Nos 465 anos de São Paulo, 4 palcos e 12 horas de shows para uma grande festa no Anhangabaú - São Paulo São

 

São Paulo ganha 4 palcos e 12 horas de festa gratuita no Anhangabaú. Foto: iStock.São Paulo ganha 4 palcos e 12 horas de festa gratuita no Anhangabaú. Foto: iStock.

No dia 25 de janeiro, a partir do meio-dia, a Prefeitura de São Paulo, por meio das Secretarias Municipais de Cultura e Turismo, preparou uma grande comemoração para os 465 anos da fundação de São Paulo. A festa reflete a diversidade cultural da cidade presente atrações selecionadas para a programação artística do palco do Vale do Anhangabaú, no Centro e nos espaços culturais descentralizados. Os shows do aniversário serão gratuitos, reforçando o caráter democrático do evento.

Vale do Anhangabaú: diversidade cultural

A programação na região central será marcada pela diversidade, representada pelos diversos gêneros musicais contemplados na programação: funk, gospel, samba, rap, pop, MPB, punk e rock’ n roll.  O mestre de cerimônias Thiago Adorno comandará a festa até o encerramento, previsto para meia-noite.

Roberto Carlos, Wanderléa e Erasmo Carlos na época da Jovem Guarda. Imagem: Reprodução.Roberto Carlos, Wanderléa e Erasmo Carlos na época da Jovem Guarda. Imagem: Reprodução.

Cada show da programação tem uma história e dialoga com as múltiplas facetas de São Paulo. A ideia é contemplar atividades para toda a família e públicos de todas as idades. Quem abre a série de apresentações é o projeto RC na Veia, criado por Dudu Braga, filho do cantor Roberto Carlos, para homenagear o pai com hits da jovem guarda e outras canções de sua extensa carreira musical. No Anhangabaú, o show, marcado para o meio-dia, recebe, como convidada especial, a cantora Wanderléa.

O grupo de rap gospel Ao Cubo se apresenta às 14h ao lado dos sambistas do Art Popular. A trajetória artística do grupo conta com seis álbuns de estúdio e um ao vivo, que traz como título uma de suas músicas mais conhecidas: “Respire fundo”.

A MPB e o samba também participam da festa com o show de Paulinho da Viola, convidando sua filha Beatriz Rabello, além de Fabiana Cozza e Rodrigo Campos, às 16h. Um dos principais nomes da música brasileira, Paulinho tem seu nome sempre associado à escola de samba Portela, da qual é autor de vários sambas-enredo. Neste show, ele interpreta “Coração leviano”, “Dança da solidão”, “Timoneiro” e “Foi um rio que passou em minha vida”. Beatriz lançou seu primeiro disco solo em 2016, após participar ter participado como backing vocal da gravação de um DVD de seu pai. Já Fabiana Cozza é um dos principais nomes do gênero no cenário paulistano. Compositor e instrumentista, Rodrigo Campos lançou seu primeiro disco solo, “São Mateus não é um lugar assim tão longe”, em 2009.

Beatriz Rabello e Paulinho da Viola. Foto: Anna Ramalho / Divulgação.Beatriz Rabello e Paulinho da Viola. Foto: Anna Ramalho / Divulgação.

Às 18h30, acontece a homenagem ao grupo de rock Charlie Brown Jr., liderada por Alexandre Abrão, filho do vocalista da banda, Chorão. Intitulada “Tamo Aí na Atividade apresenta Charlie Brown Jr”, a ideia do show é relembrar grandes sucessos do grupo com vários convidados que são estrelas do rock nacional: Dinho Ouro Preto (Capital Inicial), Di Ferrero, Digão (Raimundos), Supla e Panda (La Raza).

Um encontro entre dois dos principais nomes do rap nacional, Rael e Rashid, ganha um toque especial da música pop de Pabllo Vittar, às 20h30. Conhecidos por trazerem letras contundentes e contestadoras que narram dilemas do cotidiano e rompem paradigmas em suas músicas, os rappers abrem a apresentação com canções dos respectivos repertórios, inclusive colaborações de ambos como “Coisas dessa vida” e “Uma chance”, emendando com sucessos da cantora, entre eles, a música que foi hit das paradas, “Corpo Sensual”.

Ludmilla, Rael e Pabllo Vittar comandam a festa no Anhangabaú. Fotos: Divulgação.Ludmilla, Rael e Pabllo Vittar comandam a festa no Anhangabaú. Fotos: Divulgação.

O encerramento, a partir das 23h, fica por conta da cantora Ludmilla, um dos principais nomes do funk nacional. Seus dois álbuns lançados, “Hoje” e “A danada sou eu” foram sucessoem todas as paradas musicais, recebendo indicação ao Grammy Latino em 2017. A carioca de 23 anos voltou às paradas recentemente com “Din din din”.

Grandes festas da cena urbana da cidade enfatizam a diversidade. Serão três palcos adjacentes que funcionam a partir das 14 horas, onde o público poderá curtir o som das festas que representam todas as tribos paulistanas. Quem curte uma música black e um encontro de gerações não pode deixar de passar pelo palco que recebe DJ Donna, Discopedia convida Seu Osvaldo e Batekoo convida KL Jay. Um segundo palco concentra a música eletrônica. Desta vez, quem dá o tom são as festas Gop Tun, Selvagem, ODD e Mamba Negra. A música brasileira estará presente no palco que concentra as festas Primavera, te amo; Santo Fort; Pilantragi; Prato do dia e Desculpa qualquer coisa.

DJ Rodrigo Bento leva Pilantragi para a rua mais uma vez! Foto: Divulgação.DJ Rodrigo Bento leva Pilantragi para a rua mais uma vez! Foto: Divulgação.

Para valorizar o triângulo histórico do Centro da cidade, a Rua XV de novembro recebe o palco Músicos do Futuro com o discotecagem de Leandro Pardí, além de shows de forró com o grupo Caiana, música gospel com Érika Morise, o reggae de Alma Djem e o grupo Inovasamba.

O Centro ainda terá um concerto na Praça das Artes com Diego Carneiro, às 11h, violoncelista e diretor de orquestra equatoriana de trajetória internacional. Ele interpreta as famosas danças da Suíte de Bach e as Bachianas Villa-Lobos.

Festa por toda a cidade

Já é tradição do paulista que o feriado municipal seja aproveitado com os shows e atrações espalhados pela cidade. Foto: Getty Images.Já é tradição do paulista que o feriado municipal seja aproveitado com os shows e atrações espalhados pela cidade. Foto: Getty Images.

No Centro Cultural da Juventude, na zona norte, Dead Fish se une à Deb Babilônia num show às 18h. Com mais de 27 anos de história, a banda de hardcore convida a vocalista do Deb And The Mentals para uma releitura de alguns dos maiores clássicos do Dead Fish.

No Centro de Formação Cultural de Cidade Tiradentes, na zona leste, a ênfase será nas atrações circenses para crianças. A partir das 18h, acontecerá um show do grupo Sampa Crew. Formado em 1987 pelo rapper, produtor e compositor J.C. Sampa, o grupo é conhecido pelo seu rap romântico e por misturar gêneros como rap, samba-canção, pagode romântico e soul.

Na Casa de Cultura do Butantã, na zona sul, às 15h, acontece o show do Clube do Balanço. A banda traz para esta apresentação seu trabalho autoral. Em 2018, lançou o EP “Maioridade” em comemoração aos 18 anos da carreira do grupo. Dessa vez o show conta com participação de Janayna Pereira com homenagens a artistas que embalaram sua vida e carreira.

Confira a programação completa: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/noticias/?p=25085

***
Com informações da Secretaria Municipal de Cultura.