Santa Cecília, o bairro da turma moderna, que você pode chamar de seu - São Paulo São

Igreja Santa Cecília: construída em 1901, tem as paredes pintadas por Benedito Calixto e Oscar Pereira da Silva, e um centenário órgão de tubos. Foto: Arquidiocese de São Paulo.Igreja Santa Cecília: construída em 1901, tem as paredes pintadas por Benedito Calixto e Oscar Pereira da Silva, e um centenário órgão de tubos. Foto: Arquidiocese de São Paulo.Andar pela rua Barão de Tatuí, em Santa Cecília, e se deparar com comércios familiares tais como sapatarias, loja de antiguidades e barbearias causa a sensação de estar em uma cidade do interior. Isso não fossem os outros estabelecimentos que se misturam à paisagem e fazem lembrar que estamos em São Paulo: bares e restaurantes descolados, como o Kraut, inspirado nas lanchonetes de Berlim; a Galeria Pilar, dedicada à arte contemporânea; lojas de roupa como a recém-inaugurada Pair; e a Banca Tatuí, sobre a qual acontecem shows aos fins de semana.



Mario Melilli.Mario Melilli.Fundado em 1860, ao longo do século passado o bairro recebeu imigrantes, na maioria italianos, portugueses e espanhóis, e, sucessivamente, trabalhadores vindos do Nordeste do país – o que explica a abundância de restaurantes típicos. “Quando eu era criança, Carvalho Pinto [governador de São Paulo entre 1959 e 1963] morava na rua Imaculada Conceição. Todas as manhãs eu o via indo para o palácio com seu Fusquinha”, relembra Mario Melilli, 68 anos, que chegou à rua em 1954, vindo da Itália com os pais e os cinco irmãos.

Proprietário de imóveis onde funcionam alguns dos estabelecimentos mais agitados da região, hoje seu Mario pode ser considerado uma espécie de “barão de Tatuí”. No ponto onde ficava a pensão em que se instalou na chegada ao Brasil, a família Melilli construiu o prédio onde ele vive e sob o qual funciona o restaurante nordestino Sotero. Outro de seus imóveis, na mesma calçada, abriga o escritório de arquitetura MM18 e o restaurante italiano Così.

À porta deste, o aposentado bate papo com os vizinhos. “Aqui em frente ficava o bar Donat’s, que meu irmão mais velho, o Donato, administrava. Onde está o Così funcionava o restaurante Família Melilli, do qual eu cuidava. A máquina de esticar massa que o [chef] Renato Carioni usa foi trazida da Itália pela minha mãe”, relembra. Inaugurado em 2009, o Così chegou com o intuito de implantar o conceito de bistronomia: alta culinária a preços acessí- veis. Por isso, a escolha do lugar, à época com aluguéis mais em conta, foi certeira. “Nos estabelecemos como um restaurante de destino, onde pessoas de bairros próximos vêm de carro”, diz Carioni.

Sócio da casa e morador de Santa Cecília, Leonardo Rescalde confessa que eles não imaginavam essa explosão do bairro. “Temos orgulho em dizer que fizemos este ponto”, diz. A menos de 100 metros daqui, na rua Imaculada Conceição, funciona o Conceição Discos, um misto de café, bar e restaurante. Aberto há menos de dois anos, foi um dos primeiros lugares descolados do bairro. “Aqui está acontecendo um fenômeno comum no mundo, que é o da classe artística se mudar para bairros mais baratos e criar uma cena”, diz a chef e proprietária Talitha Barros, 36, citando como exemplo Williamsburg, bairro industrial no Brooklyn, em Nova York, que foi revitalizado na década passada e se tornou referência desse tipo de movimento.

Salão do Armazém Alvares Tibiriçá, misto de bar, restaurante e barbearia.Salão do Armazém Alvares Tibiriçá, misto de bar, restaurante e barbearia.

 

O bar Kraut e seu sanduíche schnitzel de porco.O bar Kraut e seu sanduíche schnitzel de porco.

Como no seu equivalente americano, em Santa Cecília se valoriza a ocupação do espaço público. Além das ruas planas e, em boa medida, arborizadas, há uma ótima opção de lazer a céu aberto: o elevado Presidente João Goulart, o Minhocão, que fecha para o trânsito de carros durante madrugadas e fins de semana. “Em grandes cidades as pessoas precisam de espaço para conviver”, diz a estudante israelense Noy Shilo, 23, que visitou o Minhocão em dezembro.

Ambiente da loja de roupas Pair, que oferece peças apenas nas cores preto e branco. Foto: Daniel Teixeira / Estadão.Ambiente da loja de roupas Pair, que oferece peças apenas nas cores preto e branco. Foto: Daniel Teixeira / Estadão.

O aspecto bairrista é uma unanimidade entre seus moradores. “Na padaria, os funcionários já sabem o que vou querer”, diz a consultora de moda Olivia Hanssen, 36, que se mudou para cá em 2010. “Santa Cecília é uma cidadezinha no centro de São Paulo”, avalia. Como Williamsburg, que conta com a consagrada cervejaria Brooklyn, o bairro vai ganhar seu primeiro local de produção artesanal da bebida. Até maio deve ser inaugurada na rua Fortunato a sede da cervejaria Dogma. O espaço vai contar com sala de fermentação em barril, 15 torneiras de chope e salão para 50 pessoas.

Star City

Um morador que representa tanto o lado tradicional quanto moderno do bairro é o designer Leo Capote, 35. Sua habilidade com parafusos e ferramentas se revelou na loja de ferragens Casa das Três Meninas, fundada por seu avô, Renato, em 1955. “Trabalho aqui desde que me entendo por gente”, conta ele, que divide seu tempo entre a loja – tem como sócias a mulher, Perola Callegari, e a mãe, Regina – e seu ateliê na rua Baronesa de Itu. Desde criança, Leo frequenta o Star City, restaurante na rua Frederico Abranches, aberto em 1953, que viveu seu auge entre 1966 e 1999, quando os estúdios da TV Globo São Paulo ficavam no bairro. “Uma vez o Jair Rodrigues passou horas aqui dando autógrafos”, relembra Osmar Vieira, um dos sócios.

Da época vem a vocação boêmia de Santa Cecília – o nome do bairro faz referência à padroeira dos músicos. O empresário José Tibiriçá Martins, 52, deixou o Baixo Augusta, região que na década passada fervilhava de casas noturnas, para investir em Santa Cecília. Em 2014, abriu na Marquês de Itu o bar Armazém Alvares Tibiriçá. “É um bairro mais relaxado que Higienópolis, mas ainda não virou aquela loucura que está a rua Augusta”, compara.

Restaurantes

Così 

O requintado menu do chef Renato Carioni inclui risotos (R$ 57), massas (R$ 56), carnes (R$ 57 a R$ 63) e peixes (R$ 63).
R. Barão de Tatuí, 302. Tel.: (11): 3826-5088.
Site: http://restaurantecosi.com.br/

Renato Carioni, chef do Così, estica a massa em máquina da década de 50. “Nos estabelecemos como um restaurante de destino, onde pessoas de bairros próximos, como Higienópolis, vêm de carro.”

Star City

Fundado em 1953, é conhecido pelos filés altos (o Oswaldo Aranha, R$ 69,80, serve duas pessoas) e por uma das melhores feijoadas da cidade (R$ 69 por pessoa).
R. Frederico Abranches, 453. Tel.: (11) 3331-2044. 
Site: http://starcity.com.br/br/index.html

Ugue’s

Em ambiente informal, serve um dos PFs (R$ 24, com contrafilé) mais tradicionais do bairro – o feijão parece de vó.
R. Marquês de Itu, 1.018. Tel.: (11) 3661-3197.

Sotero – cozinha original

Oferece clássicos 
da culinária nordestina, como o arroz de polvo (R$ 59,90) com toques autorais do chef Rafa Spencer.
R. Barão de Tatuí, 282. Tel.: (11) 3666-3066. 
Página: https://www.facebook.com/soterooficial


Rota do Acarajé

Além do quitute baiano (R$ 19), a casa serve pratos típicos, como a moqueca de cação e camarão (R$ 132, serve quatro pessoas), e uma farta seleção de cachaças e caipirinhas.
R. Martim Francisco, 529. Tel.: (11) 3668-6222. 
Site: http://www.rotadoacaraje.com.br/

Casa do Norte Luizão

Com mesas na calçada, oferece comida nordestina. Vale provar o baião de dois (R$ 26). Há uma mercearia com produtos típicos. 
R. Frederico Abranches, 451. Tel.: (11) 3333-0228.

Comidinhas
Conceição Discos

Café e loja de discos, serve pão de queijo com pernil (R$ 16), café coado (R$ 5) e arroz do dia (como o de polvo, R$ 30). R. Imaculada Conceição, 151. Tel.: (11) 3477-4642.
Página: https://www.facebook.com/conceicaodiscos

- Talitha Barros, a chef e proprietária do Conceição Discos abriu seu misto de loja e restaurante em 2015. “Aqui está acontecendo um fenômeno comum no mundo, que é a classe artística se mudar para bairros mais baratos e criar uma cena“.

FalaFada

A agradável casa com mesas na calçada oferece faláfel (R$ 30, no prato), saladas e sanduíches típicos do Oriente Médio.
R. Martinico Prado, 172. Tel.: (11) 3578-2226.
Site: https://www.falafada.com.br/

Tabuleiro do Acarajé

Em uma portinha, as irmãs Fátima e Miri de Castro servem acarajé (R$ 16) com opções de recheios, para ser degustado na calçada.
R. Dr. Cesário Mota Junior, 611. Tel.: (11) 4301-4363.
Página: https://www.facebook.com/tabuleirodoacaraje/

Bares

Kraut

Serve cinco opções de cervejas artesanais e a típica comida de rua alemã, como salsichões (R$ 30 o curry wurst) e sanduíches de schnitzel (R$ 22 o de porco). 
R. Barão de Tatuí, 302. Tel.: (11): 3826-5088.
Página: https://www.facebook.com/krautbar/

Armazém Álvares Tibiriçá

Há cervejas artesanais (R$ 35 a IPA Ira de 600 mL), coquetéis (R$ 35 o Bombay Time, com gim, amora e xarope de gengibre) e pratos de influência espanhola e italiana.
R. Marquês de Itu, 847. Tel.: (11) 2365-1671.
Site: http://alvarestibirica.com.br/

Lira – Bar e Empório

O cliente pode degustar cervejas artesanais, queijos e embutidos na mesa comunitária do salão, ou nas cadeiras de praia da área externa.
R. Marquês de Itu, 1.039. Tel.: (11) 2528-3786. 
Site: http://lirasp.com.br/

Passeios
Minhocão

Além de servir como parque de concreto, de onde se pode observar as intervenções urbanas do entorno, costuma receber festas a céu aberto.

- A consultora de moda Olivia Hanssen é moradora do bairro desde 2010. “Santa Cecília é uma cidadezinha no centro de São Paulo.”

Banca Tatuí

Uma típica banca de rua que vende publicações independentes como zines e HQs e realiza shows aos fins de semana.
R. Barão de Tatuí, 275. Tel.: (11) 97617-1538. 
Site: http://bancatatui.com.br/

Igreja Santa Cecília

Construída em 1901, tem as paredes pintadas por Benedito Calixto e Oscar Pereira da Silva, e um centenário órgão de tubos.
Largo Santa Cecília, s/n. Tel.: (11) 3331-5195. 

Compras

Studio Bergamin

Com aspecto de um galpão industrial, a loja de decoração vende de almofadas a luminárias e poltronas.
R. Barão de Tatuí, 339. Tel.: (11) 3667-6032.
Site: http://studiobergamin.com.br/

- Leo Capote, designer e sócio da loja de ferragens Casa das Três Meninas mora e toca seus dois negócios em Santa Cecília. “Trabalho aqui desde que me entendo por gente.”

Beef Passion

Mercado gourmet que oferece 72 peças de carne de produção própria, de gado Angus (original da Austrália) e Wagyu (do Japão).
R. Barão de Tatuí, 229. Tel.: (11) 3661-8090.
Site: https://beefpassion.com.br/

Pair Store

Loja multimarcas de roupas masculinas e femininas, apenas nas cores preto ou branco, com curadoria da designer Carla Ribeiro. 
R. Barão de Tatuí, 195. Tel.: (11) 3729-8799. 
Site: http://www.pairstore.com.br/

A boa vizinhança

No centro de São Paulo, o bairro de Santa Cecília, conserva comércios do passado e hábitos interioranos, ao mesmo tempo que atrai a turma moderna com uma variedade de estúdios de design, bares, cafés e restaurantes.

Mapa do agito em Santa Cecília.Mapa do agito em Santa Cecília.
***
Por Carlos Messias na Revista da Gol. Fotos: Lucas Lima.

 



-->