'Uma Cidade, Muitas Mãos': as identidades da cidade na IV edição da Jornada do Patrimônio - São Paulo São

Quantas identidades estão impressas em São Paulo? Quantas permanecem apenas na história?  É possível enxergar suas narrativas marcadas nos espaços da cidade?

A partir desses questionamentos, o Departamento de Patrimônio Histórico da Prefeitura Municipal de São Paulo promove a quarta edição da Jornada do Patrimônio nos próximos dias 18 e 19 de agosto. O tema para este ano é "Uma Cidade, Muitas Mãos".

De espaços consagrados pela prática de capoeira aos palacetes de Higienópolis, das ruas do Bixiga ao Morro da Querosene, as caminhadas levarão os participantes a uma visão mais aprofundada, algo fundamental para uma melhor compreensão do DNA da cidade. Também estão previstas palestras, visitas a imóveis e apresentações artísticas por toda a capital paulista.

Os grupos que ajudaram a construir o patrimônio da cidade serão o foco da quarta edição do evento. Se as obras, construções e lugares são o foco geral, desta vez a Jornada se volta àqueles que ergueram com as mãos todo o conjunto que faz parte da identidade paulistana.

De acordo com a assistente técnica Cristina Fongaro, do Turismo Social, “a Jornada do Patrimônio 2018 é um convite para refletirmos sobre o papel dos bens culturais na formação desta identidade ao longo de sua história”. Como se sabe, São Paulo é terra de índios, portugueses, africanos, italianos, espanhóis, asiáticos, nordestinos.

Orquestra de Berimbaus do Morro do Querosene: na região do Butantã, a Vila Pirajussara - mais conhecida como Morro do Querosene - é um bairro com clima de interior e um tradicional reduto de cultura popular na cidade. Foto: Divulgação.Orquestra de Berimbaus do Morro do Querosene: na região do Butantã, a Vila Pirajussara - mais conhecida como Morro do Querosene - é um bairro com clima de interior e um tradicional reduto de cultura popular na cidade. Foto: Divulgação.

Povos que participaram da formação cultural da cidade, constituindo seus modos de habitar e viver em diferentes épocas desde sua fundação. Embora esses entrelaçamentos multiculturais tenham ocorrido por toda a parte na cidade, nem sempre são visíveis. “A Liberdade, por exemplo, é conhecida como tradicional bairro japonês. Entretanto, menos conhecido é o fato de que a região também foi uma rota de fuga para escravos e, portanto, parte importante da memória negra”, cita Cristina. Ainda de acordo com ela, a temática deste ano, “Uma Cidade, Muitas Mãos”, pretende contribuir para trazer à luz a memória dos povos que ajudaram a construir a cidade, porém nem sempre representados.

Casa de Dona Yayá, construída por volta de 1870, hoje é sede do Centro de Preservação Cultural da Universidade de São Paulo. Foto: Divulgação.Casa de Dona Yayá, construída por volta de 1870, hoje é sede do Centro de Preservação Cultural da Universidade de São Paulo. Foto: Divulgação.

São histórias como essa que a Jornada do Patrimônio ajudará a desvendar. Histórias que deram vida a uma “paulistanice” tão rica e intensa. Enfim, nosso DNA.

A jornada

A Jornada do Patrimônio busca sensibilizar a população paulistana para a importância de seus bens culturais. Também é uma forma de diálogo do DPH (Departamento do Patrimônio Histórico) com a população, promovendo o alargamento desse campo do conhecimento. Neste ano, o evento irá refletir sobre os diversos grupos que constituiram o patrimônio cultural da cidade de São Paulo e formaram a identidade paulistana.

A programação completa do evento pode ser consultada em jornadadopatrimonio.prefeitura.sp.gov.br

***
Da Redação com informações SMC / SP.

 

 



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio