'Premê' comemora 40 anos de trajetória com shows e caixa de CDs - São Paulo São

A banda, em foto de 1983. Foto: Acervo.A banda, em foto de 1983. Foto: Acervo.

Irreverente, underground, inventivo e um dos principais protagonistas do movimento da Vanguarda Paulista e do Teatro Lira Paulistana, o grupo Premê (antes conhecido como Premeditando o Breque) comemora 40 anos de jornada com o lançamento pelo Selo Sesc do box Caixinha do Premê. Os shows de lançamento acontecem nos dias 31 de maio, 1º e 2 de junho no Sesc Pompeia.

São sete CDs com toda a obra e verve do grupo, incluindo o álbum Como Vencer na Vida fazendo Música Estranha – Vol. VII. “Este CD traz músicas conhecidas do público mas nunca antes gravadas em outro álbum, como as composições Valsa Didática, Casa de Massagem e Zuleika  Gaspar, as duas últimas censuradas nos anos 80”, conta Mário Manga, integrante do Premê desde sua formação original.

Caixa com sete CDs traz álbum com registros inéditos de músicas censuradas nos anos 80, além de sucessos que marcaram a trajetória do grupo. Foto: Divulgação.Caixa com sete CDs traz álbum com registros inéditos de músicas censuradas nos anos 80, além de sucessos que marcaram a trajetória do grupo. Foto: Divulgação.

A Caixinha do Premê é um rico acervo histórico e o encarte com 96 páginas conta toda sua trajetória. O material é permeado por fotos dos icônicos shows e festivais em que a trupe participava em São Paulo e em cidades do interior paulista. Premê também estará no quadro Um Plano, do Selo Sesc, com o clipe da música Casa de Massagem.  Um Plano é gravado em plano sequência, uma técnica de filmagem de vídeo sem cortes e que estará disponível a partir de 13/5.

Premê

O grupo surgiu a partir da vontade de alguns estudantes do departamento de música da ECA-USP (Escolas de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo) em quebrar o protocolo da erudição reinante no ambiente acadêmico. Mas foi em 1979, ano em que a Lei da Anistia foi assinada, que o grupo ganhou projeção.  Ainda sob as asas da ditadura e da censura, o então Premeditando o Breque conquistou o segundo lugar no Festival Universitário da TV Cultura com a música Brigando na Lua. O primeiro lugar foi para Arrigo Barnabé com Diversões Eletrônicas.

Primeira formação do Premê, na década de 1970. Foto: Acervo.Primeira formação do Premê, na década de 1970. Foto: Acervo.

Em 1981, o grupo anuncia seu primeiro álbum e no encarte já avisa que Premeditando o Breque se tornará Premê. O nome foi rapidamente aceito pelos fãs.  A postura do Premê e dos outros artistas da chamada Vanguarda era de ousadia, desembaraço e crítica ao mainstream da indústria cultural. Com um humor ora hermético, ora popular, o Premê fazia piada de tudo, tanto na composição quanto nas letras. Qualquer estilo podia fazer parte de seu repertório.

Inicialmente, o núcleo do Premê foi formado por Igor Lintz Maués, Mário Manga, A. Marcelo Galbetti e Claus Petersen, e logo em seguida Wandi Doratiotto. Hoje os integrantes são Manga, Marcelo, Claus e Wandi. Os quatro se apresentarão nos shows acompanhados de Adriano Busko (bateria e percussão) e Danilo Moraes (violão, guitarra, baixo, voz), filho de Wandi, que toca com o grupo há mais de 20 anos.

Os integrantes da banda paulistana Premê. Foto: Divulgação.Os integrantes da banda paulistana Premê. Foto: Divulgação.

Serviço

Show de lançamento da Caixinha do Premê
Dia 31 de maio de 2019 e 1 de junho de 2019, sexta e sábado, às 21h e 2 de junho de 2016, domingo, às 18h.
Sesc Pompeia – Rua Clélia, 93.

Selo Sesc lança Caixinha do Premê
Preço sugerido: R$ 100,00.
Disponível nas lojas da rede Sesc, livrarias parceiras de todo o Brasil a partir de maio de 2019.
Mais informações: sescsp.org.br/loja

Box

CD Premeditando o Breque.
CD Quase Lindo.
CD O Melhor dos Iguais.
CD Grande Coisa.
CD Alegria dos Homens.
CD Vivo.
CD Como Vencer na Vida fazendo Música Estranha.

***
Com informações do Atelier de Imagem e Comunicação.