Parque Ecológico Imigrantes: São Paulo ganha espaço verde no coração da Mata Atlântica - São Paulo São

Parque Ecológico Imigrantes, novo espaço verde às margens da Rodovia dos Imigrantes, na Grande São Paulo. Foto: Divulgação.Parque Ecológico Imigrantes, novo espaço verde às margens da Rodovia dos Imigrantes, na Grande São Paulo. Foto: Divulgação.

Passarelas suspensas para observação da fauna e flora, bondinho, ecoturismo, educação ambiental, construções sustentáveis e acessibilidade a cadeirantes, deficientes visuais e pessoas com necessidades especiais. O Parque Ecológico Imigrantes (PEI), que fica em São Bernardo do Campo, em meio a Mata Atlântica, é mais uma opção de passeio para os amantes da natureza!

Uma cerimônia apenas para convidados marca a abertura do local, no dia 29 de novembro, às 10h. A partir de 10 de dezembro, o público poderá agendar visitas gratuitas e monitoradas, com agendamento prévio pelo site www.parqueecologicoimigrantes.org.br. As visitas acontecerão sempre às quartas-feiras.

O que tem por lá?

Um palco de vivência ambiental para que as pessoas possam interagir de maneira diferente com a fauna e a flora da Mata Atlântica. Foto: Divulgação.Um palco de vivência ambiental para que as pessoas possam interagir de maneira diferente com a fauna e a flora da Mata Atlântica. Foto: Divulgação.

Pertinho da cidade de São Paulo, o parque possui seis trilhas traçadas para a visitação. Nelas foram priorizados aspectos como beleza, curiosidades da flora ou da história de interferência antrópica (que são as ações do homem) na região. Para atender a todos os tipos de públicos, há trilhas curtas, com poucos obstáculos, quase zero de desnível e trilhas longas, em meio ao relevo acentuado e comum à região das cabeceiras da Serra do Mar.

Caminhos acessíveis

Com custo de R$ 14 milhões e recurso da Fundação Kunito Miyasaka, ele teve como base a sustentabilidade, a acessibilidade e a inclusão social. Foto: Divulgação.Com custo de R$ 14 milhões e recurso da Fundação Kunito Miyasaka, ele teve como base a sustentabilidade, a acessibilidade e a inclusão social. Foto: Divulgação.

O parque oferece recursos que contribuem para uma nova forma de relacionamento com o meio ambiente. Os canteiros de mudas propiciam experiências às pessoas com necessidades especiais. Os trajetos facilitam a inclusão em atividades de ecoturismo, esportes e aventura.

Plataformas, rampas, bondinho em plano inclinado, corrimãos e recursos eletrônicos de áudio, assim como a Trilha Sensorial, permitem que cadeirantes, deficientes visuais e portadores de necessidades especiais possam também aproveitar o contato com a natureza.

O local conta ainda com samambaias, orquídeas e bromélias, palmeiras, araçás, goiabeiras, entre outras espécies, numeradas, extraídas e replantadas, uma a uma, em outras áreas do parque, quee formaram trilhas epraças temáticas que levam os nomes das flores.

Uma construção sustentável

Além da engenharia convencial, a construção do parque contou com a aplicação de conceitos e técnicas de bioconstrução. Foto: Divulgação.Além da engenharia convencial, a construção do parque contou com a aplicação de conceitos e técnicas de bioconstrução. Foto: Divulgação.

Logo no Portal de Entrada há uma estrutura de aço reciclado, onde estão embutidos a sucata equivalente a 130 carros populares. Além disso, as paredes facilitam a ventilação cruzada e a climatização, pois são feitas de chapas perfuradas.

A Passarela Elevada, principal local de circulação de pessoas pelo parque, que fica suspensa à floresta em meio à copa das árvores foi construída com a utilização da madeira plástica, composta por 70% de sobras de madeira, como serragem, e 30% de resíduos de plástico, como os das garrafas PET.

A água da chuva que cai no teto do Portal é captada e conduzida por calhas até um reservatório. Apesar de não ser potável, esse recurso abastece um “circuito de água”, formado por cerca de 25.000 litros, composto por dois lagos, um espelho d’água e três reservatórios. Essa água também é utilizada em tarefas do dia a dia, como limpeza das passarelas e na rega do viveiro de mudas. Tudo isso proporciona uma diminuição e tanto no consumo deste recurso natural.

Educação ambiental

Outro grande destaque da novidade é a inclusão de pessoas com deficiência. Foto: Divulgação.Outro grande destaque da novidade é a inclusão de pessoas com deficiência. Foto: Divulgação.

O parque fechou convênios com órgãos públicos estaduais, municipais e universidades, para contribuir com temas abordados nas escolas, que podem ser exemplificados e demonstrados aos alunos em visitas monitoradas. No setor acadêmico, de ciência e pesquisa, o objetivo é estimular os estudos emEcologia, Biologia, Botânica e Zoologia, entre outros campos das Ciências Naturais.

A iniciativa

A Passarela Elevada fica suspensa à floresta em meio à copa das árvores. Foto: Divulgação.A Passarela Elevada fica suspensa à floresta em meio à copa das árvores. Foto: Divulgação.

O Parque Ecológico Imigrantes (PEI) é uma realização da Fundação Kunito Miyasaka, e um presente da comunidade japonesa à brasileira. Sua inauguração é um dos principais eventos de sustentabilidade do calendário de comemorações dos 110 anos daimigração japonesa no Brasil.

Imagem: Reprodução.Imagem: Reprodução.

Serviço

Parque Ecológico Imigrantes

Parque Ecológico Imigrantes – Rodovia dos Imigrantes, 650, Tatetos - São Bernardo do Campo.
[como chegar]

Informações: (11) 3147-2348. 
Site: https://www.parqueecologicoimigrantes.org.br/

 

***
Com informações do Parque Ecológico Imigrantes. 

 



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio