Palco de grandes eventos, Estádio do Pacaembu completa 80 anos abrigando hospital de campanha

Misturado ao nome do bairro, o monumento sediou eventos culturais marcantes. Entre os capítulos desta história, jogos na Copa de 1950, as despedidas de Romário e Ronaldo fenômeno da seleção brasileira e as conquistas da Libertadores da América por Santos (2011) e Corinthians (2012). Além disso, o gramado virou palco para receber o beatle Paul McCartney e o primeiro show dos Rolling Stones no Brasil.

Inauguração do Pacaembu, em 27 de abril de 1940, contou com a presença do então presidente Getúlio Vargas. Foto: SP Antiga. Pelé também reinou por muitas vezes no Pacaembu. Foram 159 partidas e 127 gols marcados no estádio, onde jogou pela última vez em setembro de 1974.

No início deste ano, o estádio foi concedido pela prefeitura à iniciativa privada. Hoje, o campo tornou-se a base de um hospital de campanha com 200 leitos para atender às vítimas do novo coronavírus (covid-19). Pelas redes sociais, o público foi incentivado pela concessionária que administra o estádio a contar histórias pessoais vividas no espaço. “Aos 8 anos de idade, queriam que eu fosse corintiano. Aí me levaram para meu primeiro jogo de futebol no Pacaembu. Em campo, Ademir da Guia, acabei virando palmeirense”, diz o internauta Paulo Del Castro no perfil do Twitter da Allegra Pacaembu, que vai gerir o espaço pelos próximos 35 anos.

Hospital provisório no Estádio do Pacaembu: capacidade para 200 leitos. Foto: Rahel Patrasso / Reuters.

Os administradores do Pacaembu pretendem realizar uma obra no final deste ano. A ideia é que no local onde se localiza o famoso tobogã seja construído um edifício de uso múltiplo de 44 mil m² que abrigará espaços comerciais, de alimentos e bebidas, de varejo, além de um estacionamento com 450 vagas, um anfiteatro, um centro de convenções subterrâneo e eventos.

No início deste ano, o estádio foi concedido pela prefeitura à iniciativa privada. Foto: Divulgação. O nome

Apesar de ser normalmente chamado de Pacaembu, foi em 1961 que o nome oficial do local passou a ser Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho. Isso ocorreu porque a Prefeitura de São Paulo quis homenagear o chefe da delegação brasileira da Copa do Mundo de 1958, que rendeu o primeiro título mundial de futebol ao país. Formado em Direito, a relação próxima de Paulo Machado de Carvalho com o futebol já havia começado dentro do São Paulo Futebol Clube, onde chegou a assumir o cargo de presidente entre 1946 e 1947.

Em 1984, Paulo Machado de Carvalho (C), durante coletiva de imprensa com a réplica da Taça Jules Rimet que a seleção brasileira conquistou na Copa do Mundo de 1970, no México. Foto: Gazeta Press.

Durante a Copa de 1958, Paulo ganhou destaque na final do torneio. Contra a Suécia, anfitriã da competição, o Brasil foi obrigado a jogar com uniforme azul. Preocupado com a superstição dos atletas, que disputaram todo o torneio com a camisa amarela, o chefe da delegação fez questão de dizer aos jogadores que a mudança traria sorte porque as novas roupas eram da mesma cor que o manto de Nossa Senhora Aparecida. Quatro anos depois, Paulo foi chefe da delegação da seleção que ganhou o bicampeonato mundial em 1962, o que lhe garantiu o apelido de “Marechal da Vitória”.

***
Fontes: Agência Brasil e Wikipédia.

Tags

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email
No data was found

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Categorias

Cadastre-se e receba nossa newsletter com notícias sobre o mundo das cidades e as cidades do mundo.

O São Paulo São é uma plataforma multimídia dedicada a promover a conexão dos moradores de São Paulo com a cidade, e estimular o envolvimento e a ação dos cidadãos com as questões urbanas que impactam o dia a dia de todos.