​30 - Reggae com a Banda DaviDariloco / VidaColorida​.

Sobre o Revivarte

Idealizado pelo artista Subtu, o projeto Revivarte visa revitalizar comunidades por meio da arte, com as galerias a céu aberto, novos espaços de arte e convivência. A iniciativa, contemplada pelo Programa para Valorização de Iniciativas Culturais (VAI) de São Paulo nos anos de 2013, 2014 e 2015, conta ainda com as participações dos artistas Mundano, FEL e RMI no quadro do projeto.Desde 2013, já foram pintados 26 prédios no Parque do Gato e em 2015, 8 painéis na Comunidade Água Branca.

***
Natt Naville no Mistura Urbana.


Entre os dias 11 e 22 de novembro a cidade de São Paulo receberá o 23° Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade, maior festival dedicado ao movimento LGBTQ da América Latina. Em 2015, o evento apresenta 138 filmes de 27 países, além de teatro, música, leitura dramática, performances e a 1ª Conferência Internacional [SSEX BBOX] & Mix Brasil. Nesta edição, o festival homenageará Suzy Capó, uma das fundadoras do Mix Brasil.

Inédito em São Paulo, o longa "Te Prometo Anarquia" (México-Alemanha) de Julio Hernández Cordón abre o festival no dia 11. Selecionado para os festivais de Locarno e Toronto e recentemente premiado como melhor longa latino-americano do Festival do Rio, a história da película gira em torno de Miguel, de família de classe média, e Johnny, de bairro humilde, que são skatistas e namorados. Para financiar seu estilo de vida, eles vendem o seu próprio sangue e de sua gangue a clínicas clandestinas, até que um grande trabalho para a máfia dá errado.

Também estão confirmados longas-metragens e documentários premiados recentemente em Festivais Internacionais de Cinema como Berlinale e Frameline, entre outros. Dentre eles, destaque especial para "Grandma" (EUA), de Paul Weitz, com Lily Tomlin e Laverne Cox; "Nasty Baby" (EUA), de Sebastián Silva, protagonizado pela atriz Kristen Wiig e ganhador do Teddy Bear de longa-metragem em Berlim; "Como Vencer no Jogo" (Sempre) (Tailândia/EUA/Indonésia), de Josh Kim, que concorre a uma vaga ao Oscar de melhor filme estrangeiro pela Tailândia; "Amor Eterno" (Espanha) de Marçal Forés, "Margarita com Canudinho" (Índia), de Shonali Bose; "Histórias de Nossas Vidas" (Quênia), de Jim Chuchu, vencedor do Teddy de melhor documentário em Berlim; e "Tab Hunter – Confidencial" (EUA), de Jeffrey Schwarz.  Este último é um documentário sobre a vida secreta do grande astro de Hollywood Tab Hunter, que estrelou filmes ao lado de Sophia Loren, Debbie Reynolds e Natalie Wood.

O Festival apresenta nesta edição sua maior seleção de curtas-metragens nacionais, escolhidos entre 370 inscrições. No total, serão exibidos mais de 50 trabalhos brasileiros, sendo 18 curtas em competição. O Mix Festival ainda premiará com o Coelho de Ouro o melhor longa-metragem brasileiro.  Os concorrentes, a maioria inédito na capital paulista, são "A Paixão de JL", de Carlos Nader,  "A Seita", de André Antônio,  "Âncora do Marujo", de Victor Nascimento,  "Califórnia", de Marina Person, "O Animal Sonhado", de Breno Baptista, Luciana Vieira, Rodrigo Fernandes, Samuel Brasileiro, Ticiana Augusto Lima e Victor Costa Lopes, "Quase Samba", de Ricardo Targino, Ralé, de  Helena Ignez, "TupiniQueens", de João Monteiro, "Vozeria", de Raphaela Comisso, "Yorimatã", de Rafael Saar.

O Mix Brasil ainda dedica parte da programação desse ano a mostra Mundo Mix América Latina, uma seleção especial de 8 longas e vários curtas latino-americanos. Entre os longas estão "Grisalhos" (Chile), de Claudio Marcone, melhor longa-metragem de estreia do Frameline São Francisco, “O Homem Novo" (Uruguai/Chile/Nicarágua), de Aldo Garay, "A Visita" (Chile), de Mauricio López Fernández (com a presença do diretor), "Carmim Tropical" (México), de Rigoberto Perezcano, "Juntos e Misturados" (Cuba/Espanha), de Nicolás Muñoz, "Liz em Setembro" (Venezuela), de Fina Torres, "Mariposa" (Argentina), de  Marco Berger e, "Te Prometo Anarquia".

Esta edição do evento acomodará, no Centro Cultural São Paulo, a primeira Conferência Internacional [SSEX BBOX] & Mix Brasil, com curadoria de Priscilla Bertucci. O evento, uma inédita parceria entre Mix Brasil e [SSEX BBOX], acontece de 17 a 22 de novembro e trará palestras, mesas de debates, e workshops com pesquisadores, ativistas, artistas, trabalhadores sexuais e pessoas que vivenciam questões relativas ao gênero e à sexualidade de forma não convencional.

Os longas e curtas serão exibidos nas seis salas disponíveis no Centro Cultural São Paulo, além do Cine Itaú Augusta e do Cine Sesc. Confira a programação completa clicando aqui.

Fonte: Revista Brasileiros.