SP recebe a primeira edição do O.bra Festival, evento internacional de arte de rua - São Paulo São


Nos dias 23, 24 e 25 de outubro, São Paulo recebe a primeira edição do O.bra Festival, evento internacional de arte de rua no Brasil. Idealizado e organizado por Marcelo Pimentel e Marina Bortoluzzi, os nomes por trás do Instagrafite; Vera Santana, da DaTerra Produções Culturais, e pelo empresário Luan Cardoso, o O.bra será uma verdadeira galeria de arte a céu aberto na cidade. O line-up do festival traz 18 artistas nacionais e internacionais, a maioria da primeira geração da arte de rua, que, convidados a produzir em duplas, vão pintar oito empenas de grande escala e construir uma instalação na região do Largo do Arouche, em São Paulo.
 

O O.bra foi pensado para existir como um festival exclusivamente direcionado à street art. Sua linha curatorial teve como base a primeira geração da arte de rua do Brasil, movimento formado em meados de 1980 por artistas que, de fato, tiveram a rua como escola e que assim, ajudaram a moldar o estilo e o cenário nacional. “Foi em São Paulo que a arte de rua brasileira começou e é importante mostrarmos para o mundo porque ainda somos a meca da arte de rua global”, diz Marina Bortoluzzi. “São nos precursores do Brasil que nos inspiramos e os quais homenageamos nesta primeira edição do O.bra”, pontua Marcelo Pimentel.

Seguindo o conceito de co-criação em projetos, o O.bra convidou nove artistas e lhes deu a liberdade de convidarem outros nove artistas de sua escolha e preferência, de qualquer lugar do mundo, para pintarem em parceria inédita. Com isso, formou-se o line-up com as duplas que produzirão oito empenas de grande escala: INTI (Chile) e Alexis Diaz (Porto Rico);Jaz (Argentina) e Conor Harrington (Irlanda); Herakut (Alemanha) e M-City (Polônia); Aleksei e Waone Interesni Kazki (Ucrânia); Speto (Brasil) e Never 2501 (Itália); Tinho (Brasil) e Carlos Vergara (Brasil); Binho (Brasil) e Suiko (Japão); Vitché (Brasil) e Jan Kalab (República Tcheca); já Herbert Baglione (Brasil) fará uma instalação de 10x10m no chão, retratando suas icônicas sombras.

Será a primeira vez que os artistas Alexis Diaz, Conor Harrington, Herakut e Interesni Kazki pintam no Brasil, e será também o retorno a São Paulo de artistas como M-City, INTI, Jan Kaláb, Jaz, Suiko e Never 2501, que já morou no país. Os artistas iniciam as pinturas das empenas no dia 13 de outubro, e o público poderá acompanhar no decorrer destes 12 dias o progresso das obras.

arrested motionarrested motion

 'Arrested Motion', mural de Interesni Kazki na Sicília. Foto: Divulgação.

Além do intercâmbio cultural entre os artistas, o O.bra pretende trazer a valorização do artista de rua como muralista – que ainda hoje é por vezes marginalizada pela sociedade -, ajudar na revitalização da cidade de São Paulo, fomentar a economia criativa e aproximar a população da arte de rua. “Sentimos falta de um festival de arte urbana no Brasil e queremos existir e voltar anualmente para evoluir este cenário e dar voz aos artistas da street art no país”, diz Vera Santana.

O O.bra ainda terá uma programação vasta com atividades, como yoga na rua, palestras e workshops com artistas e profissionais renomados da street art, cinema ao livre, music jam sessions, dentre outras atividades gratuitas. “A programação do O.bra foi pensada para aproximar os artistas e obras da street art ao público. E até por conta disto as atividades são todas gratuitas, desde os workshops até o cinema e a música”, diz Luan Cardoso.

Todas as inscrições para workshops e palestras serão realizadas exclusivamente pelo site do Itaú Cultural, instituição parceira do O.bra. As inscrições podem ser feitas a partir do dia 19 de outubro. 

Acesse o site e confira a programação: http://obrafestival.com/inicio

Com informações da Agência Lema.
 
 


APOIE O SÃO PAULO SÃO

Ajude-nos a continuar publicando conteúdos relevantes e que fazem a diferença para a vida na cidade.
O São Paulo São é uma plataforma que produz conteúdo sobre o futuro de São Paulo e das cidades do mundo.

bt apoio