O Balé da Cidade de São Paulo apresenta os espetáculos “Adastra” e “Transe” no Theatro Municipal

Da redação.

A próxima temporada de apresentações do Balé da Cidade de São Paulo trará dois destaques na programação. Entre os dias 22 e 26 de junho, o corpo artístico chega à Sala de Espetáculos do Theatro Municipal de São Paulo para encantar o público com as coreografias impressionantes de Adastra Transe, em uma curta temporada.

Adastra é uma filosofia de vida, um ponto de reflexão, como o percurso a seguir para encontrar a estrela que cada um carrega dentro de si. Foto: Divulgação.

Com coreografia e figurino de Cayetano Soto, Adastra é uma filosofia de vida, um ponto de reflexão, como o percurso a seguir para encontrar a estrela que cada um carrega dentro de si. A apresentação foi feita especificamente para o Balé da Cidade, ou seja, é de suma importância trazer essa remontagem e essa recolocação para o repertório, visto que a apresentação anterior já havia sido um sucesso muito grande de público, por isso o interesse em voltar a apresentá-lo.

“Esse espetáculo possui uma exigência técnica muito grande para os bailarinos, pois é um balé de difícil execução e, apesar de todos amarem essa dança, eles têm um certo ‘frio na barriga’ bem acentuado pela complexidade na hora de apresentar ao público. Estou muito ansiosa com essa temporada, pois acredito que sejam dois contrapontos fortes do balé, Já que são muito diferentes um do outro, com estéticas opostas e que vão agradar ao público com a beleza apresentada por cada um”, ressalta Cassi Abranches, diretora do Balé da Cidade de São Paulo.  

A apresentação é uma festa sem fim, uma utopia metaforizada em uma fábula inventada, com um ritual futurístico de êxtase coletivo”. Foto: Divulgação.

Já Transe, que tem coreografia do brasileiro Clébio Oliveira, o enredo leva o espectador a um estado de transe em uma jornada híbrida, de homem versus animal, ambientada em uma atmosfera apocalíptica e de celebração à vida em um possível mundo pós-pandêmico. Diversas perguntas serão respondidas durante a performance, como: o que seria o ideal de um mundo perfeito?; o que seria uma aventura de viver?; entre outras. 

“A apresentação é uma festa sem fim, uma utopia metaforizada em uma fábula inventada, com um ritual futurístico de êxtase coletivo. Além disso, a peça celebra a retomada da companhia no pós-pandemia, pois foi um balé encomendado em 2020 e que agora aguarda ansiosamente o retorno ao palco. Chegou a hora de sentir essa sensação de novo com esse balé, que foi dançado apenas uma vez, para que ele possa vigorar e vibrar no palco do Theatro Municipal mais uma vez”, completa Cassi.

Serviço:

Balé da Cidade apresenta “Adastra” e “Transe”
Theatro Municipal de São Paulo – Sala de Espetáculos.
Praça Ramos de Azevedo, s/n.
Dias 22, 23 e 24/06 às 20h.
Dias 25 e 26 às 17h.
As duas apresentações têm classificação indicativa livre, com duração de 58 minutos cada e ingressos entre R$10 e 80 reais.
Duração: 60 minutos.

***
Com informações da Approuch Comunicação.


Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.