Encontros - São Paulo São

São Paulo São Encontros


Os paulistanos já podem preparar a pipoca para a nova temporada de cinema ao ar livre da Casa das Rosas, no Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura. Em sua segunda edição, o evento Jardim Paradiso é inspirado no longa do diretor Giuseppe Tornatore, Cinema Paradiso (1988), clássico que celebra a magia do cinema.

O sucesso do evento em 2015 fez com que passassem pelo espaço mais de 2.000 espectadores. Novamente às quintas-feiras – 28 de janeiro e 4 e 18 de fevereiro, às 20h –, a Casa exibirá filmes com a temática das questões migratórias no mundo. A programação inclui, pela ordem, Gran Torino (2008), de Clint Eastwood; A Boa Mentira (2014), de Philippe Falardeau; e O Terminal (2004), de Steven Spielberg. Lembrando que a classificação indicativa dos dois primeiros filmes são de 14 e 12 anos.

As sessões serão no jardim da Casa das Rosas e não há necessidade de comprar ingresso, pois a entrada é gratuita. Em caso de chuva, o evento será cancelado. O espaço pertence a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo e é gerenciado pela POIESIS Instituto de Apoio à Cultura.

Serviço

Jardim Paradiso
Casa das Rosas - Avenida Paulista, 37 – próximo à Estação Brigadeiro do Metrô. 
Horário de funcionamento: de terça-feira a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 10h às 18h. 
Para mais informações: (11) 3285-6986 / (11) 3288-9447.


***
Fonte: Ciclo Vivo.


Mais de 30 mil pessoas comemoraram nesta segunda-feira (25) o 462º aniversário de São Paulo com o cantor Gilberto Gil, que animou o público do Centro Esportivo e de Lazer Tietê no encerramento da programação cultural do feriado. A festa teve três dias de atrações em 12 ruas abertas, teatros, parques, centros culturais, CEUs e palcos externos na periferia. Um dos destaques foi o axé da cantora Daniela Mercury, que antecipou com carnaval e levou 150 mil pessoas neste domingo para a folia na avenida Rebouças e na rua da Consolação.

Em seu show, Gilberto Gil fez o público dançar e se emocionar, com clássicos de seu repertório, como “A Paz” e “A Novidade”, o xote “Esperando na Janela” e “Tempo rei”, canção que abriu a apresentação. O cantor fez ainda uma homenagem a Bob Marley, com os reggaes “Three Little Birds” e “Is This Love”.

A funcionária pública Roseli de Souza, 38 anos, estava curtindo a música com sua filha Ludmila, 6 anos. “Fizemos um passeio hoje no Memorial da América Latina. Quando entramos no metrô para voltar para casa, decidimos aproveitar esta tarde bonita para ver o show. Ela está adorando”, conta Roseli, que mora na Vila Guarani, zona sul de São Paulo. 
 

No Centro Esportivo e de Lazer Tietê. Foto: Leon Rodrigues / Secom.
 
Um dos momentos mais emocionantes foi quando o baiano e as milhares e pessoas da plateia cantaram juntos Parabéns para Você em homenagem a São Paulo. “Uma cidade que se esforça tanto, trabalha tanto, se preocupa tanto com o Brasil, merece uma festa com o povo”, disse Gilberto Gil. Acompanharam o espetáculo Ana Estela Haddad, primeira-dama e coordenadora do "São Paulo Carinhosa", e os secretários Nabil Bonduki (Cultura) e Eduardo Suplicy (Direitos Humanos e Cidadania).

A apresentação do cantor baiano foi aberta pelos Demônios da Garoa, que cantaram os sambas de Adoniran Barbosa. Marchinhas tradicionais de carnaval fizeram o público entrar no clima de folia. A apresentação terminou com as milhares de pessoas cantando os versos de Trem das Onze, de Adoniran. 


 Show dos Demônios da Garôa e Gilberto Gil no Centro Esportivo e de Lazer Tietê. Foto: Leon Rodrigues / Secom.


“O show está incrível. Fiquei ontem até as 21h no trio elétrico da Daniela Mercury, fui para casa e saí hoje para o show do Gil. As atrações estão muito bacanas. E coisa boa de graça não dá para perder”, avalia Beatriz Machado, 22 anos. A paulistana, que mora no Jaraguá, zona norte, conta que seu grupo de amigos teve diversão garantida no feriado, por conta da maratona cultural do aniversário da cidade.

As comemorações foram abertas oficialmente neste sábado (23) com uma festa em ritmo de samba. Um espetáculo em homenagem ao centenário do gênero musical foi realizado no Viaduto do Chá, em palco montado em frente à sede da Prefeitura. A programação começou por volta das 12h e se estendeu até às 20 horas, com rodas de samba, comunidades e apresentação do Dj Malê que levaram animação para os fãs do gênero. O espetáculo, gratuito, contou com shows de sete grupos que fazem parte da Associação de Sambistas, Terreiros e Comunidades de Samba de São Paulo (Astec), entre eles as comunidades Maria Cursi, Samba da Laje, Samba da Vela, Pagode da 27 e Rua do Samba Paulista.

A programação de shows contou ainda com atrações como Maria Gadú, que se apresentou no sábado (23) na Casa de Cultura Palhaço Carequinha, no Grajaú, e Criolo que cantou no Palco Parelheiros, na zona sul.  O CEU Aricanduva, na zona leste, recebeu a banda de hardcore Ratos de Porão e o CEU Alvarenga, na zona sul, ouviu o rock da banda Raimundos.

Além das atrações musicais, turistas e paulistanos puderam conhecer melhor a cidade de bicicleta e de transporte público. O tradicional passeio de trólebus realizou nesta segunda-feira (25) mais de 120 viagens e apresentou toda a história da região central para 4.632 passageiros. Os ônibus saíram do Pateo do Collegio e passearam pelo Centro, em locais como o Viaduto do Chá, a Praça Ramos de Azevedo, a Praça da República, o Largo São Francisco e a Praça da Sé.

No domingo (25), mais de 10 mil ciclistas participaram do Passeio Ciclístico de Aniversário da Cidade de São Paulo. Com trajeto de 15,8 km, os participantes pedalaram pela avenida Paulista e pelos bairros de Pinheiros e Pompéia, pela praça Campo de Bagatelle, terminando na Praça Pedro Lessa, próxima ao Vale do Anhangabaú.

Carnaval

A cantora Daniela Mercury foi a grande atração do domingo (24). Em trio elétrico, ela arrastou uma multidão pelas ruas da cidade em um show que durou cerca de seis horas. Muitas pessoas pularam e dançaram durante toda a tarde com a rainha do axé, em um espetáculo que teve concentração na Avenida Brigadeiro Faria Lima, na zona oeste, e terminou por volta das 22h30 na Praça Roosevelt, no centro.

População segue o bloco Daniela Mercury na Avenida Paulista. Foto: Leon Rodrigues / Secom.
 

"Vamos inaugurar o Carnaval em São Paulo", disse Daniela diante do público, ainda na concentração, que começou por volta das 15h30. "Eu adoro São Paulo. Há muitos anos eu sonho em voltar aqui. Vamos animar São Paulo.” Perto do horário de saída do trio elétrico, com destino à Avenida Rebouças, começou a garoar, mas a cantora avisou que a chuva era para abençoar todos.

Previsto para durar quatro horas, o show se estendeu por mais duas horas e agitou a cidade. Daniela abriu o espetáculo com a música "Swing da Cor", um de seus primeiros sucessos, e durante o percurso interpretou praticamente todo o seu repertório. Uma das canções, composta em homenagem a São Paulo, foi "Antropofágicos São Paulistanos".

"A cidade de São Paulo está feliz. A Daniela Mercury gosta muito de São Paulo e transmite muita energia para as pessoas que estão acompanhando o trio elétrico", disse a primeira-dama e coordenadora do programa São Paulo Carinhosa, Ana Estela Haddad, que acompanhou grande parte do show.

"Este show foi único em São Paulo. Nunca um trio elétrico fez um percurso tão longo pela cidade, percorrendo cerca de cinco quilômetros, ainda mais acompanhando por uma cantora tão representativa para nossa cultura", comentou o secretário municipal Nabil Bonduki (Cultura).

“Pequena Virada Cultural”

As festividades em comemoração do aniversário de São Paulo começaram no sábado (23), quando aconteceram, segundo Bonduki, mais de 60 eventos espelhados pela cidade. Para os três dias de celebração, foram programadas mais de 100 atividades culturais, de esporte e de lazer, combinados com o programa Rua Aberta, que abriu vias para pedestres e ciclistas tanto no domingo quanto na segunda (25) e também ofereceu atrações para a população, principalmente o público infantil. O objetivo foi dar oportunidade para participação de moradores de todas as regiões do município.

Como as celebrações coincidiram com o feriado prolongado, Bonduki diz que a Prefeitura promoveu uma espécie de "Viradinha Cultural", com eventos programados para três dias seguidos. "Estamos trabalhando para termos várias festividades desse tipo ao longo do ano na cidade", afirmou o secretário.

***
Fonte: Secretaria Executiva de Comunicação.

 


150 baterias vão tocar juntas. Duas das maiores bateristas brasileiras, Lilian Carmona e Vera Figueiredo, vão se apresentar acompanhando a banda Brotheria. Estrelas convidadas, Clemente, Pitty e Supla lembrarão os grandes momentos do Rock Paulista.

Bateras 100% Brasil, evento tradicional que promove o encontro de bateristas, criado há 15 anos pelo músico e professor Dino Verdade, com edições em diversas cidades do país, tem sempre uma “orquestra" deles que se reúne para tocar um repertório preparado para a ocasião.

Para acompanhar o grupo de bateristas que tocará no Vale, o grupo musical Brotheria, liderado por Bozzo Barretti, executa os temas ensaiados conduzido por uma linha de frente com 5 bateristas profissionais. No chão, mais de 150 bateristas dispostos em fileiras, tocam em sincronia com os músicos no palco.

A edição deste dia 24, "Bateras por elas” vai destacar a nova fase da bateria no Brasil e no mundo, desde que as mulheres passaram a assumir as baquetas. Não faz muito tempo despertava curiosidade se deparar com mulheres que escolheram a bateria como sua opção profissional. No palco, as duas grandes damas da bateria brasileira, Lilian Carmona e Vera Figueiredo, serão homenageadas, e juntamente com outras importantes profissionais das baquetas estarão dando as coordenadas para as bateristas que deverão encher as primeiras filas de participantes.

Algumas canções marcantes do Rock brasileiro serão interpretadas por convidados especiais; Clemente interpretará “Envelheço na Cidade” (Ira!), ocasião em que o ex-baterista do grupo autor da canção, Andre Jung, irá acompanhá-lo na bateria; Supla vai cantar Should I Stay or Shuld I Go (The Clash); Pitty é aguardada para cantar Ovelha Negra de Rita Lee.

Serviço
Bateras 100% Brasil no Aniversário de São Paulo (462 Anos).
Data: 24/01/2016.
Horário do Show: 14h.
Duração: 1 hora.
Local: Parque do Anhangabaú - O Palco será montado embaixo do Viaduto do Chá.

O show terá transmissão ao vivo por streaming. Acesse o link no youtube.



***
O São Paulo São apoia a iniciativa.





Para aproveitar o verão paulistano ao ar livre, selecionamos dez bares onde é possível beber e petiscar na calçada, varanda ou cobertura. Confira e bons goles.
 

Alto da Harmonia
O bar de três andares ocupa um antigo sobrado na Vila Madalena. A varanda na entrada é simpática, mas o que vale mesmo a visita em um dia quente de verão é a cobertura ao ar livre, de 180 m², com vista para o bairro. Há até uma luneta que permite espiar a movimentação. Enquanto contempla, peça o chope da casa, produzido pela cervejaria paulista Karavelle. Se quiser curtir o ar fresco com seu bichinho de estimação, ele também é bem-vindo.

R. Harmonia, 271, Sumarezinho, região oeste, tel. 2528-1241. 250 lugares. Ter. a sex.: 17h à 1h. Sáb.: 12h à 1h. Dom.: 12h às 22h. Preço: R$ 11 (cerveja Karavelle - 600 ml). Valet (R$ 25).

***

Bar do Juarez
As quatro unidades da rede do baiano Juarez Alves têm mesas na calçada, para petiscar ao ar fresco e tomar cerveja bem à vontade. A fórmula de sucesso replica azulejos azuis nas paredes, balcões de acepipes e chope Brahma. Servido na caldeireta, casa com a famosa porção de picanha, que chega crua à mesa para o cliente grelhar no réchaud.

Av. Jurema, 324/332, Indianópolis, região sul, tel. 5052-4449. 320 lugares. Seg. a sex.: 17h à 1h. Sáb. e dom.: 12h à 1h. Preço: R$ 7,30 (chope Brahma Claro - 300 ml). Valet (R$ 25). E outros endereços.

***

BrewDog
O clima é despojado. São cerca de 20 torneiras de chope e mais de 200 rótulos de cerveja. Dá para degustá-las dentro ou nas mesinhas na varanda, em frente ao Instituto Tomie Ohtake. É na varanda, também, que ocorre o Bar Beer Cue: churrasco, cerveja e música ao vivo. Geralmente no penúltimo sábado do mês.

R. dos Coropés, 41, Pinheiros, região oeste, tel. 3032-4007. 120 lugares. Seg. a qua.: 18h às 24h. Qui.: 18h à 1h. Sex.: 18h às 2h. Sáb.: 14h às 2h. Dom.: 15h às 23h. Preço: R$ 24 (chope Punk IPA - 284 ml).

***

Casa do Espeto
O quintal ao ar livre é espaçoso e rodeado por árvores —boa pedida para a proposta do bar, já que a área arejada impede que os clientes fiquem "defumados". Oferece mais de 40 tipos de espetos, incluindo vegetarianos, doces e espetos frios. Para se refrescar, a dica é tomar uma caipirinha —há as de sabores tradicionais e outras mais elaboradas, como a de limão
rosa com tangerina e pimenta.

R. Cotoxó, 582, Perdizes, região oeste, tel. 3670-5150. 1.100 lugares. Ter. a sex.: 18h à 1h. Sáb. e dom.: 12h à 1h. Ingr.: R$ 5. Preço: R$ 14,90 (cerveja Original - 600 ml). Valet (R$ 25). Reserva p/ [email protected] Música ao vivo (ter. a sex., a partir das 20h; sáb., 13h às 17h e a partir das 20h; dom., a partir das 13h).

***

Cervejaria Ô Fiô
A casa, que conta com cerca de 250 rótulos de cervejas artesanais e importadas, tem jardim repleto de plantas, mesinhas e um deque, sempre lotado, que é boa pedida para o verão. Ombrelones protegem os clientes nos dias mais quentes. Para acompanhar a bebedeira, há sanduíches e porções como o Filé dô Fiô —filé-mignon em cubos, grelhado, e servido com molho à escolha do cliente.

R. Lício Marcondes do Amaral, 51, Vila Progredior, região oeste, tel. 3721-6636. 130 lugares. Ter. a qui.: 18h à 1h. Sex.: 17h à 1h. Sáb.: 12h à 1h. Dom.: 12h às 22h. Couv. art.: R$ 12. Preço: R$ 8,50 (chope Brahma - 300 ml). Valet (R$ 15). Reserva p/ 3721-3688. Música ao vivo (qui. e sex., 19h às 22h; sáb., 14h às 18h e 19h às 22h).

***

Cervejaria Patriarca
Na esquina das ruas Mourato Coelho e Aspicuelta, no coração da Vila Madalena, fica a casa que tem salão amplo e mesas dispostas ao longo da varanda. A costela bovina feita no bafo é a vedete do cardápio. Para amenizar o calor, às quintas, chope e caipirinha são em dobro.

R. Mourato Coelho, 1.059, Pinheiros, região oeste, tel. 3816-2280. 180 lugares. Ter. a sex.: 17h à 1h. Sáb.: 14h às 2h. Dom.: 12h às 24h. Preço: R$ 13,40 (cerveja Original - 600 ml). E outro endereço.

***

Empório Alto dos Pinheiros
Algumas mesas na calçada e outras na varanda, no primeiro andar, garantem a brisa para quem quer degustar um dos mais de 600 rótulos de cerveja disponíveis no bar —suas prateleiras e geladeiras são estufadas de garrafas. O balcão, com 28 torneiras de chope, oferece opções como a belga Delirium Tremens.

R. Vupabussu, 305, Pinheiros, região oeste, tel. 3031-4328. 94 lugares. Seg. a qua. e dom.: 12h às 24h. Qui. a sáb.: 12h à 1h. Preço: R$ 24 (cerveja Biritis - 600 ml).

***

Jordão Bar
Possui mesas abrigadas em guarda-sóis ao longo da calçada. A arquitetura, que lembra um estilo mais europeu, é chamativa para casais. O bar investe nos petiscos elaborados, como a tábua de presunto ibérico Pata Negra e o ceviche de salmão.

R. Apucarana, 1.452, Tatuapé, região leste, tel. 2671-0670. 300 lugares. Seg. e ter.: 17h às 23h. Qua. e qui.: 17h às 24h. Sex.: 16h à 1h. Sáb.: 12h à 1h. Dom.: 12h às 23h. Preço: R$ 14,50 (chope Brahma - 490 ml). Valet (R$ 25).

***

Pé de Manga
Com um enorme quintal, onde há três mangueiras centenárias, muito verde e um lago artificial, o local é perfeito para as noites mais quentes. O menu também remete à temática tropical, com miniacarajés e casquinha de siri, além do chope Brahma e de caipirinhas de frutas da estação. Recentemente, a casa lançou sua nova carta de cervejas artesanais, com nove rótulos.

R. Arapiraca, 152, Vila Madalena, região oeste, tel. 3032-6068. 250 lugares. Seg. a sex.: 12h às 15h e 18h à 1h. Sáb. e dom.: 12h à 1h. Preço: R$ 9 (cerveja Bohemia - 355 ml). Valet (R$ 25). Reserva (seg. a sex., 10h às 19h).

***

Sarau
Inaugurado em dezembro, a casa, que tem entre os sócios o dramaturgo Wolf Maya, foi erguida do zero em uma esquina da avenida Brigadeiro Luís Antônio, próxima ao parque Ibirapuera. Dos três ambientes, sobressai a área ao ar livre, na cobertura: tem sofás, balcão de bebidas e vista para o hotel Unique, projetado por Ruy Ohtake. A coquetelaria conta com opções harmonizadas por Laércio Zulu.

Av. Brig. Luís Antônio, 4.674, Jardim Paulista, tel. 3062-9534. 240 pessoas. Ter. a qui.: 18h às 2h30. Sex.: 18h às 3h. Sáb.: 12h às 3h. Dom.: 12h à 1h. Preço: R$ 14,90 (cerveja Corona - 335 ml). Valet (R$ 25).

***

Mariana Agunzi no Guia da Folha.

 

 


Em comemoração aos 462 anos da cidade a São Paulo Transporte (SPTrans), promoverá a 11ª edição do Passeio Turístico de Trólebus. O passeio é gratuito e acontece nesta segunda-feira, dia 25 de janeiro de 2016, das 9h às 15h, com saída do Pateo do Collegio, localizado no Centro. 

O evento, que já se tornou tradição, permite a população conhecer a cidade, usando o transporte público em um trajeto que contempla alguns dos cartões postais da metrópole, como charmosas e tradicionais ruas, além de edifícios que guardam pedacinhos da nossa história. 

O programa conta com guias de turismo, especializados da SPTuris, que ao longo do percurso vão dentro dos ônibus chamando a atenção dos passageiros para curiosidade da história da cidade. 

Os trólebus partirão a cada 4 minutos do Pateo do Collegio, somente com passageiros sentados. Como atração especial, os Trovadores Urbanos vão cantar MPB e choro.

Trovadores Urbanos. Foto: Marco Aurélio Olimpio / Divulgação.

O Passeio Turístico de Trólebus é promovido pela Secretaria Municipal de Transportes (SMT), São Paulo Transporte (SPTrans), Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e São Paulo Turismo (SPTuris), com apoio da Ambiental Transportes Urbanos, Viação Gato Preto, SPUrbanuss, Páteo do Colégio, Polícia Militar, Subprefeitura da Sé, e secretarias municipais de Coordenação das Subprefeituras, de Cultura e de Governo Municipal.

Serviço

11ª edição do Passeio Turístico de Trólebus.
Dia: 25 de janeiro de 2016.
Horário: das 09h às 15h (Duração do passeio: 40 minutos).
Saída: Pateo do Collegio.
Itinerário: Pateo do Collegio, Mosteiro do São Bento, Edifício Martinelli, Edifício Altino Arantes, Viaduto do Chá, Theatro Municipal, Praça da República, Edifício Itália, Biblioteca Mário de Andrade, Largo São Francisco e Catedral da Sé.
Grátis.

***
Com informações SPTrans e SPTuris (Tainá Costa)



Um espaço sofisticado, e que segue os moldes dos grandes cineclubes paulistanos do século passado, será aberto no dia 30 de janeiro (sábado), a partir das 15h, como parte das celebrações pelo aniversário da cidade de São Paulo. A Casa Guilherme de Almeida vai inaugurar no espaço Anexo, a Sala Cinematographos, que contará com uma programação diversificada de filmes semanalmente. O espaço terá em torno de 80 m² e capacidade para 40 pessoas. A entrada é gratuita.
 

Fachada da Casa Guilherme de Almeida. Arquivo: São Paulo Antiga. 
 
 

O espaço é uma instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela organização Poiesis. Especialmente para a abertura, às 15h30, será exibido o filme São Paulo, Sinfonia da Metrópole (1929), de Rudolf Lustig e Adalberto Kemeny, com trilha sonora ao vivo por Lívio Tragtenberg. 

“Cinematographos” é o nome original da coluna que Guilherme de Almeida escrevia diariamente no jornal O Estado de S. Paulo entre os anos 1920 e 1940, pioneira da crítica cinematográfica no Brasil.

O crítico, poeta e tradutor Guilherme de Almeida (1890-1969). Acervo Casa da Colina.

A Casa Guilherme de Almeida firmou uma parceria com a Versátil Home Video, principal distribuidora de DVDs do País, para realizar mensalmente a “Sessão Versátil” na Sala Cinematographos.

Programa de Inauguração:

15h
Solenidade de abertura da Sala Cinematographos, com a presença do Secretário de Cultura do Estado de São Paulo, Marcelo Mattos Araujo, e da Coordenadora da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico, Renata Motta.

15h30
Exibição do filme São Paulo, Sinfonia da Metrópole, de Rudolf Lustig e Adalberto Kemeny, com trilha sonora ao vivo por Livio Tragtenberg.
O documentário – considerado um marco na história do cinema brasileiro – será tema de palestra ministrada por Donny Correia, coordenador do Projeto Cinematographos, que incluirá leitura da crítica sobre o filme, publicada por Guilherme de Almeida.

17h
Palestra 'A fotografia e as transformações urbanas na capital paulista', por Luciana Fátima, sobre como as inúmeras transformações pelas quais a cidade de São Paulo passou ao longo de sua história e os registros fotográficos de tal evolução, permitem analisar o impacto no ambiente imaginário de alguns fotógrafos em diferentes momentos históricos.

17h40
Exibição do filme 'São Paulo, Sinfonia e Cacofonia', de Jean-Claude Bernardet, com a presença de seu diretor e da montadora Maria Dora Mourão.

19h
Encerramento.

Serviço
Sala Cinematographos – Casa Guilherme de Almeida Anexo.
Rua Cardoso de Almeida, 1.943, tel. (11) 3673-1883.

***
Com informações Turismo ETC e Casa Guilherme de Almeida.