Saiba a origem e como o Dia de Finados é celebrado em alguns países - São Paulo São

A origem do feriado de Finados remete ao ano 998. Antes, já existia o costume de se enterrar e se rezar pelos mortos, mas a data de 2 de novembro foi oficialmente instituída por um monge beneditino, Odilo de Cluny, que viveu do ano 962 ao ano 1049.

Na data, o monge ordenou aos clérigos de sua abadia e a todos aqueles que seguissem a Ordem Beneditina que deveriam rezar pelas almas dos mortos. O costume se popularizou a partir do século XII, quando deixou de ser algo somente da igreja.

A data, que simboliza a lembrança e o legado de quem já se foi, é marcada por vários rituais. Dependendo da cultura, o dia ganha um viés festivo ou torna-se um momento para reclusão e reflexão. Inclusive, alguns países juntam as celebrações do Halloween com o Dia de Finados, tornando a data uma celebração conjunta.

Não é incomum encontrar em diversas culturas um mesmo aspecto que é visto, entendido ou praticado de formas diferentes. Essa ideia também vale para o Dia dos Mortos, cuja celebração muda conforme a cultura do povo.

Abaixo, conheça a forma como alguns países comemoram:

Brasil

O movimento nos cemitérios é intenso pois as pessoas vão deixar flores e fazer orações nos túmulos de familiares ou amigos. Foto: JB.O movimento nos cemitérios é intenso pois as pessoas vão deixar flores e fazer orações nos túmulos de familiares ou amigos. Foto: JB.

No país, o ritual mais comum de celebração do Dia de Finados é a ida ao cemitério. Lá são colocadas flores nos túmulos dos parentes e amigos já falecidos, e algumas pessoas ainda oferecem orações a quem se foi. Também é comum que sejam feitas missas em algumas igrejas em honra ao dia, para que as pessoas possam orar por aqueles que já se foram.

Apesar de ser uma tradição antiga, muita gente ainda opta por usar roupas na cor preta. Em geral, o clima da data sugere introspecção, já que quem tem parentes ou amigos falecidos costuma ficar mais fechado e recluso durante o dia.

México

La Catrina, personagem de José Guadalupe Posada, é a principal personagem da Dia dos Mortos no México. Foto: Renata Hirota. La Catrina, personagem de José Guadalupe Posada, é a principal personagem da Dia dos Mortos no México. Foto: Renata Hirota.

Diferente do Brasil e de outros países que encaram o Dia de Finados com tristeza, o México tem o costume de fazer grandes festas para homenagear a memória dos mortos. Conhecida como "Dia de Los Muertos", a celebração do país vai de 31 de outubro a dia 2 de novembro. Na ocasião, as pessoas usam fantasias coloridas de caveiras, constroem altares dentro das casas e preparam as comidas e bebidas preferidas de quem já se foi.

A data abrange todo o país e mesmo quem não viveu uma perda na família ou no círculo social acaba entrando na festa. Mesmo que a cor preta ainda seja muito presente nas ruas, vermelho, laranja e qualquer outro tom vibrante também pode ser encontrado nas decorações e fantasias.

O feriado é visto como uma data alegre, cujo objetivo é celebrar e relembrar com orgulho as memórias de quem já se foi. Desta forma, o povo mexicano acredita que o legado da pessoa é vivido e reforçado mais uma vez, através dos parentes e amigos que ainda vivem. A celebração foi incorporada e adaptada em regiões de outros países por imigrantes mexicanos.

Espanha

‘Huesos de Santos‘, doce tradicional do Dia de Todos os Santos na Espanha. Foto: Pastelería Nunos.‘Huesos de Santos‘, doce tradicional do Dia de Todos os Santos na Espanha. Foto: Pastelería Nunos.

Os espanhois, na verdade, comemoram o Dia de Todos os Santos (Dia de Todos Los Santos), que acontece em 1º de novembro. Sendo um feriado nacional, as pessoas retornam para suas cidades natais e visitam os cemitérios nos quais seus entes queridos estão. Flores são levadas para os túmulos à noite e um doce especial chamado "Hueso de Santos" (Osso dos Santos), feito de marzipã, ovos e "syrup" (calda semelhante ao mel, feita de açúcar e água) é comido como sobremesa especial da data. Durante o dia, as cidades espanholas recebem paradas em honra aos mortos. Assim como na tradição mexicana, os espanhóis também usam roupas de tons coloridos e vibrantes no dia. Mesmo sem as grandes festas que caracterizam o feriado no México, o Dia de Todos os Santos na Espanha também possui um clima mais festivo.

Japão

O dia da despedida é marcado pelo ritual das lanternas flutuantes. Foto: AFP.O dia da despedida é marcado pelo ritual das lanternas flutuantes. Foto: AFP.

Comemorado em 15 de agosto (e no dia 15 de julho, na região de Kanto), o dia é um momento especial, no qual os japoneses prestam homenagens aos seus ancestrais. As celebrações duram três dias e incluem danças e comidas especiais para a data, além do retorno ao lar em que os antepassados da família viveram. Uma das tradições japonesas é limpar as lápides dos falecidos, já que acredita-se que seus espíritos retornam nessa época, para visitar os vivos. Na região de Kyoto, na noite de 16 de agosto, cinco símbolos feitos com fogo, semelhantes a uma estrela do mar, são postos nas montanhas em saudação aos espíritos, pois esse povo acredita que será neste momento que os espíritos retornarão. A celebração foi incorporada e adaptada em regiões de outros países por imigrantes japoneses, inclusive em pequenas comunidades brasileiras.


***
Com informações Personare e G1 / SP.