III Festival Red Bull Amaphiko vai ao Grajaú com palestras, shows, filmes e oficinas - São Paulo São

O Festival Red Bull Amaphiko chega à terceira edição para reunir, fortalecer e celebrar inovadores sociais. O evento é gratuito e acontece dias 15 e 16 de dezembro, no Centro Cultural Grajaú. Este ano, pela primeira vez, ele sai do Red Bull Station, no centro de São Paulo, e vai para o extremo sul da cidade de São Paulo, com a intenção de reconhecer um território que já inova socialmente há bastante tempo. A programação conta com oficinas, performances, painéis, rodas de conversa, exibição de filme, exposições, shows, intervenções e feira.

Jah!spora convida Lei di Dai. Foto: Marcos Durango / Divulgação.Jah!spora convida Lei di Dai. Foto: Marcos Durango / Divulgação.

Durante os dois dias, a programação contará com oficinas de moda consciente, elaboração de projetos, autocuidado e permacultura; rodas de conversa com pessoas referência no empreendedorismo (como Adriana Barbosa, da Feira Preta), líderes locais (como Jera Guarani, índia da aldeia Tenondé Porã)  e feira com empreendedores da região. O skatista Sandro Dias fará a inauguração de uma pista de skate no bairro, como parte do projeto Red Bull Do It Yourself e também estará no festival para contar sobre a ação.

Skate na quebrada com Sandro Dias (foto) e Douglas Fontes. Foto: Divulgação.Skate na quebrada com Sandro Dias (foto) e Douglas Fontes. Foto: Divulgação.

Entre as atrações musicais, roda de samba com integrantes dos grupos Pagode da 27, Samba da Praça e outros da região. O coletivo Graja Minas convida a rapper Drik Barbosa para um show, e o evento se encerra com a festa de dancehall Jah!spora, com participação de Lei di Dai, criadora do projeto Gueto pro Gueto.

Em conjunto

 Os curadores do festival são de coletivos que atuam na região. Foto: Fábio Piva / Red Bull Content Pool. Os curadores do festival são de coletivos que atuam na região. Foto: Fábio Piva / Red Bull Content Pool.

Acreditando no poder da construção coletiva, o Red Bull Amaphiko convidou cinco coletivos locais para fazerem a curadoria de todo o festival. São eles: Periferia em Movimento, Nóis por Nóis, Casa Ecoativa, Imargem e Abebé, além do produtor independente Leandro Sequelle. A proposta do é mostrar o que já há de

Destaques da programação

O evento é gratuito e pela primeira vez sai do Red Bull Station e vai para o extremo sul da cidade de São Paulo. Imagem: Reprodução.O evento é gratuito e pela primeira vez sai do Red Bull Station e vai para o extremo sul da cidade de São Paulo. Imagem: Reprodução.

- Roda de samba - Guga Samba e Cia convida Edynho Oliveira, Carlos Café (100 kaô/Emicida), Ricardo Rabello (Pagode da 27), Gustavo Silva e Renato Idalino (Samba da Praça Grajaú).
- Aula de dança com os fellows da Red Bull Amaphiko: Flora Bitancourt (Movimentarte), Lucas Santos (Favela em Dança) e Rubens Oliveira (Gumboot). Três empreendedores sociais que utilizam estilos de dança diferentes em seus projetos.
- Graja Minas convida Drik Barbosa. O grupo formado por MCs, cantoras e articuladoras culturais convida a rapper para apresentarem canções autorais, enaltecendo a resistência feminina.
- Festa Jah!spora convida Lei di Dai. Festa que celebra a igualdade, coletividade e diversidade com os ritmos dancehall, afrobeats, hip-hop e funk e para esta edição convidam a cantora Lei di Dai, referência do dancehall brasileiro e fellow Red Bull Amaphiko com o projeto Gueto pro Gueto. Existência, resistência e coletividade. Brasil, Jamaica e África, juntxs na pista.
- Exposições - Imargens Humanas (Imargem) e O Poder Feminino (Abebé).
- Contação de História - Chico contador e a arte de contar histórias no bom e velho estilo caipira de ser. Com projeto De Canto em Canto - De Conto em Conto
- Um show de variedades Palhacísticas. Com Teatro de Rocokóz.
- Sarau das Pretas: a cultura, o feminino e o ancestral nas palavras, tambores e corpos de mulheres negras.
- Batalha de conhecimento com Grajaú Rap City.
- Oficina - Estética afro-indígena: técnicas sustentáveis e acessíveis para criar uma rotina de cuidados com a pele.
- Oficina - Moda consciente: a moda de forma criativa e sustentável, suas manifestações práticas, o garimpo e a rede de brechós do território.

O Coletivo Abebé enxerga na arte e na cultura uma forma de tornar a sociedade mais justa e inclusiva. Foto: Cortesia Coletivo Abebé. O Coletivo Abebé enxerga na arte e na cultura uma forma de tornar a sociedade mais justa e inclusiva. Foto: Cortesia Coletivo Abebé.

Confira a programação completa: https://www.redbull.com/br-pt/festival-amaphiko-2018

Sobre a Red Bull Amaphiko

Red Bull Amaphiko é um programa que, desde 2014, dá asas a pessoas e ideias transformadoras. Presente no Brasil, na África do Sul e nos Estados Unidos, apoia e oferece mentoria, formações e conexões a projetos de empreendedores sociais que estão mudando a realidade de suas cidades e comunidades. O projeto Navegando nas Artes, do Grajaú, é um dos fellows da rede Amaphiko.

Saiba mais sobre o programa clicando aqui.      

***
Com informações da Agência Lema.



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio





 
 
APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio