Parques da cidade recebem o '6º Festival Cultivar' - São Paulo São


Durante o mês de setembro, quem estiver na capital paulista poderá curtir a cidade de um jeito diferente, mais integrado com a natureza. Tudo por causa da sexta edição do Festival Cultivar, promovido pelo Instituto Árvores Vivas, que vai invadir praças e parques com uma programação intensa e gratuita, para todas as idades, do dia 5 ao 27.

No final do mês, cidades do Rio de Janeiro, Minas e Santa Catarina também participarão e, em outubro (1 a 3), o festival se concentrará em Santa Rita do Passa Quatro e Ribeirão Preto, no interior de SP.

“O Festival Cultivar foi idealizado para estimular a cultura de estar em contato com a natureza todos os dias, mesmo em um ambiente urbano”, diz Juliana Gatti, diretora do instituto e autora do blog Árvores Vivas. “Com sua programação extensa, criamos oportunidades para que a reconexão com a natureza torne-se um hábito, tão essencial quanto beber água”.

Com a intenção de valorizar a cultura local, a qualidade de vida, a saúde e o patrimônio histórico, serão realizados picnics com troca de sementes e mudas, expedições para reconhecimento de espécies de árvores eobservação de aves, oficinas diversas, sessões de cinema, bate-papos e palestras com especialistas em meio ambiente, além da apresentação de novas tecnologias.

“Os temas ambientais têm conquistado relevância, ao longo destes anos em que realizamos o Festival Cultivar”, conta Juliana. “Isso se deve, claro, à crise ambiental que tem se intensificado. Mas é interessante observar a diferença na receptividade tanto do público como dos parceiros (sejam empresas ou governos), desde que lançamos o evento”.

Já pensou dedicar um dia inteiro a atividades próximas à natureza em plena cidade grande? Sobre a importância dessa ação, Juliana acrescenta: “Participar de qualquer atividade da programação do Festival Cultivar é criar uma nova relação com o entorno e consigo mesmo, é despertar valores de respeito, carinho e agradecimento pela vida. É se permitir curtir a natureza, suas riquezas e sabedorias de uma maneira criativa e alegre, deixando que ela faça parte da vida de todos nós em harmonia, para que todos os seres vivos – humanos e não humanos – sejam mais plenos”.

Difícil escolher entre tantas atividades do festival, mas para ajudar na escolha, destacamos aqui algumas atividades imperdíveis, em cada dia:

Dia 5
A abertura do festival acontecerá no Parque Trianon, em plena região da Avenida Paulista, às 14h, com a expedição Origens, liderada por Juliana, que apresentará a exuberância da Mata Atlântica com árvores de mais de 300 anos.

Dia 6
No mesmo parque, das 8h o biólogo Sandro von Matter, diretor do Instituto Passarinhar e autor do blog Avoando, levará o público por uma expedição de Observação de Aves e Sons da Natureza – com dicas de fotografia.

Dia 8
Biodiversidade na Cultura Brasileira é o tema da exposição que será inaugurada no Conjunto Nacional – também na Avenida Paulista – e ficará lá até 21, dia da árvore, com visitas guiadas e atividades em grupo. Destaque para algumas espécies importantes da flora brasileira.

Dia 13
Quem tem interesse por hortas comunitárias não pode perder a expedição “A natureza é PANC”, no Centro Cultural SP. Além da história dessa prática na cidade, a nutricionista Neide Rigo, do blog Come-se, falará sobre as PANCs – plantas alimentícias não convencionais – e comandará mutirão na horta do próprio centro.

Dia 19
Expedição Fotográfica, de Desenhos e Pinturas no Parque da Luz, o primeiro jardim botânico da cidade de São Paulo. Ótima oportunidade para conhecer a história ambiental do parque e aprender a fotografar, além de desenhar e pintar a natureza. Os trabalhos desenvolvidos pelos participantes ganharão exposição em um varal no Parque da Água Branca nos dias 26 e 27, durante as Oficinas Verdes.

Dia 20
O Parque Buenos Aires, no bairro de Higienópolis, terá encontro sobre a Histórias das Árvores que lá habitam, com oficina de sensibilização promovida pelo Instituto Romã, além de contação de histórias para crianças e adultos.

Dias 22, 23 e 24
Criança e Natureza é o tema da programação especial para crianças de escolas públicas e outras instituições, que será realizada no Horto Florestal com expedições para observação de árvores e aves, além de plantios e produção de bombas de sementes. No Museu Florestal Otávio Vecchi, no mesmo parque, a arte se junta a natureza para contar histórias.

Dias 26 e 27
No Parque da Água Branca serão realizadas as Oficinas Verdes, para toda a família. A programação inclui também bate-papos sobre tecnologias ambientais, exposição de arte e natureza, além da exibição de filmes com temáticas voltadas ao meio ambiente no Espaço Cultural Tatersal.

Dia 27, também no Rio de Janeiro, Minas Gerais e Santa Catarina
O PicNic de Troca de Sementes e Mudas realizado desde o primeiro Festival Cultivar deu frutos e resultou na criação de uma rede nacional de eventos que têm por objetivo promover a cultura ambiental, conversar a biodiversidade e viabilizar a manutenção da segurança alimentar. Neste dia, ele será realizado no Parque da Água Branca, mas também em outras cidades dos estados de SP, Rio de Janeiro, Minas e Santa Catarina.

Em outubro, no interior de São Paulo

Mas não é só o picnic de troca de sementes e mudas que acontecerá fora da capital paulista. Para promover oCerrado brasileiro e a importância de sua conservação, o Festival Cultivar promoverá atividades em parques das cidades de Santa Rita do Passa Quatro e Ribeirão Preto.

Nos dias 1 e 2 de outubro, escolas da região de Santa Rita poderão participar da Expedição Fotográfica Jequitibá-Rosa no Parque Vassununga, que reúne a maior concentração de árvores dessa espécie – que são as mais antigas do mundo, com cerca de três mil anos – e o maior exemplar paulista. No dia 3, o encerramento do festival acontece no Parque Curupira, em Ribeirão Preto, com ampla programação para o público.

Para saber mais, acompanhe a programação do Festival Cultivar pelo site e pelas redes sociais: Facebook e Twitter.

Mônica Nunes no Conexão Planeta.