São Paulo ganha o seu primeiro Centro de Esportes Radicais - São Paulo São

 
Foi aberto ao público na manhã do último sábado (26), o primeiro Centro de Esportes Radicais da cidade de São Paulo, localizado na região do Bom Retiro. Voltado para a prática de skate, bike BMX, patins inline, patinete e Parkour, com circuitos e pistas para todas as modalidades, o equipamento público ocupa uma área de 38 mil m² e é um dos maiores do setor na América Latina. 
 
Com investimentos de R$ 13,4 milhões, o Centro de Esportes Radicais conta ainda com ciclovias, pista de caminhada, área para shows e playground, em local de fácil acesso, na Marginal Tietê, se tornando mais um espaço de lazer e diversão para os paulistanos, assim como o Clube Esportivo Tietê, reaberto como área pública em 2014.
 
"Essa era uma área da cidade que estava completamente esquecida da cidade e que combina com o Clube Tietê como um conjunto de equipamentos esportivos na margem do Tietê, que será muito utilizada pela juventude de São Paulo, do centro e da periferia. O povo virá para cá, porque tudo o que tem de melhor em termos de desenho e formato dos circuitos está nesse local", disse o prefeito Fernando Haddad, que visitou o local nesta manhã.
 
"Não conheço outro circuito de Parkour, e desse tamanho, impossível. Isso valoriza o esporte e mais do que isso, faz com que outras pessoas se interessem e tentem", afirmou o jovem Júlio Cesar Pellegrini, 23 anos, morador do Campo Belo. 
 

Foto: Luis Guadagnoli / Secom.
 
Todo o planejamento das pistas contou com apoio e envolvimento de atletas profissionais, que pensaram nos circuitos e até ajudaram na construção. As obras foram iniciadas no fim de julho do ano passado. O acesso ao público é gratuito, e os circuitos do Centro de Esportes Radicais atendem desde atletas experientes aos jovens iniciantes. 
 
"Como sabemos que ansiedade para fazer o esporte vai ser grande, há uma área específica para crianças, onde a chance de acidentes é muito remota, porque é uma pista mais tranquila e própria", afirmou o prefeito.Além disso, monitores serão contratados para dar aulas para as crianças e até adultos que querem iniciar em alguma das modalidades. "Já abrimos o chamamento público para a constratação de monitores específicos de cada modalidade para ensinar a garotada, de forma gratuita", afirmou o secretário municipal de Esportes, Lazer e Recreação, Celso Jatene.O Centro de Esportes Radicais ganhará ainda outros equipamentos, de acordo com o prefeito.
 
"Existe uma área ainda que está em análise. Ou vamos fazer uma pista de skate ou um ginásio, também para o skate, mas outra modalidade. Estamos avaliando o que é melhor. Esse equipamento combina com o Centro Esportivo Tietê, então, estamos vendo onde encaixar mais equipamentos tanto lá, quanto aqui", afirmou.
 
Turismo
A expectativa é que o novo espaço atraia turistas de todo o país para o local. Em São Bernardo, na região do ABC, o Parque da Juventude Città Di Marostica, com 21 mil m² e também dedicado a prática de esportes radicais, recebe mais de 100 mil visitantes por mês, grande parte de fora da cidade em busca de um espaço adequado e com equipamentos de ponta. Antes, o terreno abrigava barracões de duas escolas de samba, que não poderiam ocupar mais o espaço.
 
"Além de ser muito bom para as pessoas e para o esporte, dá um novo visual para a Marginal Tietê, porque ela é muito carregada, e com esse espaço, se abre um campo de visão da cidade, que convida as pessoas a usufruírem mais dos equipamentos públicos", disse Haddad.
 
"Moro em Carapicuíba e mesmo assim, vou vir aqui sempre. A pista é muito boa e diferente das que tenho mais perto de casa. Essa é com asfalto e não fica lama se chover. Tudo aqui está muito legal e é bom porque não tem tantas pistas abertas para o BMX", afirmou o garoto Gustavo Batista de Oliveira, 13 anos, que pratica BMX desde os 7 anos de idade.
 

Foto: Luis Guadagnoli / Secom.
 
Pump Track
Um dos destaques do Centro de Esportes Radicais é o circuito de Pump track, pista com início, meio, mas nunca um fim, onde o frequentador anda "bombeando", sem impulsionar, apenas ganhando velocidade na medida em que passa pelos obstáculos. Por ter piso asfáltico, uma novidade de São Paulo, o espaço pode ser utilizado pelas modalidades de skate, Bike BMX, patins inline e patinete.
 
No Centro de Esportes Radicais, a pista foi planejada para atender pessoas de qualquer idade e também de diferentes tipos físicos, onde é possível circular não somente colado ao chão, mas saltando um ou outro obstáculo, em três níveis: iniciante (com 100 metros lineares, para praticantes que nunca andaram em um Pumptrack), no qual se conhece os movimentos e embalos do equipamento, intermediário (com 130 metros lineares, voltada para praticantes que já dominaram os movimentos de embalo e curvas do nível iniciante) e avançado (com 220 metros lineares, para atletas que já dominaram os movimentos de embalo e curvas do nível intermediário). Em todo esse circuito é obrigatório o uso de capacetes, e orienta-se o uso dos outros equipamentos de segurança, como joelheira, cotoveleira e proteção de punho.
 

Foto: Luis Guadagnoli / Secom.
 
Parkour e skate
Com uma área de 650 m², o circuito de Parkour do Centro de Esportes Radicais contará com uma série de obstáculos horizontais e verticais de diferentes níveis, para que o praticante os transponha utilizando apenas o corpo, com técnicas de corrida, salto, equilíbrio e escalada.
 
O centro ainda apresenta uma pista de skate com 480 m², chamada “Mini-Ramp”, que é um equipamento em formato de “U”, voltado para pratica da modalidade Vertical. O espaço pode ainda ser utilizado pelas modalidades de skate, BMX e Inline, com foco para crianças de até 12 anos.
 
O local ainda conta com 123 luminárias LED, garantindo maior luminosidade e mais economia de energia elétrica, ampliando a sustentabilidade do equipamento.

***
Fonte: Secretaria Executiva de Comunicação / Portal da Prefeitura.
 
 
 


-->