Os rios ocultos de São Paulo e a resistência dos índios Munduruku na Mostra SP de Fotografia

O acelerado processo de urbanização em São Paulo no começo do século levou ao desaparecimento de vários rios e córregos, hoje ocultos e despercebidos. Ao mesmo tempo em que as fotografias revelam o local onde, um dia, houve água corrente e um rio vivo, elas são expressão da resistência do povo Munduruku, no Rio Tapajós, ameaçado pela construção de um complexo de hidrelétricas em sua bacia e que luta para não desaparecer.
 
O rio é a essência dos Munduruku que tradicionalmente habitam suas margens há milhares de anos e é local de enfrentamento entre os planos de desenvolvimento do governo e a conservação ambiental e cultural.“ Marina Yamaoka.
 
 
Resistência ou Morte na 7ª Mostra SP de Fotografia
 

“O trabalho que apresento é minha homenagem particular aos índios Munduruku e sua luta vitoriosa contra a construção da hidrelétrica de São Luiz do Tapajós. 

Os Munduruku são um povo guerreiro e generoso, foi essa generosidade que me permitiu retrata-los e revelar pelo menos um pouco da sua nobreza, da sua tenacidade e do seu respeito pela vida e pela natureza. Agradeço muito a eles e também ao Greenpeace que proporcionou minha ida até lá,“ diz o fotógrafo Rogério Assis autor da série de retratos.

A série de retratos de índios Munduruku desenterra o rio Verde. Foto: Rogério Assis. 

O trabalho que Rogério apresenta é uma homenagem aos índios Munduruku.Foto: Rogério Assis.

 Muros pelo percurso do Rio Verde

Onde: Rua Medeiros de Albuquerque, números 9, 23, 42, 49, 95 e 250.
Quando: Terça a sábado, das 11h as 18h.

O autor

Rogério Assis iniciou sua vida profissional em 1988 documentando etnias indígenas para o Museu Emílio Goeldi e a Funai, em Belém do Pará, sua terra natal. Em 1989 cobriu as primeiras eleições diretas depois da ditadura e trabalhou no staff dos jornais O Estado de S.Paulo e Folha de S.Paulo, onde também foi editor de matérias especiais. Graduou-se no Midia Lab do ICPInternational Center of Photography, em Nova York, onde trabalhou como fotógrafo correspondente da Folha de São Paulo e editor de fotografia da Starmedia Network. Em 2013 lançou o livro Zo’é, sobre a etnia de mesmo nome. Atualmente desenvolve projetos editoriais e colabora com ONGs ambientais, como Greenpeace e ISA-Instituto Socioambiental.

A Mostra

A história da Vila Madalena conduz a 7° Mostra São Paulo de Fotografia, que acontece de 22 de outubro a 19 de novembro. Leia a matéria produzida pelo São Paulo São aqui!

A programação da 7a Mostra SP de Fotografia você acompanha pelas páginas da DOC Galeria e da Mostra SP de Fotografia. Ao fotografar, use as hashtags: #mostraspdefotografia #docgaleria #docfoto #vilamadalena #tresfidalgas

***
Com informações de Rogério Asssis e DOC Galeria.

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.