‘O Fotógrafo Viajante’: 31 fotógrafos brasileiros retratam em 82 imagens, cidades e países dos 5 continentes

O deslocamento de 31 olhares. A exposição coletiva “O fotógrafo Viajante”, com curadoria de Renato Negrão, traz ao público uma reflexão poética sob o universo das grandes viagens, unindo o trabalho de 31 fotógrafos que percorreram lugares do mundo acompanhados de uma câmera.

“A fotografia além de ser uma excelente companhia de viagem, é também um grande passaporte”, diz o curador, que registrou, entre outros lugares insólitos, a zona de exclusão, em torno na Usina de Chernobyl. Munidos da expectativa de captar o que pode comunicar, os fotógrafos percorreram grandes distâncias e entraram em lugares onde dificilmente entrariam se não fosse pela fotografia. A montagem da exposição perfaz um percurso de experiência com o ato da viagem, com imagens entremeadas por textos de Italo Calvino e Alain de Botton, que escreveram textos sobre registros imagéticos.

A exposição, os lugares e os fotógrafos

O lugar expositivo, a estação de trem Julio Prestes, escolhido pela curadoria para mostrar o trabalho peculiar dos 31 fotógrafos, alguns deles em início de carreira, faz conexão não apenas com o tema da exposição, mas estabelece diálogo com a arte e o espaço público.

India, Etiopia, Qatar, Jordânia, Namíbia, entre outros, retratados por Érico Hiller, Bernardo Borges; Máximo Hernández; Alexandre Guida; Alexandre Ormond; Henrique Carneiro; Isa Godoy; Luiz Maudonnet; Ricardo Moraes; Camila Burattini; Juliana Barcchieri; Rogério Cunha; Carlos Pedra; Márcia Luppi; Talita Alencar; Fernanda Avendanha; Flávia Melo; Juliana Parisi; Marcela; Lu Gebara; Tiago Novaes; Camila Gil; Eli Criva; Karina Ammar; Sanderson Pereira; Luis Beraldo; Ricardo Abreu; Socorro Monteiro; Vera Resende; Giselle Bonhen e Eugênio e Carla.

O curador

Renato Negrão, 46 anos, é professor de artes na Escola Panamericana de artes, em São Paulo, formado em comunicação social pela UFPR, pós-graduado em fotografia pelo Senac-SP e estuda semiótica na PUC-SP.

Em 1997, depois de se formar, passou três anos na Europa, onde estudou artes e fotografia, nas cidades de Londres e Paris. Voltou a São Paulo, em 2000, onde reside, deste então. Já expôs no Iraque, exposição “Love Letter from Brazil to Iraq”, a convite da ONG Larsa Human Rights; em Montevidéu, com um trabalho sobre o Mercosul e no Brasil expôs em São Paulo, em diversas mostras (Sesc, CPTM, Metrô), Rio de Janeiro, no CCJF (Centro Cultural da Justiça Federal); em Brasília e Curitiba.

Serviço

‘Lugares Desertos‘ - Índia e Etiópia. Foto: Érico Hiller.
Exposição ‘O Fotógrafo Viajante’
Abertura: dia 22 de outubro, sábado, às 13h30, na estação Júlio Prestes.
Coquetel e concerto de músicos da Osesp.
De 22 de outubro a 22 de novembro, na Estação Julio Prestes.
Local: Plataforma de embarque Estação Julio Prestes.
Praça Júlio Prestes, 148.
Funcionamento: 4h às 23h59.
Preço: R$ 3,80.
Estação adaptada para pessoas com deficiência.

 

***
Com informações de Adriana Monteiro da Ofício das Letras.

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.