Casa de Francisca, 'menor casa de shows da cidade', fecha as portas por tempo indeterminado - São Paulo São

O palco que recebeu shows notáveis da sede da Casa da Francisca. Foto: Pablo Saborido / Divulgação.O palco que recebeu shows notáveis da sede da Casa da Francisca. Foto: Pablo Saborido / Divulgação.

A Casa de Francisca, mistura de espaço dedicado a shows, restaurante e bar localizado em prédio histórico no centro de São Paulo, anunciou neste último domingo (21) que encerrá as suas atividades por tempo indeterminado.

De acordo com nota divulgada nas redes sociais, é possível que o local feche as portas de forma definitiva. "Após 15 anos de casa, vamos parar por tempo indeterminado e ainda sem saber se vamos conseguir voltar", diz o texto.

Em 2017, a casa mudou-se dos Jardins para o centro da cidade. O espaço, que antes abrigava cerca de 40 pessoas, passou a ter capacidade para receber 180 visitantes após a mudança, instalando-se em uma construção histórica do centro antigo, o Palacete Teresa Toledo Lara, próximo à praça da Sé. "Foi um longo período de restauro com o mérito e ousadia de seus proprietários, seguido por cerca de cinco anos da nossa ocupação no Palacete Teresa. Só temos a agradecer por toda parceria e privilégio em ocupar um dos palacetes mais incríveis da cidade", diz a nota de despedida.Parte interna com espaço que recebia 120 pessoas sentadas e até 200 em pé. Foto: Pablo Saborido.Parte interna com espaço que recebia 120 pessoas sentadas e até 200 em pé. Foto: Pablo Saborido.De acordo com o texto, a casa recebia cerca de 250 shows por ano, além de ser o palco de festivais independentes. Na publicação, os representantes do espaço criticam a forma como as medidas restritivas para conter o avanço da pandemia do coronavírus foram implementadas, sem auxílios para a sobrevivência da população vulnerável, do comércio e dos trabalhadores.

"O setor cultural, responsável pelo alimento espiritual e por uma das maiores riquezas do país, e o setor de eventos, bares e restaurantes são uns dos setores mais atingidos pela pandemia e carecem de ações emergências e signicativas do setor público. Seguiremos buscando alternativas para conseguir retomar", afirma a nota.

Três anos foi o tempo que levou o restauro da fachada do prédio (acima, em foto de 1975), encomendado por Tereza Artigas. Foto: Rolando de Freitas / Estadão.Três anos foi o tempo que levou o restauro da fachada do prédio (acima, em foto de 1975), encomendado por Tereza Artigas. Foto: Rolando de Freitas / Estadão.Segundo o que foi informado, o delivery vai funcionar enquanto durar o estoque da casa. Nas redes sociais, o anúncio do fim das atividades foi recebido com lamento por um grande número de artistas e frequentadores.

A nota no InstagramImagem: reprodução.Imagem: reprodução.Após 15 anos de casa, vamos parar por tempo indeterminado e ainda sem saber se vamos conseguir voltar.

A “menor casa de shows da cidade” nasceu do amor entre dois irmãos que se multiplicou e agregou tanta gente que constrói até hoje um caminho de imenso carinho e dedicação. Em 2017, nossa mudança para o centro histórico foi fruto de nossa paixão pela cidade, mas também de muita angústia, tanto pela necessidade de abrir mão do nosso antigo endereço como pela despedida de Rodrigo que corajosamente decidiu se dedicar a uma nova experiência de vida no interior de São Paulo.

Foi um longo período de restauro com o mérito e ousadia de seus proprietários, seguido por cerca de 5 anos da nossa ocupação no Palacete Teresa. Só temos a agradecer por toda parceria e privilégio em ocupar um dos Palacetes mais incríveis da cidade, “a antiga esquina musical de São Paulo”. Com média de 250 shows por ano, a Casa de Francisca realizou mais de 3500 shows, além de festivais independentes e uma série de outros projetos.

Nesse momento de tragédia no mundo, o Brasil é protagonista com a incompetência de seus governantes que politizam a vacina e assistem ao aumento de mortes, das variantes do vírus e do colapso do sistema de saúde.

De um lado os negacionistas que chegaram até o limite para retardar a compra das vacinas e insumos, mantendo um discurso absurdo de ineficácia das máscaras e do distanciamento social. Do outro lado medidas de fechamento necessárias, porém mal executadas e com auxílios ordinários a sobrevivência da população vulnerável, ao comércio e aos trabalhadores.

O setor cultural, responsável pelo alimento espiritual e por uma das maiores riquezas do país, e o setor de eventos, bares e restaurantes são uns dos setores mais atingidos pela pandemia e carecem de ações emergências e significativas do setor público. Nosso mais profundo agradecimento a todos que prestigiaram e construíram conosco essa intensa caminhada.

Seguiremos buscando alternativas para conseguir retomar. Nosso delivery quente segue até hoje e durante a próxima semana somente os últimos congelados até o final do estoque que produzimos. Cuidemo-nos uns aos outros. Há de passar! 

***
Da Redação com informações da Casa de Francisca.



APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio